A internet vem mudando a forma como nós fazemos várias coisas: como estudamos, nos relacionamentos com amigos e familiares, trabalhamos, e até mesmo como compramos. Além disso, a web também vem causando uma progressiva mudança em um dos hábitos favoritos das pessoas (especialmente dos brasileiros): assistir televisão. Como será a TV do futuro? Ou ainda, há algum futuro para a televisão? Ambas as perguntas não possuem respostas concretas; o certo é que muitas mudanças estão ocorrendo, e um processo de adaptação difícil e amplo está acontecendo.

O Youtube e os serviços de streaming de vídeo (como a Netflix e o HBO Now) transformaram a maneira como consumimos produtos audiovisuais. Esse tipo de serviço é bem mais acessível, tanto pela questão do preço mais baixo (no caso do Youtube o conteúdo é gratuito), quanto pela maior disponibilidade de conexões banda larga. Isso possibilita ver filmes online com qualidade sem que eles fiquem travando.

A internet se tornou uma saída para quem ficava preso entre a programação pobre da TV aberta e os caríssimos canais a cabo. Outra vantagem dos serviços streaming de vídeo é a portabilidade, já que esses serviços também podem ser acessados por smartphones e tablets através de aplicativos e, desde que você tenha uma conexão com a internet, em qualquer lugar.

Streaming

No caso do Youtube, vários canais disponibilizam conteúdo de qualidade abordando entretenimento, informação, humor, etc. Alguns canais possuem altíssimos níveis de audiência, com milhões de inscritos. Tamanho sucesso começa a chamar a atenção de canais de televisão, que trazem para as suas programações alguns artistas e até mesmo programas inteiros que nasceram na web. Isso foi feito, por exemplo, com vlogueiros de sucesso, como a Kéfera e o PC Siqueira – ambos não possuem mais os seus respectivos programas, entretanto. Já os atores no canal Porta dos Fundos estão dando certo na TV.

Mas, o principal expoente dessa revolução na forma como assistimos TV é, sem dúvida, a Netflix. O serviço, que ganha cada vez mais adeptos no Brasil e já é um sucesso mundial, oferece via streaming um extenso catálogo que inclui filmes, documentários, séries, shows e desenhos infantis, entre outras opções. Apesar de não contar com grandes lançamentos recentes do cinema (trunfo que ainda permanece com os canais por assinatura), a Netflix tem como principal força a sua coleção de seriados – inclusive apostando em séries originais, como as aclamadas House of Cards e, mais recentemente, Demolidor, a série mais pirateada do ano até agora.

Streaming movies

Falando em pirataria, ela é justamente outra força motor que encaminha a televisão como conhecemos para o seu fim. Como dito antes, a população com acesso a conexões de alta velocidade só vem aumentando, o que, por consequência, também eleva a pirataria. Por quê? Porque as pessoas são motivadas pelo simples pensamento “realmente devo pagar centenas de reais por canais a cabo se eu posso assistir filmes, séries e até competições esportivas de graça, mesmo que ilegalmente, no meu computador?”

Aqui, novamente, o streaming de produções audiovisuais aparece como alternativa: ele é benéfico para produtoras e estúdios, que conseguem lucrar com seus produtos, e também para o público (ex-tele) espectador, que tem acesso a filmes e séries com ótima qualidade de imagem e som pagando um preço acessível. Quer uma prova de que esse caminho parece ser o mais correto? Que tal isso: a HBO, um dos maiores canais por assinatura do mundo, lançou recentemente o serviço HBO Now. Nele, você paga uma pequena mensalidade e tem acesso aos produtos do canal em todos os seus dispositivos ligados à Internet (computadores, smartphones, tablets e smart TVs) através de streaming – inclusive acompanhando ao vivo as estreias do canal.

Movies

Muitas dúvidas ainda restam sobre como assistiremos televisão no futuro – e se assistiremos. A certeza é que os canais, tanto pagos quanto abertos, devem se adaptar, integrando a programação da TV com a Internet e oferecendo produções exclusivas. Do contrário, aquele clássico domingo em frente à televisão logo será extinto e nosso companheiro de tédio, cada vez mais, será o computador.

Este post foi uma colaboração do Ramiro Martin da Cinco TI. 🙂 Esperamos que tenham gostado. Beijos!

Compartilhe: