Em pensar que há algum tempo atrás a leitura no Brasil não recebia quase nenhum incentivo, a quantidade de autores brasileiros era restrita a quantidade de “idealistas” que enfrentavam o sistema para publicar seus pensamentos. Hoje a realidade é outra, temos livros, contos, blogs, histórias que nascem na cabeça de brasileiros e que estão correndo o mundo.
Essa mudança ocorreu e trouxe muitos benefícios para nossa população, somos um país mais culto atualmente, temos mais conhecimento sobre nosso lugar no mundo, não aceitamos mais aquele conceito de “terceiro mundo” sem que seja especificado exatamente sobre o que está se falando.
Ou seja, somos um povo culturalmente ativo, temos nossos concursos culturais, nossa literatura, exportamos bom autores, ótimas histórias e passaremos para nossos filhos que a leitura, a escrita e o conhecimento são a chave para se viver em sociedade hoje em dia. Ler e escrever (muito bem) se tornou a nova “caça” da humanidade.
Pensando exatamente nessa mudança, andei pesquisando sobre os livros mais lidos atualmente pelos brasileiros e veja a lista mais atualizada que encontrei, vou colocar um breve contexto sobre cada um deles para que sirva também como uma forma de indicação aos que ainda não leram.
NÃO-FICÇÃO
 
1 – Guia Politicamente Incorreto da America Latina (Editora Leya Brasil)

Che Guevara, Fidel Castro e Salvador Allende são os alvos desta vez. Utilizando a mesma fórmula que consagrou o Guia politicamente incorreto da história do Brasil – com mais de 200 mil exemplares vendidos –, Leandro Narloch e Duda Teixeira retomam alguns dos personagens e fatos marcantes da história da América Latina para mostrar que a história não aconteceu exatamente como aprendemos na escola. “Fidel Castro foi capitalista”, “Che Guevara ordenava torturas” ou “Os Incas aprovaram a dominação espanhola” são algumas das afirmações polêmicas que os autores defendem e explicam por meio de outras correntes de pesquisa histórica rejeitadas como oficiais. Com o mesmo propósito do livro anterior, o Guia politicamente incorreto da América Latina é contra regras batidas para se contar a história. E o falso herói latino-americano é o principal alvo deste livro.
 
 
2 – Feliz por Nada (Editora: L&PM)
 
“Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.” É com a força transformadora de um abraço que Martha Medeiros abre este novo livro de crônicas e é com a mesma singeleza e olhar arguto para o cotidiano que a escritora ilumina algumas das questões mais urgentes do século XXI. A destacada romancista, cronista e poeta, que já teve obras adaptadas para o cinema, para a tevê e para o teatro, fala aos leitores com a sinceridade de um amigo e materializa as angústias e os anseios da sociedade pós-tudo, que vive acuada sob o grande limitador do tempo. Nesta coletânea de mais de oitenta crônicas, Martha Medeiros aborda temas muito diversos e ao mesmo tempo muito próximos do leitor. A autora tem o dom para aproximar assuntos por vezes fugidios – como é próprio do cotidiano – de questões universais, como o amor, a família e a amizade, e criar lugares de reconhecimento para o leitor, como ao falar de Deus, dos romances antigos e novos, da mulher, de escritores e cineastas que são imortais, de se perder e se reencontrar, do que a vida oferece e muitas vezes se deixa passar. “Feliz por nada”, afirma Martha Medeiros, é fazer a opção por uma vida conscientemente vivida, mais leve, mas nem por isso menos visceral.
3 – Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil (Editora: Leya Brasil)
 
EXISTE UM ESQUEMA tão repetido para contar a história do Brasil, que basta misturar chavões, mudar datas ou nomes, e pronto. Você já pode passar em qualquer prova de história na escola. Nesse livro, o jornalista Leandro Narloch prefere adotar uma postura diferente – que vai além dos mocinhos e bandidos tão conhecidos. Ele mesmo, logo no prefácio, avisa ao leitor: “Este livro não quer ser um falso estudo acadêmico, como o daqueles estudiosos, e sim uma provocação. Uma pequena coletânea de pesquisas históricas sérias, irritantes e desagradáveis, escolhidas com o objetivo de enfurecer um bom número de cidadãos.” É verdade: esse guia enfurecerá muitas pessoas. Porém, é também verdade que a história, assim, fica muito mais interessante e saborosa para quem a lê.
 
 
4 – 1822 (Editora: Nova Fronteira)
 
Nesta nova aventura pela História, Laurentino Gomes, o autor do best-seller “1808”, conduz o leitor por uma jornada pela Independência do Brasil. Resultado de três anos de pesquisas e composta por 22 capítulos intercalados por ilustrações de fatos e personagens da época, a obra cobre um período de quatorze anos, entre 1821, data do retorno da corte portuguesa de D. João VI a Lisboa, e 1834, ano da morte do imperador Pedro I. “Este livro procura explicar como o Brasil conseguiu manter a integridade do seu território e se firmar como nação independente em 1822”, explica o autor. “A Independência resultou de uma notável combinação de sorte, acaso, improvisação, e também de sabedoria de algumas lideranças incumbidas de conduzir os destinos do país naquele momento de grandes sonhos e perigos”.
 
 
5 – Saga Brasileira (Editora: Record)
 
Da hiperinflação ao plano Real, passando pelos congelamentos, planos que não passavam de um verão e o confisco do governo Collor, Miriam Leitão mostra como os brasileiros sofreram até a estabilização da moeda. Um livro definitivo sobre a história econômica recente do país – já esquecida pelas novas gerações.
• Especialista em economia e negócios, Miriam Leitão, autora do volume de crônicas Convém Sonhar, está no dia a dia dos brasileiros através dos seguintes veículos de comunicação: O Globo, CBN, Globonews, TV Globo e, agora, também contribui para O Globo Online.
• Em 2007 ganhou o prêmio Jornalista Econômico, concedido pela Ordem dos Economistas do Brasil. Foi a segunda mulher brasileira a receber o Maria Moors Cabot Prize, em 2005. Nesse mesmo ano ganhou o prêmio Camélia da Liberdade.
 
 
6 – 1808 (Editora: Planeta)
 
A fuga da família real portuguesa para o Rio de Janeiro ocorreu num dos momentos mais apaixonantes e revolucionários do Brasil, de Portugal e do mundo. Guerras napoleônicas, revoluções republicanas, escravidão formaram o caldo no qual se deu a mudança da corte portuguesa e sua instalação no Brasil.
O propósito deste maravilhoso livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. Escrita por um dos mais influentes jornalistas da atualidade, “1808” é o relato real e definitivo sobre um dos principais momentos da história brasileira.
 
 
7 – Muito Além do Nosso Eu (Editora: Companhia das Letras)
 
A nova neurociência que une cérebros e máquinas – e como ela pode mudar nossas vidas. O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis está à frente de um estudo revolucionário capaz de transformar a experiência humana na Terra. Neste livro, ele
explica como a tão sonhada conexão entre cérebro e máquina está prestes a se tornar realidade.
 
 
8 – A Esculhambação Geral da República (Editora: Agir)
 
Com o estilo inconfundível e inimitável tão conhecido por seus leitores e ouvintes, Zé Simão mostra o lado mais engraçado do cotidiano do povo brasileiro neste novo livro. Reunindo mais de quinhentas piadas e análises bem-humoradas dos mais diversos assuntos da atualidade, como celebridades, política e futebol. Com um humor afiado, registra o lado engraçado do cotidiano e traz ao leitor um pouco do que são seus quadros no TV UOL, na Band News FM e na Folha de S.Paulo, onde faz enorme sucesso.
 
 
9 – Perda Total (Editora: Objetiva)
 
Os voos 402, 1907 e 3054 protagonizaram alguns dos episódios mais trágicos da história da aviação brasileira. As circunstâncias que envolveram cada um desses acidentes mobilizaram a opinião pública, revelaram falhas no sistema aeroviário, e revoltaram o país. A ausência de sobreviventes torna esses acontecimentos ainda mais estarrecedores.
Em cada avião, nos poucos segundos em que pilotos, copilotos e tripulantes se viram diante de seu maior desafio — a luta pela sobrevivência ?, a batalha já estava perdida. Ivan Sant’Anna, autor do impactante Caixa-preta, relata em Perda Total os meandros dessas histórias, mesclando à narrativa o rigor técnico dos fatos apurados e o toque humano dos relatos sobre as vidas afetadas pela tragédia.
“Meu relato é baseado nos laudos do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), em inquéritos das polícias estaduais e federal, nos processos que tramitam na Justiça e nas sentenças dos magistrados. Todo esse material, embora imenso, não seria suficiente para escrever este livro se eu não contasse com a colaboração de parentes das vitimas e com a ajuda de diversos pilotos comerciais (na ativa e aposentados), de peritos em desastres aéreos e de engenheiros aeronáuticos e projetistas de aviões”, atesta Ivan em seu texto de introdução.
10 – Uma Breve História do Mundo (Editora: Fundamento)
 
Um balanço da fantástica saga da humanidade, magistralmente compilada desde seus primórdios até os frenéticos dias em que vivemos.
“É como ver a paisagem pela janela de um trem em movimento”, afirma Geoffrey Blainey, um dos mais aclamados historiadores da atualidade.
Sem jamais perder o foco, Blainey vai mais além: descreve a geografia das civilizações e analisa o legado de seus povos. O leitor deve se preparar para uma viagem inesquecível: saberá como eram as noites dos primeiros nômades; testemunhará o surgimento das religiões; questionará a carnificina das guerras e acompanhará a ascensão e queda dos grandes impérios.
“Uma Breve História do Mundo” vai entrelaçando a história de um povo a outro, de forma didática e vibrante. Distante de formalismos, o livro instiga e envolve o leitor página por página, levando-o a conhecer e interpretar melhor os fatos que nos trouxeram aos dias de hoje.
 
E aí? Já leram a lista completa ou ainda falta algum? Comente aqui sobre os livros que você já leu e indique para seus amigos e para todos os Coxinhos! 😉
Compartilhe: