O autor inglês Will Ellsworth-Jones encarou uma missão difícil: fazer uma biografia sobre uma pessoa que nunca deu entrevistas pessoalmente, nunca apareceu em público e tem uma legião de amigos fiéis que nunca entregou sua identidade. Mas, ao mesmo tempo que é tudo isso, o grafiteiro Banksy tem assessoria de imprensa, se preocupa com a imagem e tenta controlar o que é publicado a seu respeito – segundo o autor, a assessoria de Banksy tentou ter acesso à biografia antes da publicação, o que foi negado prontamente. E a ideia do autor é passar longe da tentação de revelar a identidade do artista. O foco é no trabalho e na forma como ele é feito, na capacidade que Banksy tem para organizar eventos de grafite e invadir museus para colocar obras sem nunca ter sido descoberto.

Por Trás das Paredes dá uma geral também no universo do grafite e das pichações na Inglaterra – mais precisamente em Bristol – e, por opção do autor, todos são chamados de “grafiteiros”, inclusive os que se dedicam apenas a deixar seus rabiscos nas paredes e nos muros. O universo marginal da arte urbana é retratado com relatos de prisão de grafiteiros britânicos ao mesmo tempo que outras administrações já conseguem enxergar as pinturas nos muros como arte.

banksy capa

Para alguém que evita os holofotes a ponto de ocultar seu nome verdadeiro, nunca mostrar o rosto e nunca dar entrevistas a não ser por email, Banksy é notavelmente famoso. Em sua cidade natal, Bristol, uma exposição de seus trabalhos teve filas diárias de três horas para entrar, durante três meses. Sua arte de rua em Londres motiva atualmente a publicação de livretos-guias e a organização de excursões. Suas obras são vendidas em leilões por centenas de milhares de libras. Seu enigmático documentário Exit Through the Gift Shop [Saída pela Loja de Presentes] foi indicado ao Oscar. Ultimamente, a súbita aparição de um novo Banksy na parede de algum prédio torna-se um evento comentado nos noticiários da televisão britânica.

Mas quem é essa figura? Como se tornou o que é hoje? O que estimula esse artista? Até onde podemos conhecer e compreender alguém que se esforça tanto para se manter à distância? Aqui, neste primeiro relato completo da carreira de Banksy, Will Ellsworth-Jones reúne as diversas peças e mostra como, no espaço de apenas uma década, alguém cujo trabalho era considerado por muitos como mero vandalismo tornou-se uma espécie de tesouro da Grã-Bretanha.

Ellsworth-Jones conversou com conhecidos e adversários grafiteiros, e descobriu a extraordinária lealdade ainda sentida mesmo pelas pessoas que trabalharam com Banksy em seus desconhecidos dias iniciais. Ele narra os inusitados esforços já feitos para possuir um Banksy – os gastos de milhares de libras para retirar paredes e preservar caixas d’água sucateadas. E discute as contradições do campeão da arte fora-da-lei e da luta contra as autoridades, em seu crescente interesse em controlar sua imagem e suas obras. O resultado é uma biografia apropriadamente não-oficial e totalmente não-autorizada dessa personalidade genuinamente enigmática, que tanto o público quanto a crítica ainda assim consideram que conhecem muito bem.

Compartilhe: