Eu, como muitos de você certamente, acompanhei a saga do bruxinho Harry Potter. Eu o vi crescer e o amei como alguém da família. Ainda choro com o final da saga, quando releio os livros (sim, eu releio livros. Só a história do Harry já reli umas 10 vezes e ainda vou ler outra vez!). Como muitos, eu também não entendia, sentia aversão, queria socar e xingar, ficava com medo pelo que ele faria ao Harry, achava uma praga e desejava muito ver se dar mal o nosso conhecido professor de poções, Severo Snape.

Mas, (se você por acaso não leu, não assistiu – acho difícil hoje em dia, mas vai que? – e não curte spoiler, melhor parar por aqui, tá? Vou citar coisas dos livros certamente) eu também me surpreendi com a verdade por trás do incompreendido Snape. Eu aprendi a vê-lo com outros olhos e além do que ele mostrava ser ao descobrir seus segredos, seu amor tão profundo  e dedicado… Fiquei até com vergonha de deixar a autora me fazer sentir tudo o que já citei antes por ele, de nunca ter dado o beneficio da dúvida neste caso. Mas acho que isso é pelo hábito arraigado, desde a infância, de que contos infantis (por mais legal que seja, HP pra mim no inicio era uma história feita pra crianças) tem sempre personagens que são bons ou maus, nunca um meio termo (por isso tenho apreciado as releituras que tem havido deles, podemos ver que são muito mais complexos e isso é bem mais legal!)

O que Snape fez e viveu sozinho conquistou minha admiração e mudou para sempre a conotação da palavra “Always” pra mim (sim, eu sei que o significado é o mesmo, mas sempre terá aquele arrepio de promessa pra mim) e, por isso, ao me deparar com um vídeo, onde alguém teve a paciência de tomar todos os momentos cruciais e lembranças de Severo, e monta-los em ordem cronológica, eu fiquei interessadíssima! O mais legal é que, embora sejam cenas que já vi nos filmes, organizadas desse jeito, mudou toda uma parte da minha visão! Olhares e gestos, dentro do contexto focado nas atitudes dele, mudaram de significado! E eu me vi ainda mais admirada! Arrepiada! E desejosa de um filme, um livro, uma história só dele…

Embora essa versão seja legendada, a paciente pessoa que criou o  vídeo original foi a YouTuber kcawesome13 (Casey Linenberg, de Michigan-USA).

Ficou de partir ainda mais o coração, não ficou?

Compartilhe: