CONHEÇA A HISTÓRIA DOS HERÓIS DA OVERWATCH NO NOSSO ESPECIAL!

Overwatch foi lançado há exatamente um ano pela Blizzard e se tornou um fenômeno mundial, tendo nesses 365 dias mais de 30 milhões de jogadores ativos e uma tonelada de uma história que não para ser explorada pela desenvolvedora em novos eventos, curtas, quadrinhos, entre muitas mídias.

Comemorando de uma forma especial essa data, nós do Coxinha Nerd resolvemos fazer uma série de posts especiais durante a semana para comemorar esse feito de Overwatch, contando de uma forma melhor toda a história de todos os heróis do game. No post de hoje, começamos com os heróis Ofensivos. Confira:

GENJI:

Nome verdadeiro: Genji Shimada, Idade: 35
Ocupação: Aventureiro, Base de operações: Monastério de Shambali, Nepal
Afiliação: Clã Shimada (anteriormente), Overwatch (anteriormente)

Como filho mais novo do mestre do clã ninja dos Shimada, Genji viveu uma vida de luxo e privilégio. Ele tinha pouco interesse nos negócios ilegais de sua família, e apesar de gostar e ser excelente em seu treino ninja, ele passou a maior parte de seu tempo curtindo uma vida de playboy. Muitos no clã consideravam o estilo de vida do Genji um perigo para o clã e tinham ressentimento contra seu pai por protegê-lo. Com a morte do líder do clã, o irmão mais velho de Genji, Hanzo, exigiu que Genji tivesse um papel mais ativo no império de seu pai falecido. Genji se recusou, enfurecendo Hanzo. A tensão entre os irmãos acabou em um confronto violento que deixou Genji a beira da morte.

Hanzo acreditou que tinha matado seu irmão, mas Genji foi resgatado pela Overwatch e a intervenção da Dra. Angela Ziegler. A força de segurança global via Genji como um possível recurso em suas operações para deter o clã Shimada. Como os ferimentos de Genji o deixaram a beira da morte, a Overwatch se ofereceu para reconstruir seu corpo em troca de sua ajuda. Ele passou por um longo processo de cibernetização, o que aumentou sua velocidade e agilidade naturais e potencializou suas habilidades ninja. Transformado em uma arma viva, Genji tomou como seu dever desmantelar o império criminoso de sua família.

Mas à medida que o tempo passou, Genji se sentiu cada vez mais em conflito consigo mesmo. Ele tinha repulsa das partes mecânicas de seu corpo e não aceitava o que tinha se tornado. Quando sua missão foi completada, ele abandonou a Overwatch e vagou o mundo em busca de sentido. Ele vagou por muitos anos antes de encontrar o monge ômnico, Zenyatta. Com o tempo, Zenyatta se tornou seu mentor, e com a tutela do monge, Genji se reconciliou com sua existência dupla tanto como homem quanto máquina.

Ele aprendeu a aceitar que, apesar de ter um corpo de ciborgue, sua alma humana estava intacta e passou a ver sua nova forma como um presente e uma força única. Agora, pela primeira vez em sua vida, Genji está livre. Nem mesmo ele pode dizer para onde seu caminho eventualmente o levará.

MCCREE:

Nome verdadeiro: Jesse McCree, Idade: 37
Ocupação: Caçador de recompensas, Base de operações: Santa Fé, Novo México, EUA
Afiliação: Overwatch (anteriormente).

McCree já tinha uma reputação como membro da notória gangue Deadlock, que traficava armas ilícitas e equipamentos militares por todo o Sudoeste Americano, quando ele e seus comparsas foram apreendidos por uma operação da Overwatch. Com suas habilidades como atirador e sua engenhosidade, ele foi dado a escolha de apodrecer em uma prisão de segurança máxima ou de se juntar à Blackwatch, a divisão de operações secretas da Overwatch. Ele escolheu a segunda opção.

Apesar de cínico no começo, ele passou a acreditar que podia compensar pelos pecados que cometera no passado, acertando as injustiças do mundo. McCree se satisfez com a flexibilidade delegada ao grupo clandestino Blackwatch, liberto de burocracias e protocolos. Mas à medida que a influência da Overwatch enfraqueceu, membros rebeldes dentro da Blackwatch tramaram para derrubar a organização e usá-la para seus próprios fins. Sem querer participar dessas disputas internas, McCree resolveu partir sozinho e desapareceu.

Anos depois, ele ressurgiu como um atirador mercenário. Mas apesar de seus talentos serem buscados por grupos grandes e pequenos, ele só luta por causas que acredita serem justas.

PHARAH:

Nome verdadeiro: Fareeha Amari, Idade: 32
Ocupação: Chefe da segurança, Base de operações: Giza, Egito
Afiliação: Helix Segurança Internacional.

Quando criança, Fareeha sonhava em seguir os passos de sua mãe (Ana) e se juntar à força de manutenção da paz, Overwatch. Ela se alistou no exército egípcio e sua persistência constante e proezas táticas a levaram ao alto escalão. Ela era uma líder corajosa e conquistou a lealdade de todos àqueles que serviram sob seu comando. Com sua ficha exemplar, Fareeha foi bem colocada para se juntar às fileiras da Overwatch, porém, antes de ter essa oportunidade, a Overwatch se dissolveu.

Depois de deixar o exército com uma recomendação por serviços exemplares, ela recebeu uma oferta de emprego na Helix Segurança Internacional, uma firma de segurança privada, contratada para proteger a instalação de pesquisa de inteligência artificial abaixo do Planalto de Giza. A instalação ultra secreta foi apontada como vital para a segurança não apenas da região, mas também de diversos países ao redor do mundo. Fareeha ficou contente em aceitar a missão e recebeu treinamento na Raptora Mark VI, uma armadura de combate experimental, projetada para mobilidade rápida e poder de fogo devastador.

Sob o codinome “Pharah”, ela trabalha para proteger a instalação de IA. Apesar de lamentar o fim da Overwatch, ela ainda sonha em lutar pelo bem e fazer diferença em escala global.

REAPER:

Nome verdadeiro: Gabriel Reyes, Idade: Desconhecida
Ocupação: Mercenário, Base de operações: Los Angeles, Califórnia, EUA
Afiliação: Overwatch (anteriormente), Talon.

O Reaper é um mercenário extremamente volátil, um matador sem remorso ou piedade, responsável por ataques terroristas ao redor do mundo. Ele lutou em muitos conflitos armados nas últimas décadas, sem demonstrar qualquer lealdade a nenhuma causa ou organização.

Sobreviventes descreveram uma sombra negra, vagando como fantasma pelos campos de batalha mais infernais. Os poucos corpos recuperados daqueles que ele assassinou são pálidos, vazios e sem vida, com suas células apresentando sinais intensos de degradação. É possível que ele seja o resultado da falha de um experimento genético, que força suas células a se degenerarem e regenerarem simultaneamente, em uma velocidade ultra acelerada.

Aqueles que têm tentado rastrear seus movimentos começaram a enxergar um padrão em suas aparições. Eles acreditam que Reaper está caçando antigos agentes da Overwatch e os eliminando sistematicamente.

SOLDADO: 76:

Nome verdadeiro: Jack Morrison, Idade: Desconhecida
Ocupação: Vigilante, Base de operações: Desconhecida
Afiliação: Overwatch (anteriormente).

Soldado: 76 se revelou em uma série de ataques ao redor do mundo, que tinham como alvo instituições financeiras, corporações sombrias e instalações da Overwatch. Apesar de para o mundo suas motivações serem desconhecidas, há quem afirme que ele é um ex-agente da Overwatch, determinado a trazer à tona a conspiração que derrubou a organização.

Seu passado continua um mistério, mas acredita-se que ele foi treinado como um membro do “programa de aprimoramento de soldados” dos Estados Unidos. Ele possui capacidades físicas que excedem as de um soldado convencional, assim como outros aprimoramentos que fazem dele um combatente sem rival. Ele também possui um arsenal de ponta, do qual grande parte foi roubada da Overwatch em suas invasões.

Implacável em sua busca para encontrar aqueles responsáveis pela queda da Overwatch, Soldado: 76 tem como objetivo de vida trazê-los à justiça.

SOMBRA:

Nome verdadeiro: ░░░░░░ , Idade: 30
Ocupação: Hacker, Base de operações: Dorado, México
Afiliação: Talon, Los Muertos (anteriormente).

Muito antes de assumir o nome de “Sombra”, ░░░░░░ era uma das milhares de crianças que ficaram órfãs após a Crise Ômnica. Com muita da infraestrutura de seu país destruída, ela sobreviveu utilizando seus dons naturais de computação como hacker. Depois disso, ░░░░░░ foi acolhida pela gangue mexicana Los Muertos, os ajudando em sua revolução pessoal contra o governo. Los Muertos acreditavam que a reconstrução do México havia favorecido os ricos e mais influentes, deixando para trás os mais necessitados.

Após tantas conquistas, ░░░░░░ estava plenamente confiante de suas habilidades, mas foi pega desprevenida quando esbarrou em uma rede de conspiração global, que também a percebeu. Com sua segurança comprometida, ░░░░░░ foi forçada a excluir todos os rastros de sua existência e se escondeu.

Ela mais tarde ressurgiu como Sombra, melhorada e determinada a descobrir a verdade por trás da conspiração que ela descobriu. Sombra lançou ataques cibernéticos ainda mais audaciosos e conseguiu com suas explorações conquistar muitos admiradores, incluindo a Talon. Ela se juntou à organização e acredita-se que contribuiu para ataques cibernéticos maciços contra corporações com fortes laços governamentais. Essas façanhas incitaram uma revolta popular no México contra a LumériCo e violaram a segurança das Indústrias Volskaya, a indústria russa responsável pela manufatura da defesa anti-ômnica.

Agora, junto a Talon e seus recursos abundantes, Sombra pode focar em seu objetivo real: expor a conspiração e usar este poder para seus objetivos pessoais.

TRACER:

Nome verdadeiro: Lena Oxton, Idade: 26
Ocupação: Aventureira, Base de operações: Londres, Inglaterra
Afiliação: Overwatch (anteriormente).

Lena Oxton (codinome: “Tracer”) foi a pessoa mais jovem a ser introduzida no programa de voo experimental da Overwatch. Conhecida por suas habilidades de voo destemidas, ela foi escolhida a dedo para testar o protótipo de um caça teleportador, o Slipstream. Mas, durante seu primeiro voo, a matriz de teleporte do avião sofreu um defeito e ele desapareceu. Lena foi dada como morta.

Ela reapareceu meses depois, mas seu incidente causou uma grande mudança nela: suas moléculas foram dessincronizadas pelo fluxo do tempo. Tendo sofrido uma “desassociação cronológica“, ela era um fantasma, desaparecendo por horas e até mesmo dias. Mesmo nos breves momentos em que ela estava presente, ela não conseguia manter uma forma física.

Médicos e cientistas da Overwatch ficaram perplexos e o caso da Tracer parecia não ter esperanças, até que um cientista chamado Winston projetou o acelerador cronológico, um dispositivo capaz de manter Tracer ancorada no presente. Além disso, ele deu a Tracer a habilidade de controlar seu próprio tempo, permitindo a ela acelerar e desacelerar o tempo à sua vontade. Com suas novas habilidades, ela se tornou uma das agentes mais eficazes da Overwatch.

Desde a dissolução da Overwatch, Tracer continua corrigindo malfeitores e lutando pelo bem sempre que surge a oportunidade.

Chegamos ao fim da nossa primeira parte do Especial de 1 ano do lançamento de Overwatch! Confira a seguir as próximas partes do nosso especial contando a história de cada personagem do jogo:

Veja mais sobre Games