As contradições da Copa do Mundo!

-por , em 05/06 -
As contradições da Copa do Mundo!

Uma das maiores contradições da Copa do Mundo 2014, é a própria Copa do Mundo 2014. O Brasil está dividido em duas partes igualmente radicais. Um lado concorda que a Copa do Mundo nada tem a ver com os problemas sociais e o outro lado insiste em defender a ideia de que, em país de miséria, nenhum tipo de investimento em evento deve ser feito. No final das contas, ambos os lados estão completamente certos e absurdamente errados. Certos porque defendem ideais, lutam por alguma coisa, acreditam em algo maior do que uma propaganda na TV. Errados porque gritam e não escutam, batalham e não planejam, recriminam e não pensam em unir forças.

Um dos maiores acontecimentos dos últimos 50 anos do nosso país foi a manifestação do ano passado que levou, ás ruas das principais capitais, milhões de brasileiros indignados com a situação do país. Políticos de esquerda (extrema esquerda contra qualquer direita existente), cidadãos, jovens, idosos, crianças, artistas e idealizadores de tudo quanto é conteúdo se uniram em prol de um país melhor. Aproveitadores, existentes em todos os lugares do mundo, se infiltraram nessas manifestações e fizeram, da voz do povo, uma voz sem razão, sem conteúdo, irracional.

Para aumentar nossa falta de crédito, quando questionados do porque a Dilma foi eleita presidenta do nosso amado país, a maioria diz que o passado não importa, o importante é que agora, o gigante acordou. Minha opinião política, nada politizada, vai de encontro a ambos os lados dessa batalha do #vaitercopa e do #nãovaitercopa. Acredito que a maioria dos brasileiros deveria questionar qualquer tipo de radicalismo, já que, baseado em nossa própria história, ser radical não levou ninguém a lugar algum.

estadios copa 2014

Acreditamos hoje que somos um povo que busca mudanças, mas quais são essas mudanças? Acreditamos que somos cidadãos cultos e politizados, mas será que escolheremos certo o próximo governante? Já nos defendemos, antes mesmo de ir às urnas, dizendo que não temos nenhum candidato que preste – isso é um ato de covardia, não acham? Em meio à tantas dúvidas, brigas e discussões, eu chego à conclusão de que essa Copa do Mundo, cheia de contradições, se faz mais necessária do que alguns imaginam.

Como já disse, o radicalismo não leva ninguém a lugar algum. Para mudar, precisamos planejar, organizar a casa, traçar metas, você tem as suas? Você está fazendo a sua parte do dever de casa, pesquisando os partidos, lendo sobre os políticos e anotando mentalmente suas novas convicções? Ou você está criando uma imagem de politizado na internet só para se sentir parte de alguma coisa que acontece no país? Você conhece Julio Prestes? Leia sobre ele, fica a dica. Entenda o que é acreditar em um ideal. Não digo para imita-lo, digo para estuda-lo.

A Copa do Mundo de 2014 será, para sempre, lembrada como a copa das contradições. A copa que levou milhares de brasileiros às ruas, lutando por um país melhor, por condições melhores de educação e saúde. Mas será que as próximas eleições serão lembradas como as eleições que mudamos realmente alguma coisa em nosso país? Será que, nas Olimpíadas de 2016, já teremos alguma mudança grande por aqui? Como eu sempre digo, para mudar, não basta reclamar, precisa trabalhar também. Ficar na sua casa, recebendo um bolsa família e gritando pelas redes sociais que tudo precisa ser diferente, não te faz um agente da mudança. Pense nisso.

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você