E cá estava eu pensando em alguma coisa diferente para postar no dia do rock. Não queria colocar clássicos, muito menos bandas novas… Então resolvi colocar as bandas mais divertidas de rock! Vem comigo e vamos comemorar, e com muito estilo, esta data super especial! Aperta o PLAY!!! Elas têm algo em comum: Zoam o próprio estilo que tocam. E por isso estão nesse post. Para provar que rockeiro também sabe rir, e principalmente, rir de si mesmo. A primeira banda desse naipe que vem na minha cabeça é o Spinal Tap. Eles conseguiram, há muito tempo zoar todo mundo ao mesmo tempo! Van Halen, Poison, Kiss…

Todo mundo foi vítima do Spinal Tap:

Eles estavam muito a frente de seu tempo. Teve muita lenda do rock “chateada” com o Spinal Tap. Gente do naipe de Steven Tyler e Eddie Van Halen. Algo que você notará em todas essas bandas postadas é que todos realmente tocam os instrumentos e alguns de forma brilhante. Uma pessoa conseguir unir talentos tão difíceis como “ser comediante e músico” realmente é algo notável.

O Spinal Tap teve um documentário, ou o documentário teve o Spinal Tap, não sei ao certo, que é igualmente engraçado, bem feito e pouco conhecido. Seguindo a linha dos amigos acima, porém com o apoio de Hollywood, temos o amigo Jack Black. Esse gordinho, junto com seu amigo, Kyle Gass , lançaram álbuns e um filme chamado The Pick of Destiny. O primeiro single “tribute” é um musicão e já mostra um pouco da genialidade da dupla:

O Tenacious D só foi se tornar uma banda de verdade numa turnê para promover o filme. E nesse meio tempo, eles fizeram a jóia da carreira deles: Kickapoo – que conta a história da maioria dos rockeiros. O diferente, as vezes oprimido pela religião, dito como rebelde, sai no mundo atrás de seu sonho. Jack e Kyle conseguem cantar isso de forma brilhante:

A participação de Dio, literalmente, é divina! Em terras tupiniquins, quem conseguiu fazer barulho indo por esse caminho foi o Massacration. Oriundo do saudoso Hermes e Renato, o Massacration pegou um pouco de Spinal Tap, de Tenacious D, Manowar, Metallica e… Brasil. O resultado é algo como The Bull:

A preocupação com os detalhes, os “easter eggs” são os destaques do Massacration. A “tradução” de algumas palavras do português para o inglês, os agudos, os solos, as piadinhas que só os metaleiros vão entender.Vale lembrar que Bruno Sutter , vocalista e humorista, também canta (ou cantava) numa banda cover do Death! O talento dos caras é inegável. O clássico do Massacration é uma ode a cultura metaleira, e a relação dessa cultura com o mundo externo, principalmente a cultura predominante no Brasil:

Na onda de jogar tudo no caldeirão e ir misturando, coloque na panela o Fat Jack Black, os vilões dos Power Rangers e Heavy/Trash Metal. Aí você coloca o elemento X das meninas superpoderosas e pá! Sai o GWAR.  Quem acompanha os posts também deve ter percebido que as fantasias parecem com as do pessoal do Lordi e logicamente, Kiss. A ideia é essa: Zoar as bandas que usam fantasias nas apresentações. E o som é de ótima qualidade:

E para finalizar com chave de ouro: Steel Panther. O ápice que alguém pode chegar mangando (aqui em Alagoas, “mangar” é o mesmo que “zoar”) do hard/glam rock. Sério, eu queria tocar no Steel Panther:

Se você conhece alguma banda nessa linha, odiou alguma delas e tá tirando a cueca ou a calcinha pela cabeça, e quer manifestar isso para o mundo ou simplesmente quer dar sua opinião, deixe um recado em contato@coxinhanerd.com.br e nossa secretária eletrônica irá responder!

Compartilhe: