Consumido no mundo inteiro e adorado por pessoas de todas as idades, o chocolate teve sua origem nas civilizações pré-colombianas da América Central. Mas, a partir do período do descobrimento, a matéria prima foi levada para a Europa, onde se popularizou, especialmente a partir dos séculos XVII e XVIII. E é esse amor pelo doce que guia Paixão por Chocolate. O romance de Care Santos, uma das autoras de infantojuvenis mais lidas da Espanha, apresenta três mulheres de diferentes épocas: Sara, Aurora e Mariana. Inicialmente, suas histórias não parecem ter uma correlação. O único objeto que as conecta é uma chocolateira feita da mais fina porcelana branca que passa de mão em mão ao longo dos séculos.

Na primeira parte do livro, o leitor conhece a história de Sara e Max, um casal aparentemente feliz, mas cuja relação mostra sinais de desgaste. Sara é proprietária de uma das confeitarias mais tradicionais de Barcelona, legado de sua família. A segunda história retorna para o século XIX onde vive Aurora, uma órfã, adotada pela família que empregava sua mãe. Porém, para a jovem, chocolate era um alimento proibido. Cem anos antes, em meados do século XVIII, vive Mariana, esposa de um famoso fabricante de chocolate e inventor de uma máquina capaz de ajudar na produção do cacau. Quando se torna viúva, ela precisa proteger a invenção do marido daqueles que só querem lucrar com ela.

Paixão por chocolate já teve os direitos de publicação comprados por nove países. O livro conduz o leitor a uma viagem desde a chegada do cacau à Europa até as melhores produções do produto no século XXI. Ao mesmo tempo em que traça a linha do tempo do chocolate, o leitor ainda tem como cenário, Barcelona. “Paixão por chocolate” é um romance com aroma e sabor que vai deixar os leitores viciados.

Paixão por Chocolate

Care Santos é crítica literária do suplemento “El Cultural” do jornal El Mundo e colabora para diversos veículos de comunicação. Publicou 11 romances, seis livros de relatos, além de inúmeros títulos infantojuvenis. Com Francesc Miralles, é coautora de “O melhor lugar do mundo é aqui” e também escreveu “Quartos fechados”, traduzido pra mais de 15 idiomas e adaptado para a TV.

Compartilhe: