Existem, de acordo com os cientistas, mais de 1100 espécies diferentes de formigas, mas de todas essas espécies, somente algumas conseguem gerar soldados bons como as da foto acima. Elas são denominadas super-soldados e pertencem a uma sub-casta bem exclusiva, responsável pelo combate contra espécies predadoras e proteção das entradas do ninho, já que possuem grandes cabeças e acabam por amedrontar os inimigos.

 

Esta condição super especial das formigas super-soldados, despertou o interesse dos cientistas que resolveram estudar seus genes. A equipe estudiosa, liderada pelo Dr. Ehab Abouheif do Departamento de Biologia da Universidade McGill, Montreal (Canadá), estudou os genomas de duas espécies de formigas que geram as super-soldados. Os caras identificaram a genética da casta super-soldado e foram capazes de ativar os genes, tratando larvas de formigas com um hormônio de crescimento – Methoprene. Como era de se esperar, as larvas de formigas se tornaram super-soldados.

 

A raça Pheidole Morrisi não costuma produzir formigas super-soldados, por isso foi uma das escolhidas pela equipe de cientistas para realização dos testes. O resultado foi semelhantemente espetacular, algumas das larvas dessa espécie realmente se tornaram super-soldados.

 

O Dr. Abouheif explicou em seu artigo na revista Science que as espécies de formigas costumam desenvolver um tipo de Hormônio Juvenil – quando a formiga possui esse hormônio demais, vira uma formiga soldado, quando tem de menos, vira uma formiga trabalhadora. As espécies que geram formigas super-soldados, existe um nível mais elevado deste mesmo hormônio, gerando assim as super-soldados. O hormônio utilizado no experimento – Methoprene – imita os efeitos do hormônio juvenil e gera super-soldados artificialmente.

 

Os resultados dos experimentos relataram que mesmo as espécies que não costumam gerar formigas super-soldados atualmente, já tiveram essas super defensoras em um passado bem distante – algo entre 35 e 60 milhões de anos atrás – pois eles ainda retém a informação genética para a produção delas. Exatamente por isso que os cientistas conseguiram re-ativá-los em determinado estado ambientar/nutricional. Os pesquisadores dizem que a manutenção dessas informações genéticas podem ser importantes para a evolução de novas características físicas das formigas.

 

As formigas super-soldados são comumente encontradas no México e no sudoeste dos Estados Unidos e de acordo com o Dr. Abouheif, a descoberta sobre re-ativação dos genes das super-soldados pode ajudar e muito na agricultura com maior valor nutricional. Os cientistas também sugerem algum impacto na busca pela cura do câncer. Ago que pudesse ser reversível quando identificado em um de nossos ancestrais. Algum bloqueio de evolução para impedir o surgimento de doenças e desenvolvimento de problemas genéticos.

 

Eu não sei vocês, mas não costumo ler muito sobre formigas, essa deve ter sido a primeira vez que li um artigo sobre as pequenininhas e posso dizer que curti muito essa descoberta. Há quem pense que os cientistas ficam anos estudando a existência de espécies ao redor do mundo e que não descobrem nada de útil. Esse link entre as formigas super-soldados e a cura do câncer no finalzinho me surpreendeu positivamente e a partir de agora torço veementemente para que algo seja descoberto! Parabéns aos cientistas dessa pesquisa!

 

Perfil Coxinha

Coxinha Nerd

E você matando formiguinhas por aí…
A favor dos nerds e contra a tirania dos Kibes.
Facebook | Twitter