O ARREPENDIMENTO DE ESQUADRÃO SUICIDA!

Sabe aquela expressão que diz assim: “se arrependimento matasse…”?. Então, é isso o que o diretor de Esquadrão Suicida, David Ayer, deve estar pensando nesse exato momento. Mesmo com o filme sendo um sucesso enorme de bilheteria, ele não foi imune e muito menos escapou do massacre que os críticos cometeram falando sobre o filme ser fraco.

E nem tudo são flores mesmo para o filme dos vilões da DC Comics. Agora o próprio diretor se arrependeu de muita coisa que foi colocada na história do filme, como, principalmente, usar a Magia (interpretada por Cara Delevingne) como a principal antagonista do longa.

Ayer acabou postando uma mensagem em seu Facebook como agradecimento a um fã que comentou que Esquadrão Suicida era uma obra de arte, ele falou de seu arrependimento de não ter colocado o Coringa (de Jared Leto) como o vilão principal do filme.

“Se tivesse uma máquina do tempo, faria do Coringa o vilão principal e criaria uma história mais realística. Tenho que pegar as coisas ruins e boas e aprender com isso. Eu larguei do colégio e costumava pintar casas para viver. Tenho sorte de ter o emprego que tenho. Eu tenho que dar a esses personagens as histórias e tramas que eles merecem da próxima vez. De verdade. (E não, não tem uma edição secreta do filme com um monte de cenas do Coringa escondidas em algum lugar”.

Além de falar sobre o arrependimento sobre algumas escolhas do filme, Ayer também falou sobre o massacre que seu trabalho sofreu.

“Nada machuca mais do que pegar um jornal e ver alguns anos de sua vida, suor e lágrimas despedaçados. O filme foi um grande sucesso e o mundo foi apresentado a alguns personagens muito legais no universo DC e esse sucesso foi exatamente devido a maravilha e poder da DC, de seus personagens. Faria muitas coisas diferentes? Sim, claro”

E aí? Vocês concordam com o arrependimento dele ou manteria o filme do jeito que foi concebido?

Leia mais sobre DC Comics e Filmes