Pode parecer besteira  mas, essa história de episódios duplos está mexendo com meus neurônios. Tem horas que eu amo, tem horas que eu, simplesmente, detesto! Tá, deixa eu explicar direitinho: eu detesto quando o episódio está em seu clímax, quando o Doctor acaba de ter uma habitual brilhante ideia, quando Clara se revela perigosa, em perigo ou quase morrendo… Quando o vilão começa a tomar uma forma, quando os mocinhos começam a ser torturados… Ou seja, quando Moffat marca em seu roteiro que aquele é o ponto alto da coisa – e resolve, não sei por qual motivo de sua vida, simplesmente, virar a página e escrever… To be continued…

Agora, eu amo quando volta a história, na próxima semana, quando vejo que não temos 45 minutos de uma só aventura e sim 90! Quando vejo que a história está sendo melhor contada porque não está desesperada pelo tempo da produção de um episódio… Quando vejo que Moffat está se especializando em criar mini filmes de Doctor Who – seguindo a tendência de outros seriados, mas esnobando criatividade com nosso anti-herói favorito! A nona temporada está brilhante, se destacando em pequenos detalhes, inserindo modernidade, mudanças impactantes e chocantes para alguns fãs, mas, mudando um conceito arcaico de que, um seriado de mais de cinquenta anos de existência, precisa ser vintage de alguma forma! To be continued…

Continuando… Esses são os dois sentimentos que a nona temporada de Doctor Who está me despertando, mas, quero saber sua opinião! Você está curtindo todas as mudanças? Fico curiosa porque, além da campanha para trazer de volta a chave sônica e acabar com os óculos sônicos, tem muita gente reclamando de outras coisas também. Como da guitarra, do título Doctor Disco, da Clara mais abusada e sendo, fatalmente, distanciada um pouquinho das tramas mais centrais do Doctor, do retorno dos vilões como se fosse falta de criatividade, enfim, todo mundo reclama de tudo na internet – mas quase não vejo gente elogiando! A BBC liberou mais orçamento para o seriado, ela está lucrando absurdos com esse fanatismo todo ao redor do globo! Tá tão maneiro que preciso ouvir mais gente que esteja amando, como eu!

Mas antes… Precisamos reclamar um pouquinho da chave sônica, não acha? kkkkkk

Não esqueça de se inscrever em nosso canal, de deixar seu like e de comentar – você ama ou detesta os óculos sônicos?

Continuando… To achando a dinâmica da temporada muito legal, adorei que no sétimo episódio, para dar mais ênfase ao ataque alienígena em todo o planeta Terra, gravaram fora da Inglaterra – ou pelo menos criaram um cenário americano né? rsss Mas achei bom demais isso porque aquele negócio de o Doctor ser o presidente do mundo, mas, só salvar e viver caindo na Inglaterra, é meio tendencioso – rsss. Por falar nisso, esse doctor ama ser o presidente do mundo! Ta aí um orgulho de ser ele mesmo que não tinha visto ainda nos doctors até agora. O fato de ser um doctor mais velho, depois de uma sequência de doctors novos, fez com que seu orgulho de ter experiência, tempo de vida e história para contar, aumentasse. Por falar nisso, estou torcendo, fortemente, para que, a próxima companion, ou próximo, ninguém sabe quem será ainda, seja muito caricata, como era Amy e como foi Rose – e nada blasè, como está sendo essa “já vai tarde” Clara Oswald.

Osgood Doctor Who

Adoro quando Osgood aparece, o seriado fica com tom mais de ficção científica do que o normal, ela tem uma presença fantástica nas histórias! O sequenciamento para trazer à tona determinados acontecimentos do passado é uma coisa que me chama muita atenção em Doctor Who, acho gostoso e torna tudo mais real. Os episódios, ou melhor, as histórias de invasão alienígena complexos, no mundo todo, são sempre as melhores – e Osgood sempre está neles! Agora, só nos resta esperar o próximo final de semana, para curtir o final dessa história e saber como o Doctor e a Clara vão se safar de mais esse problema!

E você? Do que mais está curtindo nessa nona temporada? Me conte aqui embaixo! 🙂

Compartilhe: