Olá Coxinhos. Hoje volto das minhas férias, descansado e com disposição renovada. Sentiram minha falta? Provavelmente não, mas isso não importa. É bom estar de volta. Hoje quero falar de vocês sobre Wild Cards. Antes dele escrever a série A Song of Ice and Fire (Canção e Gelo e Fogo), que deu origem ao seriado A Game of Thrones, que é uma febre mundial e que eu tenho certeza que todos vocês conhecem, George R. R. Martin já fazia muita coisa na área nerd. Entre as coisas que ele fez, ele criou um cenário de RPG para Super Heróis chamado Wild Card (Cartas Selvagens).

Essa cenário, basicamente, é um futuro depois que a terra sofreu uma invasão alienígena. Essa invasão acabou resultando na disseminação de um vírus chamado de Cartas Selvagens. Uma pequena porcentagem da população mundial é afetada por esse vírus e ganham poderes. Se não me engano, são 10%. Desses 10%, a maior parte é considerada um Deuce (que é a carta número 2 do baralho). Os deuces ganham poderes muito pequenos que, geralmente, são inúteis. Tipo a habilidade de mudar a cor dos próprios olhos, ou conseguir lamber o próprio cotovelo.

Porém, uma pequena parcela dos infectados ganha poderes incríveis. Eles são considerados os Aces (Às), e seus poderes são variados pra caramba. Desde transformar-se em animais, até invulnerabilidade a dano, ou telekineses, etc. O que você puder imaginar. Além disso, alguns Cartas Selvagens (como eles são chamados), são Jokers (Coringas), esses são como Aces, porém, seus poderes o deformaram de certa forma. Eles podem ter chifres, ou seis braços, ou asas. Enfim, Jokers são Aces que foram mudados fisicamente e, por isso, parecem com monstros. Muito deles são gente boa e procuram fazer o bem, mas sua aparência é causa de estranhamento.

E, por último, temos a Rainha Negra. A chance de alguém “tirar” a rainha negra é mínima. Mas, quando isso acontece, o vírus mata o infectado. Simples assim. Bem, além do sistema, foram feitos livros e quadrinhos dos Cartas Selvagens. Recentemente, porém, foram lançados novos romances sobre os Cartas Selvagens, abordando uma nova geração de heróis. Os livros não são escritos por George R. R. Martin, mas por um grupo de autores (cada um responsável pela criação de um ou mais personagens) e o livro foi compilado e editado pelo autor de A Game of Thrones.

Vou falar sobre um desses livros, o ‘Inside Straight”. Em um mundo  pós invasão alienígena, onde pessoas com super-poderes não é mais uma coisa tão exótica e estranha, foi criado um reality-show chamado “American Hero”, cujo propósito é eleger um novo herói americano, para representar os valores que os Estados Unidos defendem.

cartas selvagens meio

Esse reality show forma 4 equipes de 8 heróis. Cada equipe é um naipe de uma carta. As equipes ficam em suas respectivas casas e, uma vez por semana, rola uma prova em que as 4 equipes competem. A equipe vencedora é poupada pela semana, enquanto as equipes que perderam são obrigadas à eliminar um membro do grupo. Isso se repete, com alguma redistribuição de membros quando necessário, até que o novo herói americano seja decidido.

Em outras palavras, imaginem um Big Brother com super poderes. E não será muito diferente da ideia. A diferença é que, enquanto o Big Brother é um saco e as pessoas envolvidas são em sua maioria desinteressantes e só estão lá por que têm corpos bonitos, os personagens de Aces High são bem construídos e bem desenvolvidos.

Temos uma gama de personagens, que vai de Jonathan Hive (conhecido como Bugsy) que é capaz de transformar seu corpo em milhares de vespas verdes, Michelle Pond (conhecida como Bubbles), uma ex top-model que é invulnerável a ataques e que armazena energia cinética em forma de gordura (fazendo com que ela fique mais gorda a cada golpe que leva) e que libera essa energia em forma de bolhas super resistentes que ela lança nos inimigos, Drummer Boy (não lembro o nome de verdade dele), que tem seis braços e que é capaz de criar sons de bateria batendo contra o próprio peito, entre outros.

E, todo o arsenal de super-heróis não é o suficiente para justificar procurar e ler o livro, eu ainda digo que ele não se limita ao Reality Show. A premissa inicial é essa, mas o livro vai além do programa de televisão e termina com um enorme grupo de pessoas super poderosas indo pro interior de Egito enfrentar um vilão ditador chamado Jinn que vem aterrorizando o local.

Inside Straight conta com duas continuações, até onde eu saiba. Elas são Busted Flush a Suicide Kings. Apesar de serem continuações diretas no sentido de que um livro passa-se exatamente depois do outro cronologicamente, eles não são dependentes entre si, de modo que não ler um não prejudica o outro. Os livros são difíceis de encontrar. Eu achei na livraria da Travessa, e em inglês. Acho que não foi traduzido ainda. Mas acredito que deve ser fácil encontrá-los para baixar.

Compartilhe: