Essa semana minha mãe chegou em casa com o livro “O Menino do Pijama Listrado” e ela não conhecia a história, o livro, o filme, absolutamente nada do título. Resolvi então compartilhar aqui um pouquinho com vocês e aproveitar para dar uma ótima dica de leitura gostosa, informativa e rápida. Espero que curtam…

Antes de mais nada, leia a sinopse oficial: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. ‘O menino do pijama listrado’ é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

O filme, que recebeu o mesmo nome do livro, foi lançado nos Estados Unidos em 2008 e contou com a direção de Mark Herman. Retratando os horrores dos campos de concentração nazistas, o filme e o livro mudam completamente sua visão sobre o holocausto e todos os horrores que ocorreram com a humanidade nesta mesma época.

O que podemos ver na história é uma imensa inversão de valores, já que Bruno, o menino livre para viver sua vida normalmente, sente inveja de Shmuel. Aos olhos do menino, o judeu tem uma vida mais alegre por ter companhia em seu acampamento. O filme busca o tempo inteiro atingir o coração de quem está assistindo e não é incomum ver pessoas chorando ao assisti-lo ou ao ler o livro.
O mais incrível que o filme conseguiu trazer para as telas é a sutileza ao tocar nos assuntos mais cruéis. O filme apresenta imagens que apenas sugerem as atrocidades e ao ver fumaças saindo de chaminés do campo de concentração o espectador soma dois mais dois e apreende todo o teor indigesto dos acontecimentos. Usando muito bem os recursos que tem em mãos, não há uma pessoa (com coração, é claro) que não se emocione com a história apresentada.
Não perca seu tempo: compre o livro ou assista ao filme, mas tenha conhecimento sobre essa belíssima obra que já encantou e mudou a vida de tantas pessoas: O Menino do Pijama Listrado.