Na última semana, postamos um compilado de tudo o que precisamos conhecer sobre a história da Arlequina – principalmente porque já já chegará aos cinemas o filme Esquadrão Suicida. Agora, vocês pediram e estamos atendendo: um post quentinho e super especial sobre o vilão mais carismático e, ao mesmo tempo, assustador, da DC Comics, o Coringa!

Apesar de haver diversos relatos e histórias sobre a origem do Coringa, existe uma versão que, por ser mais conhecida, acaba sendo a mais aceitável também. Essa história conta que o Coringa participou de uma tentativa de assalto a uma Fábrica de Cartas de Baralho em Gotham City, disfarçado como o então criminoso Capuz Vermelho – com mais dois comparsas.

Essa invasão e assalto fracassaram e ele acabou sendo perseguido pelo Batman. Na fuga, ele se viu cercado e próximo a um tonel de produtos químicos desconhecidos. Como um bom psicopata, o Coringa preferiu mergulhar no tonel do que ser preso pelo Cavaleiro das Trevas.

Ele conseguiu escapar livre e sobreviveu ao pesado banho químico mas, claro, com sequelas. Sua pele ficou com uma pigmentação branca esquisita e seu cabelo, completamente verde. Os músculos faciais ligados à boca foram deformados e ganhou aquele aspecto de sorriso. Ele ficou chocado, ao perceber a aberração em que se tornou e, em consequência disso, acabou enlouquecendo, tornando-se o assassino psicopata, anárquico, auto-batizado de Coringa, que todos conhecemos.

Joker

A partir dessa versão, há várias outras possíveis, que complementam ou mesmo se chocam com esta, nenhuma, no entanto, sendo jamais comprovada. O próprio vilão se diz confuso quanto ao que realmente aconteceu, como em A Piada Mortal: “Às vezes eu lembro de uma maneira, ora de outra… se eu vou ter um passado, prefiro que seja de múltipla escolha Ha! ha ha!”.

Em sua primeira aparição nos quadrinhos, em 1940, o Coringa era um ladrão de joalherias, que matava as pessoas presentes no local do assalto. Nos anos 1940 e 50 o Coringa sempre aparentava morrer, mas nunca recuperavam seu corpo. O personagem se alterou para uma versão mais amena em 1960 devido ao Comics Code Authority, que vigiava o conteúdo das histórias em quadrinhos. Ele voltou a uma versão próxima a original em 1973, quando Dennis O’Neil e Neal Adams criaram um Joker maníaco homicida obcecado com Batman.

Joker

O Coringa pós crise ficou definido como um psicopata extremamente cruel e perigoso, anárquico em praticamente todos seus atos e objetivos, sendo por isso, imprevisível. Na verdade, sua única motivação repetida é causar dor e morte a outras pessoas, em especial ao Batman e seus aliados, sempre rindo e fazendo piadas das desgraças alheias.

Ele é, oficialmente, o arqui-inimigo do Cavaleiro das Trevas, o que já é muito se pensarmos que Batman tem uma das maiores galerias de vilões dos quadrinhos. A relação de ódio entre ambos é, por sinal, única entre todos os inimigos do Homem-Morcego; Em algumas situações o próprio Coringa afirma que ele e Batman são dois andarilhos que se completam pois enquanto os outros apenas o odeiam querendo matá-lo, ou evitá-lo, o Coringa parece não querer exatamente o mesmo.

Joker e Harley

Para ler sobre a relação do Coringa com a Harley Quinn, clique aqui. Eles se conheceram no Asilo de Gotham City, quando o vilão estava internado e, bom, a relação nunca foi lá essas maravilhas. O Coringa e a Harley travaram um relacionamento extremamente abusivo e complexo, mas que vale a leitura, com certeza.

Leia mais sobre o Esquadrão Suicida

Compartilhe: