“Before there was the sex, before there was the city, there was just me – Carrie, Carrie Bradshaw!” Assim começou e terminou mais uma temporada de The Carrie Diaries (leia mais aqui sobre a série), um prelúdio de Sex and the City. De uma forma bem leve, mais uma página foi escrita no passado de uma das mais icônicas personagens de NY – Carrie Bradshaw. Essa temporada teve formatura, namoros, sexo, descobertas, abortos, decepções, amores e desamores e independência, um ponto bem alto na história de Carrie. Com a despedida oficial do subúrbio, a segunda temporada termina e deixa um espaço gigante aberto para tudo o que ainda vai acontecer na vida da nossa fashionista favorita.

Eu amei a segunda temporada, menos bobinha do que a primeira, claro, já que Carrie está amadurecendo e seus dramas também! Nessa temporada, nossa personagem principal perde, finalmente, sua virgindade e, pasmem, não foi com Sebastian! Os caminhos de Carrie começam a cruzar os de outras pessoas, outros ícones de sua memória e lembrança em Sex and the City. Para completar o cenário, suas amigas do subúrbio, começam a vivenciar dramas mais complexos também, e Carrie não está sempre envolvida – o que eu achei bem interessante, mostra que essas meninas conseguem ter uma vida sem ela.

the carrie diaries elenco

O casal gay mais fofo da vida de Carrie, Walt e Bennet, depois de muita luta para começar, finalmente, um relacionamento, acabam vivenciando dramas dos homossexuais da década de 1980. Walt quer um futuro, uma história, e acha que não poderá fazer nada disso se continuar vivendo como gay – naquela época nem o casamento e muito menos adoção eram permitidos para os gays. Depois de descobrir que o ex namorado de Bennet estava morrendo de AIDS, Walt pira e termina tudo, dizendo não querer morrer jovem e sonhar com casamento e filhos. Bennet sofre a separação mais do que tudo, mas no fim, o amor próprio prevalece e Walt percebe que não pode renegar sua homossexualidade. Eles terminam juntos a temporada e já posso dizer que estou super ansiosa para ver o passar das conquistas dos homossexuais ao longo dos anos.

carrie bradshaw

Nessa temporada também tivemos uma breve demonstração do que é Carrie-não-apaixonada-por-Sebastian, por mais que depois ela tenha tido uma recaída. Uma das piores características da personagem é a sua mania de planejar um futuro sempre mais intenso do que realmente deveria e isso complica sempre o meio de campo dos acontecimentos. Mas tivemos uma pequena demonstração do que seria uma Carrie mais leve, sem confiança em si mesmo e cheia de complicações e dúvidas. Bom né? Estranho seria se ela fosse decidia, perfeita e cheia de acertos desde sempre. Os relacionamentos foram um ponto altíssimo na vida dela na segunda temporada, mostrando que a forma de agir por paixão sempre foi marcante.

the carrie diaries formatura

Outro lado bem interessante foi o acompanhamento da formatura de Carrie e seus amigos, quase que uma despedida de sua vidinha mais ou menos no subúrbio do estado de NY. Agora, Mouse está indo para Harvard e Maggie vai se casar com seu namorado militar! Walt está finalmente formado, namorando Bennet e tem a aceitação de seus pais! E Carrie? Bom, Carrie terminou com Sebastian, não entrou na universidade e não trabalha mais na Interview com Larissa, que também foi demitida. Agora, ela alugou o loft de Larissa e mora junto com Samantha, que está cada vez mais linda e parecida com a Sam que todos conhecem muito bem! Estou animada para a terceira temporada e repito: o pessoal acertou muito ao decidir fazer esse prelúdio de Sex and the City – está bom demais! 😉