Escolha uma Página

PLANOS E MAIS PLANOS!

O cinema argentino costuma conseguir transitar entre vários gêneros em um só filme, fazendo o espectador se emocionar e rir quase ao mesmo tempo. Em A Odisseia dos Tontos essa prática é bem utilizada, sendo uma produção com potencial para agradar o grande público e todas as idades.

Situado em 2001, em uma Argentina que sofre com uma crise econômica que afetou a todos, o filme vai acompanhar um grupo de moradores de uma pequena cidade no interior do país que perdeu todo o dinheiro arrecadado para fazer um grande investimento. Mas ao descobrirem que um banqueiro da cidade roubou a quantia antes que o governo se apossasse dela, eles decidem fazer justiça com as próprias mãos e recuperar seus preciosos dólares.

O Filme

Apesar da história de fundo ser um tanto melancólica, a missão de recuperar o dinheiro é o que traz as outras emoções que dão o tom do filme. Indo de momentos de tensão, como na realização do plano arriscado, até cenas de comédia e piadas bestas que diminuem a carga dramática do resto.

O grupo é comandado por Fermín (Ricardo Darín), um ex-jogador de futebol que convence todos a participarem do investimento, e sua esposa, Lidia (Verónica Llinás). De resto, são homens de variadas idades e trabalhos, tendo apenas Lidia e Carmen (Rita Cortese) como as personagens femininas no filme. E apesar de terem grande importância no plano, elas ficam mais de escanteio durante a ação em si.

A Odisseia dos Tontos

O roteiro não chega a se aprofundar nos personagens, focando mais na recuperação do dinheiro. Mas como é situado em uma realidade econômica da Argentina, e pelos personagens serem de origens mais humildes em busca de recuperar o que é deles por direito, a empatia sentida por eles é maior que seria caso, por exemplo, o filme fosse 100% fictício.

Podemos traçar paralelos com grandes produções da indústria, como a franquia Onze Homens e Um Segredo, e até mesmo La Casa de Papel, mas também dá para comparar A Odisseia dos Tontos com os longas e séries de heróis que fazem tanto sucesso atualmente. A jornada de fazer justiça com as próprias mãos, a formação de uma equipe onde cada um tem sua função para que o plano dê certo, e ter um inimigo, que tem mais poder, mostrando que eles devem se unir para alcançar o objetivo.

O filme tem direção de Sebastián Borensztein, e conta com Ricardo Darín, Verónica Llinás, Rita Cortese, Luis Brandoni, Chino Darín, Daniel Aráoz, Carlos Belloso, Marco Caponi, Andrés Parra no elenco.

 

Crítica feita por Gabriela Orsini. 

A Odisseia dos Tontos estreia no dia 31 de outubro.