A autora Kelly Hamiso apostou em um enigmático título para a obra. De origem tibetana, a palavra “padma” tem em seu significado a “Flor de Lótus”, uma espécie de planta aquática que cresce em meio à lama e ao lodo e está relacionada ao crescimento espiritual e a pureza do coração e da mente.  Em países do Oriente, a flor de lótus é considerada sagrada, possuindo, assim, grande importância cultural.

A metáfora, manifestada dentro da obra de Kelly Hamiso, pode ser relacionada à pureza do sentimento entre os protagonistas Jéssica e Beto. Mas, há de se destacar que Padma não conta apenas uma história de amor, o livro traz na moralidade de seu conteúdo assuntos como esperança, superação, o amor como condição e o desejo de mudança. Mudança esta, que simbolizada pela flor, garantiu a evolução mútua dos personagens, além de assegurar um enredo emocionante.

Em Padma, um jovem casal precisa enfrentar as barreiras do tempo, transgressões, inveja e desafetos para conseguirem ficar juntos, além de encarar a presença de seres sobrenaturais que, ao possuírem influência dentro da história, conduzem os personagens às decisões que afetarão seus destinos.

Kelly garantiu ao leitor um desfecho excepcional para esta obra, e é a escolha certa para quem quer viver uma verdadeira e intensa história de amor.

Sobre a autora:

Kelly Hamiso nasceu na capital de São Paulo em 7 de setembro de 1978. Desde os treze anos (apesar de achar que foi muito antes disso) adora escrever, criar histórias e personagens, sempre compartilhando suas aventuras e seus amigos imaginários com sua melhor amiga Sheila. Cursou Letras na UNIFIEO, casou-se aos vinte e três anos e tem um filho, com quem também divide suas histórias. Dois de seus contos, “Chocolate e Água Mineral” e “Segredo de Lourdes”, podem ser conferidos no site www.kellyhamiso.com.br, além de outras paixões.

Compartilhe: