Fim de semana passado eu assisti o filme novo do Danny Boyle, Em Transe, e estou aqui para contar a vocês o que eu achei do filme. Antes de mais nada, eu queria dizer que, como um estudante de cinema, eu entendo o trabalho que dá produzir um filme e a quantidade de pessoas envolvidas no processo. Além disso, entendo que filme é uma questão meio pessoal e de gosto e que, algo que eu possa ter achado muito bom, pode ser considerado uma m* por outra pessoa. Por causa disso, eu tenho muito cuidado antes de dizer que um filme é “bom” ou “ruim”.

 

O que eu faço é: digo se gostei ou não do filme e explico por quê. Desse modo, pessoas que tenham gostos parecidos com os meus vão poder se identificar e decidir se querem ou não ver o filme. E, quem não gosta do que eu gosto poderá agir de acordo. Tendo dito isso, eu não gostei de Em Transe. O que é chato, por que esse é um filme que, pelo menos na teoria, teria de tudo para ser um dos meus favoritos.

 

No filme, acompanhamos Simon (James McAvoy, o Xavier do X-Men First Class) , que trabalha como um segurança em uma casa de leilão de obras de arte. Viciado em jogos de azar, Simon acaba se endividando profundamente e decide realizar um “inside job”. Ele então se junta a Franck (Vicent Cassel – 12 Homens e Outro Segredo) e seu grupo de ladrões para roubar um quadro extremamente valioso.

 

TRANCE2

 

O problema é que, durante o assalto, Simon acaba levando um golpe na cabeça. Ele apaga e, quando acorda, descobrem que a pancada afetou a sua memória e que ele não lembra onde escondeu o quadro. A partir daí, ele procura Elizabeth (Rosario Dawson) uma terapeuta especializada em hipnotismo. Com a ajuda dela, eles partem em uma jornada no subconsciente de Simon, para tentar encontrar a lembrança perdida.

 

Parece interessante, não é? A premissa é ótima e eu, pessoalmente, ficaria bem intrigado para ver esse filme. Eu gosto de tramas complicadas e cheias de reviravoltas e surpresas. O problema é que existem tramas complicadas DEMAIS. Ao tentar ser bem elaborado e imprevisível, o filme se tornou simplesmente muito confuso. Eu consegui entender a história, mas eu consegui entender por pouco e, simplesmente, não gostei de toda essa complicação.

 

TRANCE3

 

O entra e sai de subconscientes, a alternância entre realidade e sonho e a busca por lembranças suprimidas, seguem todo um crescendo de tensão psicológica e culmina em um clímax forçado e previsível demais. Você não sabe exatamente o que vai acontecer, mas, quando o filme  termina, você pensa “eu imaginei que algo assim fosse acontecer”.

 

Pra quem não conhece, Danny Boyle é o diretor por trás de Quem Quer Ser um Milionário e A Praia. Eu não assisti A Praia, mas eu ouvi falar que esse filme é notório pela quantidade de viradas que acontecem no enredo. Em Transe não é muito diferente, o filme é cheio de viradas e você nunca sabe o que exatamente está acontecendo ou em quem confiar. Só que eu achei que, dessa vez, o diretor foi longe demais.

 

No mais, o filme é muito bem feito. A edição é ótima, com uma pegada bem dinâmica. A trilha sonora excelente. Todos os atores estão maravilhosos (até por que, o elenco é incrível) e a Rosário Dawson ainda aparece nua.

 

Perfil Bruno

Bruno Machado

Não recomendo ver no cinema. Pode valer a pena baixar.
A favor dos nerds e contra a tirania dos kibes.
Facebook