A arte do Grafite – Parte III

-por , em 17/02 -
A arte do Grafite – Parte III

Olá Nerds do meu coração! Vamos a última parte da série “A arte do Grafite”! Espero que todos estejam gostando. Caso ainda não tenham lido nenhum dos textos, clique aqui para ler a primeira parte e clique aqui para ler a segunda parte.

 

Conheça aqui as modalidades do Grafite:

 

:: Grafite 3D ~ Desenhos concebidos a partir de várias idéias visuais de profundidade, sem contornos. Exige domínio técnico do grafiteiro na combinação de cores e formas.

 

:: Wild Style ~ Tem o formato de letras distorcidas, em formas de setas, que quase cobrem o desenho.

 

:: Bomber ~ São letras gordas e que parecem vivas, geralmente feitas com duas ou três cores.

 

:: Letras Grafitadas ~ Incorporação das técnicas do grafite à pichação. As letras grafitadas representam a assinatura do grupo.

 

:: Grafite Artístico ou Livre Figuração ~ Nesse estilo vale tudo: caricaturas, personagens de história em quadrinhos, figurações realistas e também elementos abstratos.

 

:: Grafites com Máscaras e Spray ~ Facilita a rápida execução e disseminação de uma marca individual ou de grupo.

 

Muitas pessoas viam os trabalhos dos grafiteiros apenas como um amontoado de letras rabiscadas e sem nexo, ou como pura poluição visual e ato de vandalismo contra o patrimônio público. Grande parte das críticas feitas contra a atividade se deve às inúmeras fachadas, monumentos, igrejas e todo um conjunto de locais pichados indiscriminadamente. Esse tipo de comportamento dos pichadores tem diversas consequências negativas para as cidades. Uma delas é a depredação de obras de arte e cenários históricos, o que causa prejuízo imediato ao turismo.

 

Além do fato de estarem desrespeitando a privacidade das pessoas ao, por exemplo, fazerem pinturas em muros sem a autorização do seu proprietário. E muitas pichações estão relacionadas a conflitos entre grupos rivais. Para reverter esses problemas e aproveitar o aspecto positivo dessas manifestações, atualmente os artistas do grafite são convidados a participarem de projetos que visam embelezar as cidades. Com isso, espera-se que as pessoas interessadas nessa atividade possam continuar expressando sua arte, mas sem causar prejuízos ao planejamento urbano.

 

Para citar alguns exemplos, a Universidade de São Paulo começou a organizar a primeira cooperativa brasileira de grafiteiros, muitos deles ex-pichadores. O objetivo é profissionalizar esses artistas. Todos serão orientados por professores de artes plásticas e designers para fazerem seus trabalhos em painéis e muros especialmente destinados para exibição de seus trabalhos.

 

O Rio de Janeiro também investe em projetos como este. A prefeitura da cidade já formou uma turma de grafiteiros, com direito a certificado e tudo. Entre os diplomados, estão moradores de áreas carentes como Manguinhos, Jacarezinho e Vigário Geral. O Departamento Nacional de Trânsito lançou em Brasília o Projeto Grafitran. O objetivo é incentivar grafiteiros de oito grandes cidades brasileiras a divulgar mensagens favoráveis à humanização do trânsito, através de painéis espalhados por locais públicos, próximos às rodovias e ruas movimentadas.

 

Veja mais alguns exemplos super legais da arte urbana: Grafite.

 

grafite grafite grafite grafite

 

E então? Gostaram da série sobre Arte do Grafite? Comente e sugira temas para novas séries. Coloque aqui nos comentários desses posts ou envie para coxinhanerd@gmail.com.

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você