The Saxon Stories (As Crônicas Saxônicas) é mais uma série do famosíssimo Bernard Cornwell. Até o momento já foram lançados seis livros, O Último Reino (2004), O Cavaleiro da Morte (2005), Os Senhores do Norte (2006), A Canção da Espada (2007), Terra em Chamas (2009) e Morte dos Reis (2012). Para os fãs, só existe um pequenino problema: a série é maravilhosa e o autor ainda não sabe quantos livros terão ao total. Olha que tenso.

Como todos os livros de fantasia, o começo é meio massante, já que são muitos personagens e lugares para conhecer, mas depois, conforme a leitura vai caminhando, você vai se apaixonando pela trama e, principalmente, pelos lugares descritos. São simplesmente enlouquecedores. A crônica retrata a história de Alfredo, o grande, e o seu papel nas invasões dinamarquesas que culminaram na consolidação e unificação da Inglaterra, tudo isso feito sob a visão do jovem guerreiro Uhtred.

A forma como o autor mistura romance com guerras, ficção com realidade, é fantástica. As finandeiras do destino de Uhtred fazem a trama se tornar cada vez mais interessante. Os livros contam a história de um garoto inglês que fica órfão aos 10 anos e é criado pelos vikings. Com eles o personagem aprende a arte da guerra e se torna um guerreiro forte e arrogante. Mas as fiandeiras teceram ao herói uma reviravolta em sua vida. Assim, Uhtred cai nas graças do rei de Wessex, Alfredo. Uhtred agora vive entre sua obrigação contra a Inglaterra e seu amor pelos guerreiros nórdicos. Além disso, ele ainda tem o sonho de recuperar as terras de sua família e um dia se tornar o senhor do reino de Northumbria.

É bem interessante conferir o conflito do personagem que parece não ter fim nunca. Hora ele está de um lado, ora de outro. O tema cristianismo e paganismo estão a toda hora em embate. Fia a dica de uma coleção boa de se acompanhar, não vou me empolgar e falar demais porque a graça é viver as emoções das Crônicas Saxônicas pessoalmente. Leiam e boa viagem!

Obs. De acordo com a Editora Record, o sétimo livro será lançado em janeiro de 2014 aqui no Brasil 😉