Mais um para ler: O Ciclo da Herança!

-por , em 20/05 -
Mais um para ler: O Ciclo da Herança!

Olá Coxinhos. Hoje irei falar com vocês sobre a Saga “A Herança”. Escrita por Christopher Paolini, o Ciclo da Herança começou com o livro chamado Eragon, publicado em 2002. A coleção conta com quatro volumes, que são Eragon, Eldest, Brisingr e Herança. Vamos lá?

O continente de Alagaesia está passando por anos negros. O terrível ditador Galbatorix domina o principal reino dos humanos e mantêm a maioria das raças livres sob uma sombra de medo avassaladora. Os Vardens, uma aliança de rebeldes composta por humanos, elfos e anões, são os únicos com coragem suficiente para desafiar o rei. Mas Galbatorix é um cavaleiro do dragão, e é extremamente poderoso, de modo que eles parecem lutar uma batalha perdida.

Pelo menos até Eragon, um simples fazendeiro de Carvahal, encontrar uma estranha pedra azul enquanto se aventura pela espinha. Logo ele descobre que a pedra é, na verdade, um ovo de dragão e que Eragon é o mais novo cavaleiro de dragão, destinado a enfrentar Galbatorix e libertar a Alagaesia. Isso inicia o garoto em uma jornada que o leva para longe de casa, enfrentando perigos intensos e conhecendo lugares incríveis. Ele conhece tanto elfos quanto anões e urgals, e se torna uma peça de extrema importância na guerra que está por vir.

Cavaleiro Dragao

Durante sua jornada, Eragon não só aprende e descobre muita coisa sobre a história do reino e a origens das raças, como também aprende ainda mais sobre si mesmo, suas origens e sua natureza. Descobre o limite de suas capacidades, sobre a ligação que ele estabelece com Saphira (seu dragão) e seu nome verdadeiro. Bem, acho que, com isso, dá para ter uma boa ideia do que a história trata e acredito que consegui fazer isso sem dar muitos spoilers. Agora que já dei o resumão, gostaria de dar a minha opinião a respeito da saga:

Eu gostei. Mas achei que poderia ser bem melhor. Eu vi o filme primeiro (só fizeram o filme do Eragon e, até onde eu saiba, ninguém falou nada sobre dar continuidade à saga) e também achei o filme legal. Porém, eu esperava mais da saga. O primeiro livro é muito legal. Eragon descobre ser um cavaleiro do dragão, atravessa os reinos para se juntar aos Vardens, enfrenta inimigos formidáveis, e resgata uma princesa elfa no processo. É cheio de ação e aventura que vai deixar você querendo ver como nosso jovem herói irá superar os obstáculos.

A partir do segundo livro, acho que começa a ficar chatinho. Ele chega nos Vardens, e ai começamos a lidar com problemas políticos. Começamos a aprender muito sobre a historia do mundo e etc, o que, apesar de interessante, torna-se chato se não tiver ação no meio. A impressão que me passou é que havia muita informação sobre os reinos e as raças e que o autor não queria que muita coisa ficasse de fora. O resultado, é que Eragon ficou pentelhosamente curioso e ele fica questionando todo mundo, sobre tudo.

Então, se Eragon vai pra uma floresta de pedra no reino anão, ele pergunta pra alguém sobre a floresta e nós somos levados por 5 ou mais páginas de explicação a respeito da história e da origem da floresta. E isso é desnecessariamente chato, por que a gente não volta para lá depois. Então, aquela informação não se torna importante e é, simplesmente, inútil. Isso sem contar o livro três, Brisingr, que passamos boa parte acompanhando o processo político através do qual os anões elegem um rei. Isso, por mais que seja importante e interessante, cansa rápido e eu, pessoalmente, fiquei de saco cheio dessas partes.

O quarto livro narra o grosso da guerra, suas batalhas e o clímax onde Eragon e Galbatorix finalmente se enfrentam. Ele retoma um pouco do ritmo do primeiro livro, com mais ação e menos explicação e politicagem e, por causa disso, eu fiquei consideravelmente satisfeito com a forma que a história terminou.

De modo geral, a coleção é muito legal. A história, apesar de se estender muito, é boa e interessante e temos alguns momentos em que ficamos realmente surpresos. O passado misterioso de Eragon vai se revelando em um bom ritmo, o que é bem interessante. Além disso, os personagens são muito bem trabalhados. Desde Nesuada, a líder dos Varden, a Carn, um jovem mago do exército rebelde.

Gostaria de dar um destaque especial ao primo de Eragon: Roran. Roran não é o protagonista, ele não é um cavaleiro do dragão, mas ele é, de longe, o personagem mais f* da saga. Eu achei Roran sensacional e me pegava lendo os capítulos de Eragon “correndo” para que chegasse logo a próxima parte de Roran. Na verdade, toda a vila de Carvahal está muito bem desenvolvida. Cada personagem na vila tem sua função e seus relacionamentos e etc. Isso está muito bem construído na história e é um desenvolvimento que, como autor, eu percebo que dá um bom trabalho.

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você