Christopher Nolan traz às telonas seu mais novo trabalho, Tenet, que, além de reunir um grande elenco, foi fundamentalmente capturado por meio das câmeras IMAX. O longa não apenas explora o formato de forma singular, mas também serviu de instrumento para o desenvolvimento de uma nova tecnologia IMAX, conferindo ineditismo técnico e visual ao projeto cinematográfico assinado por Nolan.

Há mais de uma década, Christopher Nolan foi o primeiro a utilizar câmeras IMAX para filmar um longa-metragem, e ele continua a abrir novos caminhos com as câmeras de grande formato para oferecer uma experiência imersiva aos espectadores, que os façam não apenas ver, mas vivenciar profundamente cada narrativa. Nolan, que dirigiu e roteirizou Tenet, e o diretor de fotografia Hoyte van Hoytema filmaram a maior parte da ação de Tenet com câmeras IMAX, utilizando-as mais do que em qualquer produção anterior e van Hoytema suspeita que mais do que qualquer outra produção cinematográfica.

“Rodamos quase 500 mil metros de filme IMAX, o que definitivamente quebrou nosso próprio recorde. Não posso dizer com certeza, mas ficaria surpreso se houvesse outro filme que tenha utilizado mais do que essa metragem. Algo que aprendemos ao longo dos anos: se você pode combinar uma gama de técnicas diferentes para concretizar efeitos cena a cena, é muito mais difícil para o público se desligar do filme. É muito mais imersivo”, comenta o diretor de fotografia.

Segundo Nolan, cada decisão é tomada com a ideia de uma plateia reunida em um cinema para ver o filme em uma tela grande. Isso afeta todas as escolhas que são feitas. 

Nolan revelou que o formato amplifica a experiência imersiva de cinema. 

Tenet deve chegar aos cinemas brasileiros ainda em 2020.