A Netflix tem acertado bastante em algumas produções que entram em seu catálogo, e desta vez estamos falando do filme que chegou no último dia 6 na plataforma, O Silêncio da Cidade Branca!

O Thriller que acompanha um detetive que volta à ativa para investigar dois assassinatos que imitam crimes supostamente cometidos por um homem que está prestes a sair da prisão, está dividindo opniões entre os assinantes. Nós, já assistimos e falamos sobre ele, aqui.

Mas você sabia que o filme que foi lançado nos cinemas espanhóis em 2019 é da mesma produtora que de La casa de Papel? E que a história se baseia em um livro?

Pois bem, vem comigo que te conto tudo sobre o livro que originou essa adaptação!

 

Publicado originalmente em 2016,  O Silêncio da Cidade Branca é o primeiro da trilogia, intitulada “Cidade Branca”, inspirada em sua cidade natal. A autora Eva García Sáenz de Urturi, para conseguir se aprofundar entrou em contato com uma academia de polícia, onde realizou dois cursos de inspeção técnica dos olhos e impressões digitais.

“O pior foi a inspeção técnica dos olhos, que você tem que ver muitas fotos de crimes e foram dois meses muito intensos e técnicos, mas isso me ajudou a tornar o romance mais plausível e a escrever algo que não mexia no estômago do espectador. , Queria uma história que não derramasse sangue, mais elegante.”

 

 

Os Ritos da água é o 2º livro e acompanha o assassinato da primeira namorada de Kraken, que estava grávida e foi morta durante um ritual. O Inspetor terá que correr contra o tempo atrás de um serial Killer que imita rituais históricos em lugares sagrados.

Os Senhores do tempo é o 3º livro da trilogia e neste que é o último dessa saga, Unai López de Ayala acabará descobrindo que Os Senhores do Tempo têm muito a ver com seu próprio passado. E essa descoberta mudará sua vida e a de sua família.

Publicados no Brasil anteriormente pela editora Lua de Papel, ganhará um relançamento agora pela Editora Intrínseca em maio.

O Silêncio da Cidade Branca já está disponível na Netflix