O Movimento #BlackLivesMatter que tem repercutido recentemente nos veículos de mídia e redes sociais, por conta da violência arbitrária contra os negros, não é algo recente.

Ele surgiu em 2012, com um caso chocou os EUA, quando o vigilante George Zimmerman matou a tiros o adolescente Trayvon Martin. Muito semelhante com o que aconteceu dias atrás com George Floyde, ao ser “enforcado” com o joelho por um policial branco.

Na época, um mês depois, milhares de pessoas foram às ruas e se reuniram na Union Square, em Nova York, pedindo justiça. Em 2020, o clamor por justiça se repete, mas seguida por uma onda que tomou todo o mundo.

hoje, não só os EUA pedem justiça, o Brasil faz parte do movimento, a Europa, e tantos outros locais do mundo, em meio a uma pandemia, saíram de suas casas, para que essas vozes possam ser ouvidas, e não mais silenciadas.

Em 2012, quando surgiu o movimento, ele foi considerado o maior, os jornais noticiavam que “Há 40 anos os EUA não assistiam a tamanha mobilização por justiça racial”.

A revolta provocada pela absolvição de Zimmerman, no ano seguinte, ganhou expressão numa hashtag que ecoou com uma mensagem simples e óbvia: Black Lives Matter, que em português quer dizer Vidas Negras Importam.

O slogan surgiu de um post da ativista californiana Alicia Garza. Ela então se juntou a Patrisse Khan-Cullors e Opal Tometi para criar uma plataforma digital, esta se tornou uma campanha, depois uma organização e, finalmente, um movimento.

A organização tem hoje, 40 filiais pelos Estados Unidos. Ela faz parte, juntamente com outros grupos, frentes de luta específicas, como aquela que conseguiu tornar público o acesso às investigações de crimes envolvendo policiais, na Califórnia.

Estejamos diariamente abertos a aprender, se conscientizar e se reeducar, para que assim, possamos repassar nossos aprendizados da melhor forma e conscientemente.

No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.” – Martin Luther King

Que façamos do momento atual, uma luta diária.

LEIA MAIS SOBRE MUNDO