Escrito e dirigido por David Ayer (que também dirigiu Coração de Ferro e Dia de Treinamento), Esquadrão Suicida foi lançado em Agosto desse ano. Contando com a presença de grandes nomes como Will Smith, Margot Robbie, Cara Delevingne e Jared Leto no elenco, o filme foi precedido de muita publicidade e tinha uma hype crescente que ele precisava satisfazer.

Infelizmente, quanto maior a hype em torno de um filme, maior a sua queda, e o longa simplesmente não superou as expectativas e foi amplamente criticado tanto pelos fãs quanto pelas críticas. O filme recebeu modestos 6,5 estrelas no site da IMDB (0,3 a menos do que Batman v. Superman) e teve uma nota de 26% no site da Rotten Tomatoes.

Alguns meses depois de seu lançamento do filme, eu finalmente criei coragem para assisti-lo e tenho que admitir que o filme não foi tão ruim quanto eu esperava. Não me leve a mal, o filme é cheio de defeitos (desde inconsistências no roteiro, passando pelas motivações dos personagens e chegando ao Coringa do Jared Leto), mas ele não é tão ruim assim. Claro que eu provavelmente só achei isso por que havia lido e ouvido tanta coisa ruim do filme que minhas expectativas eram as piores possíveis, mas, ainda assim, eu acredito que o filme não foi essa total decepção que todos estão falando.

Esquadrão Suicida é o terceiro filme do Universo Estendido da DC e, apesar de ser imperfeito, ele é, com certeza melhor do que seus antecessores – O Homem de Aço (2013) e Batman v. Superman (2016). Amito que, tendo em vista os filmes anteriores, esse não é um feito muito difícil. Mas, segue uma lista das 5 melhores coisas em Esquadrão Suicida.

#5 – A Trilha Sonora

Essa é, provavelmente, a melhor coisa do filme e não está mais acima da lista por ser um assunto um tanto quanto polêmico. Não entendeu? Vou explicar.

A trilha sonora de Esquadrão Suicida é bem porreta, contando com músicas do Eminem, Imagine Dragons, Panic at the Disco!, etc. As músicas são bem legais e servem para animar bastante o público. Porém, o filme pecou pelo excesso. Não achava que isso era possível, mas o filme tinha, simplesmente, música boa demais. E isso é ruim? Geralmente não, mas no caso de Esquadrão Suicida, fica parecendo que o música é uma muleta na qual a direção se apoia para tentar levantar as cenas. Existem momentos em que é claro que a função de instigar o público cai – unicamente – nas costas da trilha sonora. E isso é ruim, pois, num filme, é de se esperar que algo além da música deixe o pessoal instigado.

Independente disso, a trilha sonora de Esquadrão Suicida é muito boa.

#4 – O Tom

Desde a avassalador sucesso da trilogia do Cavaleiro das Trevas de Cristopher Nolan, a DC têm procurado fazer filmes mais sérios e com um tom mais sombrio, a fim de criar uma identidade visual e estética própria. Isso, na teoria, é bom, pois mostra que a DC não quer apenas copiar o MCU, mas quer fazer uma criação própria, com uma estética única e facilmente identificável. Nesse sentido, a DC está fazendo um ótimo trabalho, pois ninguém é capaz de confundir um filme de héroi da DC com um filme de heróis da Marvel. A estética e o tom são diferentes demais.

O problema é que esse tom diferente nem sempre funciona. Na trilogia do Cavaleiro das Trevas o tom era justificado, pois o Batman é, por natureza, um personagem sombrio que usa o medo como sua principal arma. Mas quando Zack Snyder tentou usar a merma fórmula em um filme do Super-Homem, as coisas não deram muito certo. O Homem de Aço é para ser um simbolo de esperança, bondade e justiça, e o tom sombrio não funciona bem com essa mensagem.

A DC continuou insistindo com esse tom em Batman v. Superman e – apesar da presença do Batman justificar um pouco – a DC ainda parece ter dificuldade em acertar o tom. No caso de Esquadrão Suicida, porém, o tom vestiu como uma luva. Por se tratar de um filme sobre vilões (ou anti-heróis), o tom mais sombrio combina perfeitamente com a história e parece que a DC está, finalmente, começando a acertar nesse sentido.

#3 – O Humor

Não me leve a mal, Esquadrão Suicida não vai ganhar nenhum prêmio de humor. Mas é legal ver que o humor é, pelo menos, algo que existe nesse filme. Assim, bem pouco e em pequenas doses, mas ele está lá. As piadas nem sempre têm graça, mas elas existem e só de ver que a DC está fazendo um esforço para mostrar que seu universo expandido não é composto apenas de pessoas sem o menor sendo de humor, já é um alívio.

É importante destacar a polêmica de que Esquadrão Suicida passou por algumas refilmagens para incluir um humor mais leve e acessível (por causa das críticas negativas que Batman v. Superman recebeu) e que essas refilmagens foram muito criticadas. Mas eu discordo. Acho que DC ainda está aprendendo a andar com o seu Universo Expandido e o fato dela querer refilmar e mudar algumas coisas (tendo como base a reação a filmes anteriores) mostra que eles estão dispostos a aprender com seus próprios erros. E isso é bom. Vai que algum dia eles acertam nesse sentido.

#2 – O Elenco

Isso é algo que a DC tem errado constantemente. O Super-Homem do Henry Cavill tem o carisma de uma toalha molhada e o Batfleck só pode ser considerado um sucesso por que ele não foi o total desastre que nós imaginávamos que ele iria ser (mas que ainda não é bom). Enquanto isso, grandes nomes como Lawrence Fishbourne e Amy Adams são usados de forma pouco interessante, me levando a perguntar o que levou os atores a aceitarem os papeis (e sei que foi o dinheiro, claro). Enfim, antes de Esquadrão Suicida, a única escolha verdadeiramente certeira da DC foi colocar Gal Gadot como mulher maravilha.

Em Esquadrão Suicida a gente tem um elenco bem carismático. Margot Robbie está certeira como Harley Quinn, expressando muito bem tanto a insanidade quanto a sexualidade da personagem e Will Smith – que exala carisma por todos os orifícios – faz um ótimo trabalho como o Pistoleiro. Os demais membros do Esquadrão – Capitão Bumerangue, Killer Croc, Diablo, etc – foram interpretador por artistas que, mesmo não tendo a mesma fama de Smith ou Robbie, fizeram seus papeis de forma competente.

Só o Coringa do Jared Leto, na minha opinião, ficou uma merda. Mas, para sermos justos, o personagem apareceu muito pouco no filme, então talvez eu esteja julgando-o de forma muito precipitada.

Ainda assim, Esquadrão Suicida tem o elenco mais carismático dos filmes da DC.

#1 – O que o filme poderia ter sido

No final das contas, Esquadrão Suicida foi uma ótima ideia que foi muito mal executada. Depois de assistir ao filme, eu dei uma pesquisada e descobri que o escritor teve apenas seis semanas para escrever todo o roteiro do filme. SEIS SEMANAS! Sabe o que é isso? É tipo o tempo que falta até o final do ano. Nenhum roteirista seria capaz de escrever um roteiro decente em tão pouco tempo, principalmente um que envolva tantos personagens distintos e complexos.

Era preciso dar uma explicação de quem são os membros do Esquadrão, clarificar suas motivações, tratar de seus relacionamentos com os outros membros da equipe. Tudo isso enquanto colocando ganchos para os futuros filmes do Universo Estendido da DC. Fazer isso em seis semanas é uma tarefa que nenhum roteirista deveria tentar realizar.

Levando isso em conta (e também levando em conta interferências do estúdio e as refilmagens realizadas) é um espanto que o filme tenha ficado tão bom quanto ele ficou. Com tão pouco tempo para desenvolvimento, Esquadrão Suicida deveria ter sido um desastre completo.

Deu para ver que o resultado final não foi exatamente o que Ayer queira ter feito. Esse era parar ser um filme diferente. Um filme ousado e corajoso. Infelizmente, esse não é o caso e o filme acabou caindo em diversos clichés e se tornando algo medíocre. Apesar disso, existem alguns momentos em que o filme realmente se destaca (a cena em que o Capitão Bumerangue engana um dos companheiros do Esquadrão para descobrir se existe mesmo uma bomba em sua cabeça, por exemplo) e nesses momentos nós podemos ter um vislumbre do que o filme poderia ter sido.

Então, o que achou da minha lista?  Concorda que o filme é o melhor do Universo Expandido da DC, ou acha que ele é uma bagunça sem nenhuma salvação? Deixe a sua opinião nos comentários. É tudo #COXINHANERD