The Girl Who Played With Fire

-por , em 20/07 -
The Girl Who Played With Fire

No início da semana, assisti ao primeiro filme e comecei a escrever sobre a Trilogia Millennium – The Girl With The Dragon Tattoo e fiquei simplesmente apaixonada pela sequência. Ontem terminei de assistir ao segundo filme e preciso compartilhar com vocês minha opinião, simples assim! Bom, antes de mais nada, o filme segue o mesmo perfil do primeiro, tanto de história quanto de intensidade de informações. Curti muito. Vamos começar pela sinopse oficial…

 

Sinopse: Baseado no livro do escritor Stieg Larsson, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo. “The Girl Who Played With Fire” conta a história de Lisbeth que é acusada de triplo assassinato, e a imprensa acredita nisso. A excepção é Mikael Blomkvist, da revista Millennium, que fará de tudo para provar a inocência daquela que, dois anos antes, lhe salvara a vida…

 

milennium

 

 

The Girl Who Played With Fire (Flickan som lekte med elden / A garota que brincava com fogo) é o segundo livro/filme da Trilogia Millennium que continua contando sobre a saga de Lisbeth Salander, uma hacker profissional capaz de ir até as últimas consequências para conseguir o que quer. Para a alegria dos fãs, o famoso jornalista e pseudo-namorado de Lisbeth Salander, Mikael Blomkvist retorna à história para dar mais charme e graça às buscas desenfreadas de Lisbeth.

 

O que mais me chamou atenção neste segundo filme foi o amadurecimento da personagem principal, por mais que ela tivesse no mesmo estilo hardcore de viver e ainda escondendo-se dos sentimentos e da humanidade de uma mulher na faixa dos 28 anos. Lisbeth agora é rica, independente totalmente de tudo aquilo que a prendia em um só lugar, mas seus traumas e lembranças continuam latejando em sua mente e isso a prende a um passado nada agradável.

 

Nesta segunda parte da história entendemos um pouquinho melhor o que aconteceu com o pai de Lisbeth, quem ele era na realidade e o impacto desse passado todo em tudo o que Lisbeth tem passado desde a infância. Tudo é mostrado de forma investigativa, ou seja, vamos conhecendo os segredos dessa história junto com os personagens principais, nos assustamos junto e planejamos saídas para os momentos arriscados junto com eles. É um filme que realmente consegue fazer o inverso de um filme 3D, entramos na tela, mergulhamos na trama e nos envolvemos com os personagens. Uma capacidade que eu não via há muito tempo em filmes assim…

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você