Mora, na Alemanha, uma moça chamada Sandra que conheci alguns anos atrás via internet. Eu, pessoalmente, gosto muito de conversar com ela, tanto por ser uma ótima amiga quanto pelo que aprendo com nossos bate-papos. Um dia desses, enquanto falávamos sobre eventos aos quais já visitamos, ela me contou sobre um que era bem curioso e comum na Alemanha, e acabei decidindo compartilhar com vocês. Esse tal evento é conhecido como “Feira Medieval”.

As feiras medievais podem, de certa forma, lembrar em estilo os eventos de animes e cultura japonesa que temos por aqui. Costumam ser anuais e são ótimos para quem busca uma experiência diferente, ou até mesmo para comprar diversos artigos relacionados ao período. E já que eu nunca fui a uma feira dessas, acho justo que a Sandra, através da entrevista que fizemos, explique a vocês mais sobre o assunto. Mas fica a dica: A entrevista foi feita em inglês, logo, deixo com vocês duas versões, sendo uma a versão traduzida e a outra a original, disponível no final do post. Cabe a você, caro leitor, escolher, então, a de sua preferência!

Aproveite ;D

 

VERSÃO TRADUZIDA

Eu: Vamos começar! Estamos curiosos para entender melhor esses eventos, então, poderia nos contar, por favor, sobre como as feiras normalmente funcionam? Como e onde acontecem, por exemplo?

Sandra: Bem, isso pode variar muito. Uma feira pode acontecer em uma pequena cidade histórica dentro de sua área própria para feiras livres (N/T: Marketplaces), talvez no centro de uma cidade moderna. Pode ainda ser em um lindo parque ou campo próximo a um castelo. O local, é claro, depende do tipo de feira.

Eu: Claro, mas, o que exatamente você quer dizer com “tipo”?

Sandra: Podemos classificar uma feira medieval de três maneiras diferentes: A primeira é o mercado medieval de trocas, que, de uma forma geral, é onde são expostos artesanatos antigos, como o trabalho de ferreiros ou a fiação de lãs. É um evento focado em ensinar e entreter seus visitantes. O segundo tipo é o mercado ou feira medieval clássica, e é um pouco diferente. Geralmente é de um porte maior do que o mercado de trocas e demonstra muito mais da época medieval. Assim como no primeiro caso, você verá ferreiros e tecelãs, mas também algumas tavernas vendendo alimentos típicos medievais e até mesmo alguns “impostores”, trazendo musicas e entretenimento diversificado. Neste tipo de evento pode até acontecer de se ver nobres ou cavaleiros se levantando bem do seu lado para começar um duelo de espadas. São atores que se camuflam entre os visitantes para trazer uma sensação mais realista de se estar na época medieval. Por fim, o terceiro tipo é o meu favorito. É o que muitos chamam de evento medieval fantástico. Nele, as pessoas misturam fatos históricos da cultura medieval com um pouco de fantasia tolerada, ou seja, se você quer participar ou trabalhar numa feira dessas, deve seguir a algumas regras básicas, mas a vestimenta ou o seu equipamento não precisa ser 100% autentico. Algumas coisas que não existiam no passado são, hoje em dia, “exceções toleradas” se forem de alguma forma necessárias. Ainda, em relação à fantasia, se for sortudo, você pode se encontrar com algum elfo ou até mesmo algum orc passeando pelo terreno da feira.

     

         

Eu: Ok, muitas variações, pelo que vejo! Mas, enquanto explicava sobre o segundo tipo de feria medieval, você comentou algo sobre atores. Pode nos contar um pouco sobre eles?

Sandra: Em sua maioria, são voluntários que veem os eventos como um tipo de hobby. Eles simplesmente gostam de entrar no papel de um fazendeiro pobre, um nobre rico ou, quem sabe, de um forte cavaleiro. É claro que muitas mulheres também gostam de fazer parte da brincadeira e tomam os papéis de lindas princesas ou de humildes esposas de camponeses. Fora isso, ainda existem grupos de profissionais, como pessoas treinadas em esgrima, por exemplo, que viajam de feira em feira para fazer suas atuações. Eles possuem equipamento de primeira qualidade e lutam com espadas de verdade – É incrível vê-los em ação.

Eu: Show! Então, é como se lutassem de verdade, mas só por diversão? E não é perigoso usar espadas reais?

Sandra: Bom, é um pouco de cada. Eles usam, sim, espadas reais e realmente aplicam força quando atacam o oponente, mas como são coreografias perfeitamente ensaiadas, eles erram o ataque ou se defendem com escudos ou com a própria espada. Você poderia comparar isso às lutas vistas em filmes – parecem reais, mas geralmente ninguém sai machucado.

Eu: Entendo… E, tem ainda outra coisa que você mencionou mais cedo. Você, falou que existem “exceções toleradas”. Poderia nos falar sobre elas?

Sandra: É que, algumas vezes, você simplesmente não pode evitar pequenos que pedacinhos de modernidade apareçam. Se alguém, por exemplo, usa óculos, os demais simplesmente ignorarão, contudo, de vez em quando, é necessário falar desses objetos. Teve uma vez, em uma dessas feiras, em que vi uma placa  em que se lia: “Não sobrou nenhum ouro em seus bolsos? Use como forma de pagamento o cartão mágico de Merlin”. Ainda, existem alguns impostores que trabalham com fogo, então pode ser que peçam à audiência um “dragão de bolso” emprestado caso necessitem de um isqueiro. O meu exemplo favorito desse tipo de situação é de algo que vi na minha primeira visita a uma dessas feiras. Era verão e as pessoas mal conseguiam aguentar o calor. Enquanto algumas tentavam se proteger nas sombras das arvores, um impostor medieval estava caminhando pelo mercado carregando um guarda-sol asiático com um tom de amarelo chamativo. Ao nos aproximarmos, ele simplesmente disse “Esse guarda-sol não é lindo? Ele ainda não foi inventado, mas gosto dele mesmo assim!”.

Eu: Aah, entendi! Mas me diga, o que viria a ser um impostor?

Sandra: Bem, existem diferentes tipos de impostores. Alguns são artistas solo em palcos pequeninos em algum canto da feira que apresentam truques de mágica, por exemplo. Existem também algo como “médicos”, que fazem apresentações cômicas e irônicas sobre tratamentos medicinais da era medieval e é claro, também existem diferentes bandas que tocam para o público. Sempre há algo acontecendo pela feira.

Eu: Quando você diz “sempre”, você quer dizer que pode encontrar algo a qualquer momento, certo? Ou existem eventos “agendados”?

Sandra: São sempre eventos agendados. São dispostos em palcos e horários diferentes, então, a programação normalmente traz muita variedade para que todos tenham algo de interessante para ver.

Eu: Legal! Poderia me dar alguns exemplos?

Sandra: É claro! Existem apresentações musicais, como havia dito, e também eventos históricos, como a marcha da praga ou os torneios de cavaleiros.

Eu: A marcha da praga? Uau, o que é isso?

Sandra: Como a praga foi um dos fatos mais marcantes da época medieval, decidiram incluí-las nas feiras medievais também. Começa depois do anoitecer, com algumas pessoas dizendo ao senhor feudal do evento que a praga está próxima. Então, começarão a andar pela feira pessoas com tochas e mascaras coletando entre a multidão todos que aparentam estar com a praga. Os atores estarão, nesse momento, misturados aos visitantes e, quando vierem busca-los, irão gritar e lutar, implorando para não ir… É tudo muito escuro e assustador, mas vale a pena ver, pois a atmosfera é simplesmente incrível.

Eu: E realmente parece ser! E enquanto aos campeonatos?

Sandra: Os organizadores das feiras montam competições para cavaleiros que são como as que vemos nos filmes, com plateia dos dois lados de uma arena. E então, os cavaleiros chegam montados em seus cavalos e usando armaduras reluzentes. É claro que existem os mocinhos e os vilões e estes se enfrentam em batalhas clássicas, onde cavalgam um em direção ao outro carregando uma lança. É realmente excitante e normalmente temos cerca de seis cavaleiros lutando, então temos muita ação.

Eu: Entendi! Sandra, eu gostaria de dizer que você tem nos dado muitas informações interessantes até agora, mas ainda tem uma ultima coisa me deixando curiosa. Quando você vai a essas feiras medievais, como se veste? Usa roupas comuns ou possui algo mais especial?

Sandra: Existem nas feiras muitas pessoas que vão com suas roupas cotidianas e isso é completamente aceitável, mas eu prefiro vestir algo com mais cara de época medieval, como uma saia longa, corset e capa, por exemplo.

Eu: Por que prefere assim?

Sandra: Prefiro por causa da atmosfera, faz com que eu me sinta parte da feira, parte da vida medieval que acontece por ali, sem contar que é maravilhoso como as pessoas que se vestem dessa maneira interagem entre si.

Eu: O que há de especial na maneira como interagem?

Sandra: Ah, bem, quando você cumprimenta alguém que desconhece, ou finge não gostar dela só porque é um bárbaro viking, por exemplo, você simplesmente entra no seu papel e se diverte! (N/T: Sandra me falou que o jeito de alguém pode mudar de acordo com o personagem incorporado, podendo ter variações no vocabulário, nos gestos e até nas expressões). E todos estão sempre muito relaxados e ninguém causa problema. É uma atmosfera ótima que não pode ser comparada a nada.

(N/T: visitantes geralmente frequentam e participam desses eventos por apenas algumas horas por dia. Contudo, a sensação de imersão na realidade medieval é muito mais intensa para aqueles que, como os atores, por exemplo, acampam nestas feiras. Essas pessoas abrem mão de toda a tecnologia moderna – exceto nos casos de higiene pessoal e emergências – para passar alguns dias em tendas, usando roupas e utensílios do período, cozinhando e convivendo com os demais em uma atmosfera completamente voltada à época)

Eu: Bem, Sandra, você certamente compartilhou conosco curiosidades interessantes sobre essas feiras. E, mesmo sabendo que ainda há muitos sobre o que poderíamos conversar do assunto, eu gostaria de agradecê-la por tudo. Foi gratificante e temos agora uma boa ideia sobre o que são esses mercados. Muito obrigada.

Sandra: Por nada.

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

E, é deixando, a seguir, a versão original da entrevista  que eu me despeço! Espero que tenham gostado e deixo claro que, caso ainda tenham alguma dúvida, comentário ou curiosidade que gostariam de compartilhar conosco ou com a Sandra, podem deixar um comentário aqui no post que enviarei a ela para trazer a vocês uma resposta assim que possível! Beijinhos e até a próxima!

PS: Todas as fotos deste post foram de fato retiradas nas feiras e, caso queiram ver mais, existem mais algumas abaixo ;*

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

VERSÂO ORIGINAL

Me: Let’s start! We are curious to understand these events better, so, could you please tell us how the markets usually work? Like, how and where they’re hold, for example?

Sandra: Well that can be very different. It can either be in a small historical town on the market place, it could be in the center of a modern city or also in a beautiful park next to a small castle. It does of course also depend on the type of event.

Me: Sure, but, what exactly do you mean by “types?”

Sandra: Well you could basically divide it into three types:

The first one is the medieval trade market. It is mostly about showing old crafts like the work of a blacksmith or the spinning of wool, so it is more about teaching then entertaining.

The second kind, the classic medieval market, is a little different: It is usually a bit bigger and it does show a larger part of the life back then. You will also find blacksmiths or tailors here, but there are also taverns selling medieval food and you might as well find some impostors making music or bringing up other styles of entertainment. Here it might even happen that some noble men or knights stand up next to you and start a fight – these actors are supposed to bring up some “real” medieval feeling.

The third kind is my personal favorite. It is what most people call a medieval fantasy event. On these events people mix the medieval facts with some tolerance and fantasy. That means that if you want to work there you have to follow the basic rules, but the clothing or your equipment does not have to be 100% authentic. Some things that did not exist back then are nowadays “tolerated exceptions” if they are somehow needed. Also you might be lucky enough to find an elf or even an orc wandering around on the market terrain.

Me: Okay, lot’s of variations, I see! But, when explaining the second type of medieval market, you said something about “actors”. Can you tell us a little bit about them?

Sandra: Mostly it’s volounteers who do this as some kind of hobby. They just like to play the role of a poor farmer, a rich noble man or a strong knight. Of course there are also lots of women who like to play the part of the beautiful princess or the humble farmer’s wife. Apart from that there are also groups of professionals, like trained sword fighters for example who travel from market to market to perform there. They have real high quality equipment and fight with real swords – it’s great to see them in action.

Me: Nice! So, it’s like real fighting, but only for fun? And isn’t it dangerous if they use real swords?

Sandra: Well it is a bit of both. They do use real swords and they really use power when striking the oponnent, but as it is a perfectly trained choreography they miss each other or block with a sword or shield. You could compare it to the fights in a movie – they look real but usually nobody gets hurt.

Me: I see… And, there is also another thing you mentioned earlier. You said that there are “tolerated exeptions”. Can you tell us about them?

Sandra: Well, sometimes you simply can’t avoid tiny bits and pieces of modern life. If somebody is wearing glasses, people will just ignore it, but sometimes you have to speak about it. There was that sign for example that I once saw on a market, saying “no gold left in your pocket? Use Merlin’s magical card payment”.

Also some impostors work with fire so it might happen that they ask the audience for a “pocket dragon” when they need a lighter.

My favourite example is something that I saw on my first visit on one of these markets. It was in summer and people could nearly not bare the heat. While some were hiding in the shade of the trees, there was that one medieval impostor walking around with a bright yellow asian-style parasol. When we came near, he simply said “Isn’t that a beautiful parasol? It has not yet been invented, but I like it!”

Me: Oh, I understand… You also mentioned impostors previously and that made me curious, what would an impostor be?

Sandra: Well there are different kinds. Some of them are solo artists on tiny little stages somewhere on the market doing magic tricks for example. There is also a “doctor” for example, who makes a funny and somehow ironic show about medieval medical treatment and there are of course different bands making music. There is always something happening on the market.

Me: When you say “always”, you mean that you can find something at any time at the market, right? Or do you mean that there are scheduled events?

Sandra: It’s always scheduled events. They are placed on different stages and times so the program usually brings up enough variety so that everybody can find something interesting.

Me: Nice! Could you give us some examples?

Sandra: Of course. There is music, like i’ve said before, and you have story events like the plague march or the knights tournament.

Me: The plague march? Wow, what would that be?

Sandra: As the plague is one of the most famous parts of the medieval times, they decided to include it in the market events. It starts after dark with some people telling the landlord that the plague is near. Then they will walk through the market with torches and masks to pick up everybody who seems to have the plague. The actors will be amongst the visitors and when they come to pick them up they will start screaming and fighting… It’s all very dark and creepy. But it’s something worth seeing because the atmosphere is just incredible.

Me: That surely sounds amazing! What about the knights tournaments?

Sandra: Well they build up a tournament area like you know it from the movies, with audience on both sides. And then the knights will appear. They are in light armor and on horses and of course you will have the good guys and the bad guys as usual. They will do a classic battle where they are riding towards each other and try to hit each other with the lance. It is really exciting and you usually have about six knights, so it’s a lot of action.

Me: Got it! Sandra, I wanted to say that you’ve been giving us lots of nice and interesting information so far, but there is one last thing I was wondering about. When you go to these markets, do you usually wear your normal clothings or do you use something more special?

Sandra: There are lots of people going there in their every day clothing and that is perfectly okay, but I prefer to wear something in medieval style, like a long skirt, korset and cape for example.

Me: Why do you prefer it that way?

Sandra: I prefer it because of the atmosphere. It makes me feel like a part of the market, a part of the medieval life happening there. And it is also great how people in medieval style clothing interact with each other.

Me: What is special about the way they interact?

Sandra: Well you greet people you don’t even know, or you pretend to not like the other person just because he’s a barbarian viking for example. You just play your role and have fun. And people are really relaxed and no one really starts making trouble. It’s just a great atmosphere that can not be compared to anything else.

Me: Well, Sandra, you have give us lots of interesting facts about these markets, even though I am sure that there is a lot more and we could probably continue talking about it for a while, I therefore wish to thank you for sharing this with us. It was really interesting and I think we now all have a good idea of what these markets are.

Sandra: You’re welcome.

Compartilhe: