Cada dia um doodle mais lindo para homenagear algum artista ou pessoa importante para a humanidade. Hoje o homenageado é Charles Dickens, você não sabe quem ele é? Eu explico…

 

Charles John Huffam Dickens, que também adotou o pseudônimo Boz no início de seus trabalhos literários, foi o mais popular dos romancistas ingleses da era vitoriana. A fama de seus romances e contos, tanto durante sua vida como depois, até os dias de hoje, só aumentou. Apesar de seus romances não serem considerados, pelos parâmetros atuais, muito realistas, Dickens contribuiu em grande parte para a produção da crítica social na literatura de ficção inglesa.

 

Entre seus maiores sucessos estão David Copperfield e Oliver Twist. Sua popularidade pouco decresceu desde sua morte, ele continua sendo um dos autores ingleses mais lidos e apreciados. Pelo menos cerca de 180 filmes e adaptações para a TV das suas obras documentam ainda o sucesso entre o público atual. Já durante a sua vida se tinham adaptado algumas de suas obras para o palco.

 

O seu conto Canção de Natal é talvez a sua história mais conhecida. As adaptações são inúmeras, para quase todos os gêneros de comunicação: cinema, banda desenhada, televisão, teatro, outras adaptações literárias, etc, criam um fenômeno de popularidade que transcende a obra original. Segundo alguns, esta história, patética, moralista e bem humorada, resumo o verdadeiro significado do Natal, eclipsando todas as outras histórias de Dickens sobre o tema.

 

Dickens terá tido, talvez, a esperança de ver nos seus 10 filhos o início de uma dinastia literária, pelo fato de todos terem nomes que remetem para a história da literatura inglesa. Seria, efetivamente, difícil de aproximar-se sequer do sucesso do pai. Alguns parecem ter herdado do pai de Dickens a tendência de esbanjar algum dinheiro, alguns escreveram as suas memórias, centradas, além de organizarem a sua correspondência de forma a ser publicada posteriormente. Apenas sua bisneta, Monica Dickens, seguiria seus passos e se dedicaria à romances.

 

A própria era vitoriana pode ser chamada de era dickensiana, se pensarmos na forma como foi perenemente descrita pelo autor.

 

Depois de sua morte, em 1870, a literatura inglesa tornou-se muito mais realista, talvez em reação à tendência de Dickens para o picaresco e ao ridículo. Os outros romancistas da era vitoriana que o seguiram, como Samuel Butler, Thomas Hardy ou George Gissing, demonstraram-se claramente influenciados por Dickens, ainda que sua escrita seja mais sóbria e menos melodramática.

 

Dickens continua, contudo, a ser um dos mais geniais criadores da literatura mundial de todos os tempos, sendo dificilmente superado na popularidade e acessibilidade de sua escrita.