Pottermore! Pottermore! Pottermore!
Sim, saiu o primeiro conteúdo do site mais esperado pelos fãs da saga Harry Potter…Pottermore! 😉 Para os que conseguiram se cadastrar, já foi exibido em primeira mão o primeiro conteúdo – a história de Valter e Petúnia. Veja abaixo o texto:
A história de Válter e Petúnia
 
Os tios de Harry se conheceram no trabalho. Petúnia Evans, que sempre tinha sido amarga sobre o fato de que seus pais pareciam dar mais valor à sua irmã bruxa que a ela, deixou a cidade de Cokeworth para estudar mecanografia em Londres. Isso ajudou-a a encontrar um emprego em um escritório, onde se encontrou com Válter Dursley, que não tinha nada mágico, mas era extremamente determinado e materialista. Grande e de pescoço curto, o executivo júnior era, para Petúnia, o arquétipo da virilidade. Ele não apenas era o que Petúnia buscava, sobretudo era deliciosamente normal. Possuia um carro perfeitamente normal, e queria viver uma vida completamente normal. Depois de sair algumas vezes com ele, nas quais Válter falou principalmente sobre si mesmo e suas previsíveis idéias sobre o mundo, Petúnia começou a sonhar com o momento em que ele colocaria um anel em seu dedo.
Quando, na hora certa, Válter Dursley pediu de joelhos na sala de estar de sua mãe para Petúnia se casar com ele, ela aceitou imediatamente. A única nuvem de temor no horizonte azul de Petúnia era o que seu noivo pensaria de sua irmã, que estava então estudando o último ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Válter era capaz de ver com maus olhos qualquer pessoa que passava a maior parte do tempo usando terno preto com sapatos marrom, o que ele pensaria de uma garota que passou a maior parte do tempo vestida com uma capa e praticando magia? Petúnia não queria sequer pensar nisso.
Petúnia confessou a verdade sobre Lílian durante um encontro, aos prantos, dentro do carro escuro de Válter, em frente ao bar onde ele tinha comprado alguma coisa para comer logo após o cinema. Para Válter, como já era esperado por Petúnia, foi uma surpresa, no entanto, ele respondeu solenemente que não reprovaria Petúnia pelo fato de ela ter uma irmã tão rara, e Petúnia caiu sobre ele com uma gratidão tão violenta que a salsicha que ele estava comendo caiu sobre ele.
O primeiro encontro de Lílian com seu namorado, Tiago Potter, e o casal amoroso não foi nada bom, e a partir daí a relação foi de mal a pior. Tiago cometeu o erro de fazer graça para Válter, de mostrar isso. Válter tratava Tiago com condescendência perguntando o carro que ele dirigia. Tiago descreveu as raças de sua vassoura. Válter disse que feiticeiros supostamente viviam no desemprego. Tiago explicou o que era Gringotes, e que seus pais tinham juntado uma fortuna lá em ouro puro. Válter não sabia se ele estava brincando ou não, e ficou com raiva. A noite terminou com Válter e Petúnia deixando o restaurante irritados, depois que Lílian começou a chorar. Tiago (um pouco envergonhado de si mesmo) prometeu se reconciliar com Válter na primeira oportunidade.
O pedido de desculpas nunca aconteceu. Petúnia não quis que Lílian fosse sua dama de honra, já que ela estava cansada de sempre ficar sob a sombra da irmã. Lílian ficou bastante ressentida com ela. Válter recusou-se a falar com Tiago durante o jantar, mas ele o descreveu, de forma que Tiago pudesse ouvi-lo, como um “mágico amador”.
Depois de se casar, Petúnia tornou-se mais e mais parecida com Válter. Ela amava sua pequena casinha sob o número 4 da Rua dos Alfeneiros. Agora ela se sentia segura. Não havia objetos que se comportavam estranhamente, ou bules de chá que, de repente, assobiavam cantigas ao passar na frente, ou conversas sobre coisas que não entendia, com nomes como “quadribol” e “transfiguração”. Ela e Válter decidiram não comparecer ao casamento de Lílian e Tiago. Seu último contato com Lílian foi o anúncio do nascimento de Harry, e Petúnia jogou fora, mas sem antes lançar um olhar de desprezo.
Embora Petúnia tenha crescido com uma bruxa, ela era muito ignorante quando se tratava de magia. Ela e Válter compartilhavam a idéia um pouco errada de que eram capazes de ofuscar a magia do corpo de Harry, e na tentativa de se livrar das cartas que chegavam de Hogwarts, quando Harry completou onze anos, ela e Válter contaram com uma velha superstição que os feiticeiros não podem ir por água. Não deveriam ter sido surpreendidos quando Hagrid chegou à cabine da ilha através de um mar tempestuoso, já que, na infância, Petúnia tinha visto inúmeras vezes Lílian pular riachos e saltar de pedra em pedra para atravessar rios.

Número Quatro, Rua dos Alfeneiros

O nome da rua onde os Dursley moram é uma referência àquela planta mais suburbana, a privet bush , que faz sebes puras ao redor de muitos jardins ingleses. Gostei da associação tanto de subúrbio quanto de fechamento, os Dursley serem tão convencidamente da classe média e tão determinadamente separados do mundo da magia. O nome da área onde vivem é “Little Whinging” que, mais uma vez, soa apropriadamente paroquial e desprezivo .
Mesmo que eu descreva a casa dos Dursley como grande e quadrada, condizendo com o status de Válter de diretor de uma companhia, quando escrevo sobre ela, inconscientemente visualizo a segunda casa em que vivi quando criança, que é, ao contrário, uma casa bem pequena e de três quartos no subúrbio de Wintervourne, perto de Bristol. Fiquei consciente disso na primeira vez em que entrei na Rua dos Alfeneiros, nº 4, que tinha sido construída nos estúdios Leavesden, e me encontrei em uma réplica exata da minha casa antiga, incluindo a posição do armário abaixo das escadas e a localização precisa de cada sala. Como nunca havia descrito minha casa antiga para o designer de set, para o diretor ou para o produtor, esta foi mais uma das experiências inquietantes que filmar os livros de Harry Potter me trouxe.
Por nenhuma boa razão, nunca fui apaixonada pelo número quatro, que sempre me atingiu como um número difícil e inclemente, e é por isso que coloquei-o na frente da casa dos Dursley.
Compartilhe: