Você acorda um dia e o preço do tomate aumentou. No dia seguinte, os eletrônicos estão mais caros. No outro, seu ônibus não custa mais a mesma coisa, mas aquele vidro rachado continua no mesmo lugar. A cada dia somos acometidos por uma infinidade de exigências, de taxas, de juros, de impostos, de regras que nos impedem de crescer, conquistar e aprender. Devemos continuar vivendo assim?

 

A pergunta que não cala nenhum jovem é: Para que viemos, se não para melhorar tudo o que foi feito até agora? Se sentimos uma grande necessidade de desenvolver todas as áreas de estudo e informação, porque não desenvolver aquela que mais afeta o nosso crescimento? Porque deixar de lado a política, os direitos humanos, a ética e os valores errôneos que são passados de pais para filhos? Porque fingir que não vemos o que nos acontece todos os dias? Só para sermos bonzinhos, educados e respeitosos? Isso não paga sua conta do mercado no final do mês. Isso não melhora seu país, seu futuro, sua vida.

 

Tudo o que está acontecendo no Brasil é reflexo de anos de silêncio de uma população acostumada a ter pouco, a exigir pouco e a lutar por pouco. Se estamos nesta situação hoje é culpa nossa sim e é exatamente por isso que precisamos lutar, precisamos corrigir nossos erros, nossas escolhas, nossos rumos. Precisamos traçar um futuro melhor para este país. Precisamos, finalmente, abandonar a escravidão e viver uma vida mais honrada, com ações corretas do nosso governo, com líderes que lutam ao nosso lado e não que nos fazem ralar pelo bem estar deles.

 

manifestações

 

Os meios de comunicação não mostram o que acontece de verdade, os políticos e as forças militares jogam bombas de efeito moral, sem moral alguma para fazê-lo, os jovens choram, se machucam, correm, atravessam ruas e se abrigam em locais perigosos – esta é a realidade de nosso país. A mazela humana não está nas favelas, está em Brasília. O povo brasileiro humilde, que acorda cedo todos os dias para trabalhar e lutar por um salário digno e por um prato de comida para seus filhos tem honra, tem garra, tem força e tem, acima de tudo, honestidade.

 

Não se deixe enganar pelo que a mídia – comprada pelos políticos – lhe informa. Procure mais, pesquise mais, leia mais antes de acreditar em falsos testemunhos e falsos moralistas. Precisamos julgar os verdadeiros culpados pela situação do nosso país. Precisamos exigir nossos direitos. Diante de tanta reflexão nos últimos dias, acabei pensando em algumas perguntas que deveríamos nos fazer todos os dias:

 

1. Quanto nos é descontado pelo governo mensalmente no contra cheque? Qual a sua perspectiva de futuro? Quanto desse dinheiro investido você vê melhorar o dia a dia da população?

2. Quando nos é cobrado em impostos pela moradia que conquistamos com parcelas longas e que pesam no orçamento familiar?

3. Quanto nos é cobrado em impostos pelas estradas que continuam destruídas, esburacadas e completamente sem segurança?

4. Quanto nos é cobrado em impostos pela segurança pública que de nada serve diante da criminalidade encontrada em todo o país?

5. Quanto nos é cobrado em impostos pela comida que consumimos?

6. Quanto nos é cobrado pela água  e pela luz de péssima qualidade que consumimos?

7. Quanto nos é cobrado em impostos pelos eletrodomésticos, eletrônicos, roupas, passeios, remédios, tratamentos e necessidades básicas?

8. Quantas vezes você preferiu continuar trabalhando e não tirar férias, só para garantir que todas as contas seriam pagas?

9. Quantas vezes sonhou em estar ou sonhou que seus filhos estivessem em uma escola de qualidade?

10. Quantas vezes passou mal e ficou abandonado na porta de hospitais e clínicas lutando por um atendimento?

11. Quantas vezes assistiu a morte de alguém que não recebeu cuidados suficientes em uma maior necessidade?

12. Quantas vezes ouviu que um dia tudo isso ia mudar?

13. Quantas vezes ouviu que você era o futuro da nação?

14. Quantas vezes você se levantou, olhou e cansou… de novo?

 

manif

 

Este não é um momento de guerra, a ditadura não voltou e não somos um bando de inconsequentes. Na verdade, somos mais conscientes do que você, engravatado hipócrita que senta na frente do Jornal Nacional e acredita em tudo o que a mídia quer lhe fazer crer. Hipócrita são as pessoas que não tem coragem de reagir aos maus tratos, aos abusos, aos ataques políticos e às faltas de respeito. Vândalos são aqueles que invadem sua casa todos os dias para lhe oferecer juras de amor e crescimento, quando na verdade, destroem seu dinheiro, seu futuro e sua honra descaradamente.

 

Ridícula é a forma que somos obrigados a viver hoje em dia, baixo é o salário que bate em sua conta todo final de mês, pobre de espírito é aquele que é responsável por precificar a comida que sua família come mensalmente, vilão não é quem canta o hino nacional nas ruas lutando por melhoria. Vilão é quem te mata aos pouquinhos com um sorriso no rosto e recebendo aplausos enquanto o faz. Pense em tudo o que você passa no dia a dia e reflita profundamente sobre o Brasil que está construindo para os que ficarão… Se você tem o mínimo de vergonha nesta tua cara pálida, indígena, negra, amarela, parda ou qualquer cor que seja, levante esta bunda do sofá e LUTE.

 

Perfil Coxinha

Coxinha Nerd

CANSADA, APENAS.
A favor dos nerds e contra a tirania dos Kibes.
Facebook | Twitter