Começo de temporada, e com troca de Doctor, é sempre muito estranho e confuso. Claro que não deixa de ser bom, mas sempre passamos por aquela adaptação ao novo Doctor e, acredito que não só com esse, mas com qualquer seriado em começo de temporada, dá aquela sensação de uma engrenagem nova funcionando, tudo meio novo, meio “ohhhh… será que estou entendendo mesmo?”. Aí vem o Into the Dalek, segundo episódio da 8ª temporada de Doctor Who! Acho muito denso e tenso episódios com Daleks, e esse, não ficou para trás… Se já é tenso com os Daleks, imagine estar dentro de um….

E é exatamente isso mesmo que o nome do episódio sugere. Dentro de um Dalek, que foi onde o Doctor foi parar. Imaginem o Doctor salvando uma soldado prestes a morrer e encontrando a sua base. Resultado, foi teoricamente preso, afinal, a base era uma nave disfarçada e ele a encontrou, porém, como ele intitula “the Doctor” e muitos entendem como sendo médico, ele seria ‘obrigado’ a prestar serviços médicos e imagina para quem?! Sim, um Dalek que eles mantinham presos… Mas, ele era um “Bom Dalek”… E isso é completamente estranho de se assimilar!

O Doctor, se vendo nesta estranha empreitada, foi buscar Clara com o café que ele prometera a ela (com 3 semanas de atraso) e vimos Clara na escola, como sempre ela fizera, e acredito que teremos a inserção de um novo personagem, Danny Pink, o professor de Matemática que já fora soldado, e acredito que será aí o desenvolvimento da história dele, e depois de um lancezinho de romance entre Clara e Danny, ela vai com o Doctor para Aristóteles, a nave com o Dalek. Eles teriam que curar o Dalek que estava morrendo. E o Dalek não tinha reconhecido o Doctor e ainda queria exterminar todos de sua espécie… Por isso que deduziram ser ele, um bom Dalek.

É um bom, que não era tão bom assim… Depois de uma pequena aventura dentro do Dalek, ou Rusty, como ficou sendo chamado, o Doctor, Clara e os soldados que foram com eles, e encolhidos pelo o aparelho que a nave possui, justamente para isso, foi descoberto que o que causava tal bondade foram duas coisas: o vazamento de radiação existente dentro de Rusty e como isso alterou a sua essência, fazendo com que ele se impressionasse com o nascimento de uma estrela. Consertando o vazamento, o Doctor fez com que o Dalek voltasse ao normal, mas, entrando no córtex em que as memórias ficavam armazenadas, Clara fez com que Rusty lembrasse o que ele tinha visto de bom, e dá certo.

O mais interessante é que o Dalek coloca tudo em questão, a sua existência, a existência do resto dos Daleks, extermina todos eles por considerá-los algo mal. E como se deu isso? Assim que Clara conseguiu reativar as memórias boas de Rusty, o Doctor se ligou mentalmente com o Dalek, no começo, Rusty viu coisas boas, mas depois, ele acabou vendo o ódio que ele tem por sua raça, e viu como a sua raça não faz bem para o Universo. E eu achei isso muito interessante.

Pois, o Doctor perguntou à Clara se ele era um bom homem, e eu acredito que esse acontecimento fechou para a conclusão de uma resposta coerente para a pergunta. Achei muito profundo o Dalek concluir que, por mais que ele tenha tido o lapso de consciência, ele ainda não era um bom Dalek, mas o Doctor é um bom Dalek. E isso eu achei muito pesado, pois, desde o início, pelo menos do que eu vi da série atual, é dito que a essência de um Dalek é o ódio, então quer dizer que essa é a essência do Doctor, também. Talvez que ele consiga reverter para coisas boas, mas, não deixa de ser sua essência.

Acredito que este episódio marcou bem as essências, de Doctor, que, ainda não se definiu como um homem bom, mas que tenta ser, o que já uma boa parte do caminho andado, e de Clara, aquela que realmente está aí para cuidar e ensinar o Doctor, não é à toa que ela é professora. E que podemos perceber isso, com ela ensinando o que o Doctor realmente precisava ver com relação à Rusty, e confirma o pedido do 11º Doctor ao final do primeiro episódio. O homem grisalho realmente precisa dela.

E mais uma coisa, que está me deixando com a pulga atrás da orelha. Bom, como eles estavam dentro do corpo do Dalek, é claro que teriam anticorpos. Dois soldados morreram por conta deles, e apareceu um dos dois, que se sacrificou em prol dos demais, indo pro Céu, Heaven, como a Missy chama, e mais uma vez, Missy… Quem é essa mulher meu povo?!?! Não estou entendendo!!! E eu quero respostas!!!!

Sendo assim, pessoas… Admito um saldo positivíssimo para o segundo episódio da 8ª temporada. Into the Dalek mexeu com os meus brios, e me deixou triste por ver um traço de sensibilidade no Dalek, me deixou triste e eu estou ansiosa pelo próximo episódio! Aguentemos a ansiedade!!! E… Enquanto o novo Doctor não inventa seu bordão! Geronimo!

Compartilhe: