AMERICAN GODS | Crítica do episódio “Head Full of Snow” – S01E03!

-por , em 21/05 -
AMERICAN GODS | Crítica do episódio “Head Full of Snow” – S01E03!

VEJA A NOSSA CRÍTICA DO TERCEIRO EPISÓDIO DE AMERICAN GODS!

Já se passaram dois episódios e American Gods já vem conquistando muitos fãs, mas se ainda não tinha conquistado a todos, conquistou agora com esse espetáculo que foi “Head Full of Snow“.

Assim como em todo o início de novo capítulo, somos introduzido a um novo Deus. Anubis, o deus da morte, dá as caras após a morte de uma senhora muçulmana que morreu ao cair de uma cadeira enquanto pegava canela em uma prateleira. Ele então a guia para a balança onde coloca o coração da mesma e uma pena, se o coração dela for mais leve que a pena ela poderá seguir seu caminho rumo a paz. Uma cena muito bem feita, tanto em efeitos visuais, quanto em momento, iniciando o episódio a todo o vapor.

Conforme vimos no episódio passado, Shadow perderia sua cabeça logo ao amanhecer após perder uma partida de damas para Czernobog, mas ele só adiou o inevitável, já que em uma respectiva revanche ele acabou por ganhar do Deus e conseguir adicioná-lo na reunião tão comentada de Wednesday.

É interessante notar que essa sua nova chance não aconteceu por nada, se Shadow está vivo é por causa de Zorya Polunochnaya, a terceira irmã, a guardiã da meia-noite, que lhe entregou a lua em uma cena cheia de efeitos especiais que funcionam e estão cada vez mais bonitos do que nunca. Sem contar os efeitos, a cena ainda é muito bonita por toda sua história ao redor dela e principalmente o beijo entre os dois e todas as circunstâncias!

Saindo dessas cenas, já vemos Shadow e Wednesday de volta a sua rotina de viajar o Estados Unidos, mas antes eles terão de pegar dinheiro para continuar pagando suas despesas. Após uma cena de motivação geral para o protagonista vemos a neve tomar conta de Chicago e o plano de Wednesday dar certo para o plano dos dois continuar, pelo menos até eles chegarem no Hotel, quando a maior revelação até o momento é feita.

Muitas teorias foram criadas ao redor dessa cena final, quase todas se referem a moeda da sorte que Mad Sweeney entregou a Shadow sem querer durante o primeiro episódio, mas a moeda teria realmente todo esse efeito? Talvez misturada ao fato de Shadow acreditar, ela realmente funcionasse dessa maneira, só saberemos nos próximos capítulos.

É interessante notar, que em um momento na metade do capítulo, vemos Wednesday dizer que há uma grande variedade de deuses incluindo um negro, um branco, um mexicano, entre outros, sera que veremos eles em algum breve momento em futuros episódios?

Enquanto isso, em outro ponto do episódio temos algumas cenas que caracterizam exatamente tudo o que American Gods tem se provado ser, uma série que não tem medo de fazer nada para chegar ao seu foco principal em uma trama bem fechada e escrita com uma grande qualidade.

As cenas que ocupam um espaço de 10 minutos, mostram um jovem árabe descontente com sua vida que se encontra com Jinn, o Deus da Lâmpada Mágica. Em meio a um desejo concedido ao rapaz, temos cenas explicitas de sexo entre os dois, ato que acabou por libertar o gênio de sua prisão, que nessa obra é caracterizada como o Táxi. Pelo o que vimos, Salim acabou por receber os poderes do Gênio.

Falando de termos técnicos, os efeitos visuais são o que mais chama a atenção da série. Vindo de um canal não muito grande, o Starz está surpreendendo muito com seu trabalho na pós-produção, misturando toda uma leva de efeitos lindos com uma fotografia maravilha. A cena entre Jinn e Salim então mostra bem isso, é uma fotografia que foca bem neles, enquanto vemos o fogo sendo compartilhado entre os dois corpos, sem contar a introdução do episódio, com a trama retratando a vida pós-morte, efeitos com tons mais claros e que combinam com o que o roteiro está propondo.

Finalizando apenas seu terceiro episódio, American Gods continua demonstrando para o que chegou na televisão, trazendo uma trama que está totalmente conectada com o foco maior que ainda não fomos apresentados por completo. Partindo nessa linha de incríveis efeitos visuais e uma fotografia que funciona bem com as cenas, “Head Full of Snow” é o melhor episódio até então por revelar mistérios e nos apresentar a mais deuses, tendo um grande trabalho dentro da história.

Veja mais sobre Séries

Luiz Gabriel
por

Luiz Gabriel

Gamer desde sempre, joga qualquer coisa sendo de esportes até o casual FPS. Também gosta de filmes e séries - principalmente Game of Thrones e Breaking Bad.

Recomendamos para você