São 20 partes do corpo humano que não necessitamos, e que estão ali vai se saber o por que. Algumas são realmente incômodas, outras passam despercebidas, mas todas elas coincidem em algo: estão sobrando em nosso corpo. Assim pêlos, cóccix e dente do siso são nada mais que sobras evolutivas… marcas do passado. Você sabia disso? Então prepare-se para conhecer uma lista de 17 partes incrivelmente desnecessárias do corpo nosso de todos os dias. Chega a ser até engraçado em alguns momentos, prepare-se para se sentir um reservatório de sobras evolutivas ambulante.

Dentes do Siso – Já não são necessários para o tipo de alimentos que ingerimos. A não ser que alguém gosta de andar mascando mato por ai. Só 5% da população tem um jogo destes terceiros molares sãos.

Músculos extrínsecos do pavilhão auricular – São os músculos que permitem a algumas pessoas moverem suas orelhas. Não têm nenhuma outra utilidade que a de transformar, em quem os tem, em atração bizarra.

Órgão Vomeronasal (ou de Jacobson) – Um diminuto buraco à cada lado do septo nasal que está unido aos quimiorreceptores não funcionais. É tudo o que resta de nossa outrora grande habilidade para detectar feromônios.

Costelas do pescoço – Um conjunto de costelas cervicais, possivelmente restos da idade dos répteis, ainda aparece em menos de 1% da população. Com freqüência provocam problemas nervosos e arteriais.

Terceira pálpebra – Um ancestral comum às aves e os mamíferos tinha uma membrana para proteger o olho e varrer os resíduos para o exterior. Do os humanos conservam só um pequena prega no canto interior do olho (justamente onde entra o cisco).

Ponto de Darwin (ou tubérculo) – Um pequeno ponto de pele grudada na parte superior de cada orelha que aparece ocasionalmente nos humanos modernos. Poderia tratar-se de um remanescente de uma formação maior que ajudava ao homem a se centrar nos sons distantes.

Músculo subclávio – Este pequeno músculo situado abaixo do ombro, que vai desde a primeira costela até a clavícula, poderia ser útil se os humanos ainda caminhassem de quatro. Algumas pessoas têm um, outras não têm nenhum, e alguns poucos têm os dois.

Músculo palmar – Este músculo longo e estreito percorre o cotovelo até o pulso e já não existe em 11% dos humanos modernos. Ele deve ter sido muito importante para pendurar-se e escalar. Os cirurgiões aproveitam este músculo para empregá-lo em cirurgia reconstrutiva.

Mamilos masculinos – As glândulas lactíferas formam-se antes de que a testosterona provoque a diferenciação do sexo no feto. Os homens têm tecido mamário que pode ser estimulado para produzir leite e inclusive para amamentar.

Músculo eriçador do cabelo – Conjunto de fibras musculares lisas que permitem aos animais arrepiar sua pelagem para melhorar sua capacidade de isolamento ou para intimidar outros animais. Os humanos conservam esta habilidade ainda que obviamente perderam a maior parte de sua pelagem.

Apêndice – Este estreito tubo muscular unido ao intestino grosso, servia como área especial para digerir a celulose quando a dieta dos humanos consistia mais em proteínas vegetais que em animais. Também produz alguns glóbulos brancos.

Pelo corporal – As sobrancelhas, evitam que o suor caia nos olhos, e a barba masculina poderia ter algum papel na seleção sexual, mas aparentemente, a maior parte do cabelo restante no corpo humano não tem nenhuma função.

Músculo plantar – Com freqüência confundido com um nervo pelos estudantes novatos de medicina, este músculo foi útil para outros primatas, que o usavam para agarrar objetos com os pés. Já desapareceu de 9% da população humana.

Décima terceira costela – Nossos parentes mais próximos, os chimpanzés e gorilas, contam com um jogo extra de costelas. A maioria de nós temos 12, mas 8% dos adultos ainda contam com um par a mais.

Útero masculino – Dentro da próstata, encontra-se um órgão reprodutor masculino não desenvolvido, lembrança do momento sem diferenciação de sexo pelo qual todo embrião passa.

Dedos do pé (menos o dedão) – O humano utiliza o dedão do pé para equilibrar-se. O resto só serve para fazer sofrer quando se choca contra a quina de algum móvel.

Cóccix – Nossos ancestrais hominídeos perderam o rabo bem antes de começar a andar. O que sobrou é o cóccix, um conjunto de três a cinco vértebras fundidas no fim da coluna dorsal. Sua única função é ajudar a manter os músculos da região estruturados, mas sua remoção não prejudica o paciente. Só serve para causar uma dor lancinante quando caímos de traseiro.

Compartilhe: