Quando falamos no dia 31 de outubro, em que pensamos?! Hein?! Claro, no Dia das Bruxas, ou se preferirem chamar, no Halloween, evento cultural, este, que mexe muito com a imaginação das pessoas… Com suas várias tradições e histórias, e com o tempo, a comemoração, os truques e gostosuras, as fantasias e tudo mais… Mas, sabemos que de brasileiro não tem nada, né?

Esta data é comemorada há mais de 2.500 anos, comemoração esta que surgiu com o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão, que caía exatamente no dia 31 de outubro no calendário deles, os espíritos saíram dos cemitérios, para tomar posse dos corpos dos vivos, coisa boa de se imaginar, não é pessoas?! E para afastar os fantasmas as pessoas colocavam em suas casas, caveiras, ossos, abóboras enfeitadas, surgindo assim, uma tradição…

 

Na Idade Média, é claro que isso seria considerada uma festa pagã, sendo condenada, em que os que comemoravam, eram perseguidos pela Igreja, e condenados ao fogo pela Inquisição e este é o motivo também de ser dia 2 de novembro, o dia dos Finados, tentativa da Igreja Católica de diminuir a influência pagã na Europa Medieval.

 

Halloween

 

Hoje em dia tem pouca alusão ao motivo para  o qual realmente fora criado, guardou a tradição de ideia de morte e os disfarces para enganá-la, mas não tem mais esta tradição celta e este peso para a qual fora criada, mas persistiu, ficou mesmo, e é uma festa muito comemorada nos países de língua inglesa. Recentemente veio para o Brasil, e a comemoração não possui uma característica tão forte assim, como nos outros países que já o comemoram. Os brasileiros entraram em contato com o Halloween, por causa, principalmente da televisão e a grande influência estadunidense nos proporciona por filmes e tudo mais e por causa das escolas de inglês que faz com que os alunos comemorem… E o que aconteceu?

 

Abracadabra

 

Sim, para tentar redimir um pouco do “estrago” (se é que pode se chamar assim a influência que surgiu disso), em 2005, foi criado em caráter nacional, o dia do Saci, pois, buscaram assim, uma forma de resgatar a cultura nacional e diminuir um pouco a influência estrangeira.

 

Saci e abóbora

 

Não sei dizer se era realmente necessário isso, mas, o Saci é um ser simpático, né? Mesmo que ele seja esse capetinha que todos falam… Gosto muito dele e do folclore brasileiro como um todo… E já que o Saci está em pauta, vão aí algumas curiosidades!

 

O Saci nem sempre foi este menino negrinho que todos falam… Na verdade, ele era um garoto indígena e com duas pernas, que fazia muitas brincadeiras e adorava dar nó nas crinas dos cavalos… Mas, com a chegada dos escravos em território brasileiro, sofreu algumas alterações, tornando-se um menininho negro, que perdera uma das pernas jogando capoeira e passou até elementos da cultura africana, que seria o gorro vermelho, e o cachimbo. Ele é muito presente na cultura interiorana do Brasil, mas invadiu as cidades através da Literatura, principalmente pelos escritos de Monteiro Lobato! É ou não é carismático este Saci?!

 

Perfil Natalia

Natalia Cordeiro

Comemoremos então o dia do Saci… Personagem tão simpático, e melhor, brasileiro!
Facebook

Compartilhe: