(Post sem spoiler) Demoramos, mas assistimos! Clube de Compras Dallas, filme recebedor de 03 Oscars e outros prêmios, não é somente um filme que marcou pela interpretação épica de Matthew McConaughey Jared Leto. Muito menos pelo show visual da maquiagem, mas também sobre o contraste impactante do que realmente significa descer a sarjeta e ser julgado como escória, por preconceitos verbais e físicos.

Hoje em dia, por causa da grande maioria de filmes que visa mais custo/ganho do que qualidade, somos obrigados a assistir menos histórias que não carregamos conosco em nossos pensamentos. Isso, no meu ponto de vista, não tira o valor dessas obras… Mas cinema, é dotado de riquezas artísticas e são tão pouco aproveitadas que, quando vemos um filme que passa a servir como assunto com amigos, nada mais justo do que dividir com os leitores. Curta o trailer, se você ainda não viu:

Clube de compras Dallas, começa como um filme que mostra a loucura dos anos 80 de um eletricista do interior, viciado em drogas, prostitutas e rodeio. A princípio castigado pela vida, e cercado de preconceitos suplantados pela sociedade que ele vive. Mas isso cai por terra quando descobre que é HIV positivo, e passa instantaneamente de uma pessoa querida e respeitada, para um renegado e solitário moribundo.

A maquiagem é assustadoramente fantástica, passando por diversos estágios do tratamento do HIV, pessoas afundadas em drogas muito pesadas, repito, o que foi trabalhado nos atores Matthew McConaughey e Jared Leto foi simplesmente genial!

Mas a história não para por aí! É impressionante como o protagonista (Ron Woodroof) é trabalhado para demonstrar nosso instinto mais básico do ser humano, a sobrevivência, mudando completamente sua forma de enxergar o mundo, e como é bom ver que algumas tragédias podem ser recebidas como momentos de superação. Mesmo Ron sendo um verdadeiro malandro, usando as leis contra a grande máfia farmacêutica e julgando quem deve ser ajudado, por dinheiro, você se pega torcendo pelas conquistas desse homem comum, que fez muito para termos a realidade vivida hoje, tanto nos tipo de drogas usadas no tratamento da AIDS, quanto na forma mais moderada do contato com os portadores da doença.

Me envolvi completamente, e indico a todos assistirem esse filme e depois comentar aqui o que acharam, o que mais agradou e o que ainda precisamos mudar, como sociedade.