A CABANA É TUDO O QUE O MUNDO PRECISA HOJE EM DIA: UMA SURRA DE COMPAIXÃO!

Com certeza algum de vocês já ouviu falar no tão mundialmente famoso livro A Cabana, escrito por William P. Young em 2007, mas provavelmente agiu da mesma forma que eu havia agido antes: ficou completamente desinteressado pela história do mesmo.

A premissa do filme é a de inúmeros outros filmes com cunho religioso: alguém que sofre algum trauma imenso em sua vida e se vê desiludido em sua crença (de qualquer religião) e é posto à prova por um Ser superior para retomar sua fé.

Até aí é só um “mais do mesmo“, certo? E é justamente aí em que você se engana. Com um elenco pequeno, mas de peso, com nomes como Sam Worthington (Fúria de Titãs e Avatar), Alice Braga (Cidade de Deus e Eu Sou a Lenda) e  Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo e Histórias Cruzadas), o filme tem muito mais do que você acha que ele tem.

O filme se incia com Willie, personagem interpretado por Tim McGraw, falando sobre o impossível final de semana que seu amigo Mack, personagem de Worthington, passou com a “simples” companhia de Deus.

O filme é simplesmente um enigma que chega de forma sorrateira pelas campanhas de marketing e cinemas do Brasil e que te prende de uma forma magistral.

A forma de como a religiosidade é mostrada no filme não é a mesma utilizada em outras fórmulas de outros filmes, que podem ser considerados genéricos para o tipo.

Durante todo o filme, nós não vemos a busca da redenção própria de Mack, mas a de uma mãe tentando recuperar seu filho de uma Grande Tristeza, como é dito no filme.

Carregado de cenas emocionalmente pesadas e feitas para que você pense em sua vida como nunca havia feito antes, A Cabana é uma das diversas pérolas que chegam aos cinemas esse ano para ficar marcado para sempre.

A combinação existente entre Worthington e Spencer (que vive ninguém menos que o próprio Deus, ou Papa como é chamado na história) é de uma química perfeita, onde mais vemos uma relação entre mãe e filho que de qualquer outra coisa, mas, o que realmente faz qualquer pessoa que tenha (ou não) um coração chorar é quando a Sabedoria (interpretada pela brasileira Alice Braga) surge.

Mesmo não sendo uma super-produção como as que estamos acostumados a ver nos cinemas, o filme dirigido por Stuart Hazeldine (O Presságio) consegue ser muito superior a filmes que vimos indicados ao Oscar nos últimos anos.

Claro que também temos alguns pontos fracos (fracos, mas não negativos) como a interpretação da idol japonesa Sumire Matsubara como Sarayu, um dos três da Santíssima Trindade. Mas por outro lado temos ótimas e belíssimas interpretações, como a do isralense Aviv Alush e da incrível (e pequena) Amélie Eve.

Sem contar mais sobre a história, o filme é uma ótima oportunidade de você saber o que você precisa ouvir, ver e sentir, em seu modo, assim como esse que vos escreve ouviu, viu e sentiu (chorando até a última lágrima na sala de cinema).

A Cabana estreia no dia 06 de abril nos cinemas de todo o Brasil e sim, vale cada centavo que você poder usar nele.

Veja mais sobre Filmes

Compartilhe: