Em “Before the flood”, ou para quem preferir, antes da inundação, Doctor Who, como todos já sabiam, continuou a história que começou no episódio anterior, Under the lake, que acabou com um cliffhanger de arrepiar os cabelos, mas, é claro que o Doctor, lindo maravilhoso é mais esperto que isso, não é minha gente?!!? Este presente episódio, foi um daqueles de se dá um nó na cabeça, de um modo bom, claro, e no final, simplesmente, faz você pensar assim: “Nossa! Que genial!!!”. É minha gente, o Doctor Who começou nos deixando com aquela sensação de dúvida, para esclarecer tudo no final… Ah… Vale muito a pena comentar tudo isso, então, me acompanham?!

Quem compôs  a 5ª Sinfonia de Beethoven?!

Gente, neste episódio, o Doctor, simplesmente, SÓ CONVERSOU DIRETAMENTE COM A GENTE!!!! Só isso, meu povo!!! Ele começou questionando quem havia escrito a 5ª sifonia de Beethoven (que admito, estou ouvindo enquanto escrevo o post), pois ele mencionou o fato dele ser fã do Beethoven, e, se ele é fã e um ser que viaja no tempo, o que o impedia de ir até lá conhecer seu ídolo?! Chegando lá, perguntou a todos onde estava Ludwig van Beethoven, mas ninguém o conhecia, nem a própria família sabia de quem se tratava!!! Como o Doctor não poderia imaginar o nosso mundo sem as músicas do Beethoven, e tendo elas todas as partituras, ele as leva para o Ludwig, que as assina, e se torna Beethoven..

A história não se altera em nada, mas mesmo assim, fica a pergunta: Quem escreveu a 5ª sinfonia de Beethoven?! (aí ele toca o começo da Sinfonia na guitarra! Capaldi divo!!).

Doctor Who s09e04

É óbvio que isso não aconteceu (um máximo quando o Doctor fala isso, me lembra até todo um estudo de análise literária que tive nas aulas da pós que fiz), mas, ele falou tudo isso para falar sobre o paradoxo de bootstrap (e o melhor, ele só fala para gente: google it!), Doctor sendo fanfarrão!!! E eu fui procurar, claro e esse paradoxo consiste:  “um paradoxo da viagem no tempo em que as informações ou objetos podem existir sem ter sido criado. Após informações ou um objeto ser enviado de volta no tempo, ele recuperado no presente e torna-se o próprio objeto ou informação que foi inicialmente levado de volta no tempo em primeiro lugar”. Para que isso, veremos?!?!

Voltando no tempo…

Vimos como terminou o episódio anterior, né?! O Doctor Ghost e aquela sensação de “oh, não, o Doctor morreu, e agora, quem poderá nos salvar” (ops, referência errada), mas de repente, Cass, a tripulante surda, conseguiu ler nos lábios de Doctor que ele repetia um padrão diferente do que os demais fantasmas…Enquanto os outros fantasmas sempre repetiam aquele outro padrão de palavras que consistia em um tipo de coordenada, o Doctor repetia uma lista de nomes, que mais tarde, eles descobriram que era uma lista de nomes de mortos… Os que virariam fantasmas, e isso foi uma coisa muito muito tensa…

Enquanto isso, na TARDIS…

Enquanto isso, os três que conseguiram escapar, e que voltaram no tempo para ver o que havia acontecido, para tentar entender o porquê dos fantasmas e tudo mais, foram parar na Terra, em 1980, segundo o Doctor, que foi quando eles encontraram a nave… E Doctor perceber que é uma nave funerária, que o primeiro fantasma era um tipo de coveiro, vamos dizer, assim, e que o corpo do Big Fish, porque, o próprio coveiro diz que o Big Fish, o alien a ser enterrado escravizou seu planeta, mas, por problemas de quem domina quem, lá, ele acabou dominado e morto em batalha, e, como rege o costume, seu corpo teria que ser enterrado em terreno estéril e selvagem, no caso da Terra.

Doctor até pensou ser o coveiro que fez tudo aquilo para se produzir fantasmas coordenadas, mas, na verdade, era o Big Fish, coisa que percebemos quando o próprio gravou aquela inscrição na parede da nave e, em seguida, matou o coveiro. Na verdade, Big Fish colocou essas coordenadas para libertá-lo. Foi uma conversa muito interessante entre ele e o Doctor, que estava disposto a não se salvar da morte, para consertar o futuro. E para mim, teve muito de Wibbly Wobbly Timey Wimey stuff neste episódio…

Doctor who before the flood

Doctor veio para cá com dois tripulantes, Bennet, e O’Donnell, moça esta que sabia muito do Doctor, além de ter feito referência à Rose, Martha e Donna (choquei) e vibrou secretamente com o amigo (It’s big on the inside, it’s big on the inside!!!), mas ela morreu, infelizmente, virou um dos fantasmas coordenadas e quase acabou com planos de Clara e Doctor… E mais coisas Wibbly Wobbly, porque teve um momento que o Doctor de 1980 conversou com o Doctor fantasma… Sim, estranho, pessoas… Mas, é o que eu digo, Wibbly Wobbly…. Vai sempre pelo Wibbly Wobbly!!!

Doctor who companions

E o dia foi salvo…

Graças a ideia que Doctor teve… Com o tempo, ele consegue encaixar tudo, ele manda Bennet de volta, com a TARDIS para o tempo que eles saíram e ele volta com a cápsula em que estava o Big Fish (fazendo gracinha, pedindo para não beijá-lo, por conta do “bafo da manhã”) e tudo se resolve…. Considerando as coisas, Doctor esclarece à Clara que seu fantasma era um holograma, como fora feito dela no episódio anterior, por isso que ele pôde se salvar, e por conta disso que tudo de para se resolver… Ele usou os óculos sônicos para apagar a inscrição do cérebro deles e os fantasmas, a UNIT daria um jeito…

Clara Oswald

Fatos interessantes

Não sei se isso só me intriga ou até me incomoda um pouco, mas, tudo o que Doctor anda fazendo, é pela Clara… E o que isso quer dizer?! Tudo bem, percebe-se que a relação dos dois está muito mais orgânica e as coisas fluem muito melhores… Não sei se devo aceitar que está tudo bem ou desconfiar consideravelmente!!! Outro fato é… Foi feita referência à Rose, Martha e Donna, achei isso lindo!!! Só para falar que foi lindo, perdão, pessoas!!! E outra coisa, quando o Doctor descobriu que ele morreu (antes de sacar o lance do holograma), ele falou que tudo bem ele morrer, essa regeneração tinha sido um erro mesmo, então tudo bem… O que ele quis dizer com isso?! Indícios de que ele vai sair?! O que vocês acham?! Falem para nós!!! Até a próxima!!!

Compartilhe: