Vamos falar de uma das coisas mais prazerosas desse começo de 2015 no mundo dos cinemas? Essa semana já saiu um review da Natalia sobre o filme Cinderela (leia aqui), mas, preciso dar meus pitacos também. Sou uma fã do mundo Disney e mesmo não tendo a bela gata borralheira como princesa favorita, preciso falar um pouquinho sobre o filme com vocês também. Eu já comente aqui em diversos posts sobre os reboots dos clássicos Disney que vão rolar, a partir deste ano, oficialmente – porque já rolaram muitos aleatórios até o ano passado! Leia tudo aqui! Mas, vamos falar da sensação que tive ao assistir ao primeiro grande clássico relançado!

Amei. Pronto. Beijos. 🙂 Gente, foi a coisa mais lindinha e emocionante do mundo, assistir Cinderela como um conto antigo, uma história para se amar e admirar. Confesso que me emocionei um pouquinho em algumas partes – isso mesmo, de sair lagriminha. Aliás, a parte que mais brilhou meus olhos foi a semelhança em detalhes simples e perfeitos com o desenho original. O Panda nunca havia assistido ao desenho original e foi de coração aberto para amar o filme e a história: e amou muito!

cinderela madrasta e irmas

Vamos começar pelo começo: os pais de Cinderela tiveram mortes tristes, deixando a filhinha cheia de bondade, generosidade e encantamento, nas mãos de uma madrasta bem sádica e duas irmãs complicadas e invejosas. A vida de Cinderela se tornou um inferno e ela passou a ser a única faxineira da casa. Um dos pontos altos dos reboots da Disney está sendo a humanização dos vilões de todos os filmes – e eles estão fazendo isso com muita excelência.

A madrasta de Cinderela passavam uma imagem distante e bem ruim, mas, depois desse filme, pudemos entender os conceitos e pré-conceitos por trás daquela maluquice toda. A mulher é bonita e, um dia, foi uma pessoa boa. As irmãs foram apenas mal acostumadas e abaladas com a morte do pai também. A diferença delas para Cinderela é a falta de generosidade em seus corações.

Fiquei apaixonada pelo figurino da madrasta e das irmãs também, muito fiel ao desenho original, mas, sem perder o toque de realidade necessário. Assistimos ao filme dublado e, só tenho uma reclamação: a dublagem não se esforçou com a madrasta – a gargalhada fatal não foi dublada e ficou notória a mudança de tom de voz. Não curti isso não.

cinderela fada madrinha

Bibidi-Bobidi-Bu, como foi incrível ver Helena Bonham (que, por sinal, já deve ter seu próprio castelo dentro da Disney), interpretando a fada madrinha, um brilho para meus olhos e coração infantil. A mulher é simplesmente fantástica, nem preciso perder muito meu tempo elogiando seu trabalho: Maquiagem impecável, interpretação fora do normal, mais uma vez e caras e bocas dignas de uma fada madrinha cheia de maluquices e bom humor. Aplausos de pé para Helena, mais uma vez, rsss.

cinderela carruagem

Preciso comentar sobre a transformação da abóbora em carruagem e dos amiguinhos animais de Cinderela que ajudam a gata borralheira a ir ao baile toda princesa. A transformação foi impressionante, real e rápida! Os brilhos da Disney dão um tom todo especial a qualquer coisa de magia né? 🙂 Amei bastante!

cinderela sapatinhos de cristal

Ah, uma pausa para falar dos sapatinhos de cristal: achei incrível a repetição de que os sapatinhos era extremamente confortáveis, mesmo sendo visivelmente duros e feitos de cristal. Isso era uma das coisas mais criticadas na história da Cinderela, o fato de que os sapatos eram super exaltados, ela corria de salto, descia escadas, dançava e tudo mais, como se fosse a coisa mais surreal do mundo. Não era magia, o sapato era confortável mesmo! Adoro magia justificada pela realidade.

dress transformation

Uma pausa para esse momento encantadoramente emocionante em que a fada madrinha joga o feitiço cheio de estilo em Cinderela e ela gira com borboletinhas e brilhos para ganhar o vestido azul lindo do baile. Posso parar o mundo da Disney e ir morar nele agora mesmo? 🙂 Imagine minha “eu” de 10 anos como ficaria nesse momento… 🙂

cinderela baile

O baile foi lindo demais, tradicional demais e igual demais ao desenho. Aliás, isso preciso completar e reforçar: a Disney se especializou em fazer adaptações da fantasia para a realidade, mudando a magia exagerada e deixando em evidência que sua vida pode ser fantástica e encantada sim, só depende de como você enxerga o mundo. Cinderela via o mundo com bondade e carisma 1000, o príncipe via seu povo com amor no coração, via o casamento como um ato de amor e não como política. Um casal desses só podia formar uma família linda e encantada né? 🙂

cinderela vestido

Adorei a dança deles, o jeitinho bem desenho animado, bem antigo, os demais convidados, todos os olhares. Posso repetir mais 10 vezes que tudo estava mágico demais. 🙂 Ainda bem!

cinderela casamento

Depois de tudo isso que nos encanta, eles ainda se casam de forma fofa! 🙂 O vestido não foi idêntico e o final também não foi 100% igual ao desenho, mas, depois de tanta coisa respeitando a nossa memória do que vimos na infância, nem nos importamos né? 🙂

E sabe o que aconteceu no final? Eles viveram felizes para sempre sim e eu fiquei bem com isso! Não encrenquem com besteira, eles são fofos juntos! Mas, ainda quero ver Alladin no cinema, ok Disney?

happy ending

Beijos e comente aqui embaixo! 🙂