Eu tenho dois cachorros fofos, a Leia e o Luke e os dois são bigodudos demais! Na primeira vez que tosamos o Luke (a Leia não precisa de tosa) na pet shop, não reparamos muito bem o que exatamente a moça cortou, mas depois vimos que ele estava meio incomodado no rosto. Percebemos então que ela havia tosado seus bigodes e, por serem pelos mais grossinhos, já imaginávamos que não deveriam ser cortados de jeito nenhum. Algumas pessoas sabem e outras não, sobre essa particularidade dos cães, por isso resolvemos pesquisar direitinho os motivos pelos quais não podemos cortar os bigodinhos e compartilhar com vocês. Vocês sabiam?

Os bigodes podem ajudar a obter características do ambiente, eles ajudam o faro nessa atividade. Os bigodes são chamados de vibrissas, e existem folículos na base deles que é repleto de terminações nervosas sensoriais. Eles são altamente sensíveis a mudanças nas correntes de ar, ou seja eles ajudam a perceber mudanças no ambiente, como saber a velocidades e a forma dos objetos próximos. Vários mamíferos utilizam esses bigodes para saber se cabem em espaços pequenos. Por exemplo, ratos, focas, morsas usam eles para localizar comida, resta-se saber se os cachorro também utilizam eles para essa finalidade, já que não existem muitos estudos sobre isso.

Você já conhece nosso cãozinho Luke? Veja abaixo:

Comente abaixo o que achou dessa matéria e se curte ver novidades sobre animais por aqui! Beijos e até a próxima! 🙂

Compartilhe: