Posso dizer que perdi duas horas da minha vida vendo o filme Chronicles – Poder sem Limites? Sim, eu posso, porque gosto não se discute e eu realmente não curti muito o filme não. Filminho chato, sem muito ritmo, sem muito fundamento, sem muita empolgação e sem muita explicação. Bom, para os que não assistiram ainda, já informo… CONTÉM SPOILER! Vamos à também sem sal, sinopse do filme…

 

Sinopse oficial: Em Poder Sem Limites, três amigos ganham superpoderes após ingerir uma substância misteriosa. No início, usam estes poderes para brincar com os seus conhecidos, mas com o passar do tempo passam a assumir tarefas mais difíceis, adquirindo um senso de imortalidade e impunidade. A partir daí, são forçados a avaliar conceitos éticos e morais e a traçar o limite para o uso destas novas habilidades.

 

Vamos começar do começo então, três adolescentes americanos que participam ativa e passivamente do famoso bullying em colégios dos Estados Unidos resolvem desvendar um mistério de um buraco no chão da mata que fica perto de uma festa que eles estão. Qual a melhor forma adolescente de desvendar o mistério? Entrando no buraco! Eles entram, encontram um treco luminoso que faz um barulho insuportável… O que eles fazem? Se aproximam, sangram pelo nariz e puf! Dias depois já estão testando seus poderes de telecinésia no jardim de casa.

 

Ok, os filmes de hoje são muito direcionados para os que já curtem determinados assuntos, mas também não precisa forçar a barra do “subentendido” como foi nesse filme né? Nem tudo fica a cargo da nossa imaginação e compreensão pessoal. Precisamos que o filme tenha no mínimo um contexto razoável para ser acompanhado. E aquele papo de colocar o menino que sofre bullying diário como vilão maníaco-depressivo da noite para o dia foi meio clichê também. Não curti muito não aquela maluquice toda do nada. O filme não tem ritmo convincente, parece que filmaram roteiros independentes… Como se tivessem juntado a opinião de várias pessoas sobre a mesmoa história.

 

No primeiro momento os três ficam amigos e sobrevivem saudavelmente com seus poderes. No segundo momento, eles resolvem ousar mais, mas continuam amigos e sobrevivem saudavelmente. No terceiro momento, eles se abalam, se afetam, se importam demais com suas vidas mundanas e viram pessoas malucas e obcecadas. Bom, não curti mesmo. Acho que o filme poderia ter sido mais bem aproveitado, o roteiro original merecia isso.

 

Agora, uma coisa é certa… O fato de ter terminado do jeitinho que terminou, com dois morrendo e um maluco rodando o mundo e determinado a ser solidário às causas alheias, é muito real. Foi o que eu comentei quando acabou o filme, se fosse um filme de fantasia, não teria terminado daquele jeito. Eles se tornariam um tipo de liga de alguma coisa, lutariam contra o próprio “bullyinado” ou outro vilão qualquer, mas terminaria tudo bem para todo mundo. Como esse é um filme que trata da realidade, pessoas comuns expostas à radiação (imagino eu), o fim não é “feliz para sempre”…a realidade é muito mais dura e complexa.

 

E você? Assistiu ao filme Poder sem Limites? Deixe aqui sua opinião ou comentário sobre a minha opinião. Vou gostar de ler seus comentários positivos sobre este filme…quem sabe eu não me convenço de que minha visão está completamente equivocada?

Compartilhe: