Antologia da Cidade Fantasma, é um longa canadense adaptado livremente a partir de uma obra literária homônima, dirigido por Denis Côté.

O filme retrata os eventos na pacata cidade de Irénée-les-Neiges, após a morte de Simon Dubé. Cidade pequena e isolada com uma população de 215 habitantes. Os moradores atordoados mostram-se relutantes em discutir as circunstâncias da tragédia. Daquele momento em diante, tanto para a família Dubé quanto para várias outras pessoas, tais como o prefeito Smallwood, o tempo parece perder todo o sentido e os dias se arrastam sem fim. Algo desce lentamente sobre a região. Nesse período de luto e nessa neblina, estranhos começam a aparecer. Quem são eles? O que está acontecendo?

O termo “Fantasma” no título pode referenciar e dar sentido em vários aspectos no longa. Sua atmosfera, sua premissa e até mesmo sua fotografia que é perfeita, afim conceder a nós a sensação fantasmagórica que o nome já diz, não no quesito assustador da palavra e sim na sensação que ele causa em si.

Um Thriller psicológico bem desenhado, com diálogos precisos que mesmo sem especificar te levam a imaginar o sobrenatural no contexto, mas…

Mesmo com uma premissa interessante e tecnicamente impecável, a antologia da cidade fantasma, falha como adaptação e se arrasta até o último minuto. Não entrega o que propõe, e deixa o espectador com muitas perguntas e sem nenhuma resposta mesmo com todo o material apresentado ao longo da obra, comprovando o mal desenvolvimento de um enredo que teria tudo para dar certo.

Antologia da Cidade Fantasma é um filme cansativo, e até mesmo entediante, porém com um tom de debate que vale a pena sua reflexão. Mas, por sua conta e risco.

O longa chega aos cinemas em 16 de janeiro

VEJA MAIS SOBRE FILMES