GAME OF THRONES | Tudo sobre a Casa dos Imortais – Parte 1!

OS SEGREDOS DAS PROFECIAS DOS IMORTAIS!

No livro dois “A Fúria dos Reis”, Daenerys Targaryen decide, após a morte de Khal Drogo e o nascimento de seus dragões, seguir o “Cometa Vermelho” através do deserto, num trecho de terra estéril; com seu khalasar passando necessidades, ela se vê desesperada e acaba pedindo socorro nos portões da “Cidade Livre de Qarth”, que permitiu a entrada dela e de seu povo, devido ao obvio interesse por seus bebês dragões.

Durante sua estadia na cidade, Daenerys pede ajuda aos lideres de Qarth que não demonstram muito interdissesse nela mas dizem estar dispostos a ajudá-la se aceitar vender uns dragões.

*CUIDADO TEXTO CONTEM SPOIELS. *maiores detalhes dessa época através do like: Parte 1: PERFIL DE PERSONAGEM DAENERYS TARGARYEN.

http://www.coxinhanerd.com.br/daenerys-targaryen/

Desesperada e sem opções, Daenerys visita a “Casa dos Imortais”, na vã esperança de ganhar sabedoria dos “Antigos Magos de Qarth”  e assim evitar perder seus bebês dragões.

*é importante lembrar que os motivos para Daenerys ira ate a “Casa dos Imortais” da série são diferente das motivações do livro: na série os magos roubaram seus três dragões bebês e ela deseja resgatá-los. *abordaremos as visões da série no terceiro texto da Casa dos Imortais, aguardem! Já nos livros ela busca por orientação, por sabedoria apenas.

CURIOSIDADE 1: Os Antigos Magos de Qarth são um grupo de praticantes de magia dita como secreta e tem como sede principal a “Casa dos Imortais”; são rapidamente reconhecíveis por seus lábios em tom de azul, causados ​​por seu usual costume de beber uma substância conhecida como “Sombra da Noite”. Seu poder e prestígio foram diminuindo ao longo dos anos, e algumas pessoas da elite Qartheeana os consideram com repulsa e desprezo, no entanto, ainda ocupam um lugar permanente entre os “Treze”: o conselho governante de Qarth.

Desesperada por ajuda, Dany busca a ajuda do mago Pyat Pree, que lhe orienta a vivenciar as experiências de “Além Corpo” junto à famosa “Casa dos Imortais”.

“Naquela cidade de esplendores, Dany tinha pensado que a Casa dos Imortais fosse mais magnífica de todas, mas saiu do palanquim para contemplar uma ruína cinzenta e antiga. Longo e baixo, sem torres nem janelas, o edifício enrolava-se como uma serpente de pedra de um bosque de arvores de casca negra, cujas folhas de um azul carregado constituíam a matéria-prima para a bebida mágica que os qhartenos chamavam de sombra da tarde.”

George R. R. Martin.

Pg. 449. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

Durante essa visita a “Casa dos Imortais”, Dany é instruída a entrar sozinha, no entanto ela opta pela companhia de seu maior dragão: o negro é reluzente bebê Drogon.

*diferentemente da série, onde Dany tem seus 3 dragões presentes ao fim do trajeto pela “Casa dos Imortais”, nos livros Drogon era o único dragão que estava dentro da  “Casa” junto a Dany e a acompanhou por todo o trajeto.

Antes de entrar, o mago Pyat Pree a orienta a seguir sempre para cima, assim como seguir pelas portas que surgirem sempre pela sua direita, pois caso entre em alguma das portas a esquerda ou siga para baixo, Daenerys nunca mais sairá da “Casa dos Imortais”.

Ela entende o perigo do lugar e segue em direção a bebida alucinógena dos magos:

“(…) um esguio copo de cristal cheio de um liquido espesso e azul: sombra da tarde, o vinho dos magos. (…) – Vai deixar meus lábios azuis?

– Um copo servirá apenas para destapar seus ouvidos e dissolver a membrana que cobre seus olhos, para que possa ver e ouvir as verdades que lhe serão mostradas. Dany levou o copo aos lábios. O gosto do primeiro gole era muito ruim, de tinta e carne estragada, mas quando engoliu, pareceu ganhar vida dentro de si. Conseguia sentir gavinhas espalhando-se por seu peito, como dedos de fogo enrolando-se no coração, e na língua ficou um sabor que era como mel, anis e creme, como leite materno e o sêmen de Drogo, como carne crua, sangue quente e ouro derretido. Era todos os sabores que já tinha experimentado e nenhum deles… e então o copo ficou vazio.” 

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 450. Cap. Daenerys, Livro 2: a fúria dos reis.

Ao seguir pelos corredores, Daenerys verificou que nem todas as portas do caminho estavam fechadas por completo e ao passar por elas, Dany tentava não prestar atenção nas pessoas peculiares que vislumbrava, no entanto a tentação era grande.

A partir daqui irei lhes contar as muitas visões de Daenerys através das portas disponíveis para ela, em seguida lhes revelarei as minhas interpretações de cada uma dela.

*lembro-lhes que são minhas interpretações, sendo assim, são passiveis de diferenciação com o que venha a ser revelado à frente, nos últimos dois livros ainda não publicados ainda.

Sendo assim segue minhas teorias:

Em uma dessas portas Daenerys vê brevemente o vislumbrou de uma mulher nua com quatro homenzinhos tentando lhe dominar, eles mordiam e a apertavam em um misto angustiante de rasga e mastiga. *a mulher nua seria uma alusão ao próprio “Trono de Ferro”, que estaria sendo disputado por quatro auto-proclamados reis: Stannis Baratheon, Renly Baratheon, Jofrey I Lannister-Baratheon e Robb Stark. *mesmo que esse último não esteja diretamente desejando o governo de Westeros e sim, vingança pela morte do pai:Ned Stark.

Em outra porta vislumbrou um festim de cadáveres:

“Massacrados de forma selvagem. Os convivas jaziam espalhados por cima de cadeiras viradas e mesas de montar estilhaçadas, estatelados em poças ensanguentadas, colheres de pau, aves assadas, nacos de pão. Num trono acima deles, estava sentado um morto com cabeça de lobo. Usava uma coroa de ferro e segurava numa mão uma perna de cordeiro como um rei seguraria um cedro, e seus olhos seguiram Dany com um apelo mudo.”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 451. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

Claramente aqui, Dany teve um vislumbre do futuro onde a Casa Stark sofreria sua derrocada no livro três através do “Casamento Vermelho” ,a fartura de comida e bebida, assim como os cadáveres ensanguentados lembram muito os eventos ocorridos dentro do Castelo da Casa Frey onde o correu o massacre dos Stark’s e seus leais, bem como a figura do homem com cabeça de lobo nos recorda da imagem de Rei Robb Stark com a cabeça do seu lobo gigante “Vento Cinzento” costurada a seu corpo.

Com medo do que viu, Daeneryes segui rapidamente para a próxima porta, no entanto, o desejo de entrar nessa porta foi algo realmente tentador, pois se tratava de algo muito familiar a ela:

“Conheço esta sala, pensou. Lembrava-se daquelas grandes vigas de madeira e das faces de animais esculpidas que as adornavam. E ali, do lado de fora, um limoeiro! Vê-lo fez o coração de Dany doer de saudade. É a casa da porta vermelha, a casa em Bravos. Assim que aquele pensamento atravessou seu espírito, Sor Willen entro na casa, apoiando-se pesadamente em sua bengala. –Princesinha, aqui esta. _ele disse com sua voz áspera e bondosa. Sua grande mão enrugada estendeu-se para ela, suave como couro velho, Dany quis pega-la e beijá-la, desejou isso mais do que já tinha desejado qualquer outra coisa na vida. O pé avançou, e estão pensou: Ele esta morto, esta morto, o querido velho urso morreu há muito tempo. Recuou e fugiu.” 

GEORGE R. R. MARTIN.

Livro 2: a fúria dos reis., Pg. 451. Cap. Daenerys.

Mesmo sofrendo de saudades de seu velho professor e amigo, Dany seguiu para a próxima porta e se depara com um grande salão com muitas caveiras de cabeças de dragão, que seria a sala do trono em Westeros, ela segue adiante ate se deparar com uma visão perturbadora:

“Por fim, um grande par de portas de bronze surgiu à esquerda (…). Abriram-se quando se aproximou, e teve de olhar para dentro. (…) Num trono elevado cheio de farpas, sentava-se um velho com ricos trajes, de olhos escuros e longos cabelos cinza-prateados. – Que ele seja rei de ossos esturricados e carne assada._ disse para um homem que estava embaixo. –Que seja rei de cinzas. _ Drogon guinchou, enterrando as garras em seda e pele, mas o rei em seu trono não o ouviu, e Dany seguiu adiante.”

GEORGE R. R. MARTIN.

Livro 2: a fúria dos reis., Pg. 452. Cap. Daenerys.

Claramente vemos aqui, um vislumbre do passado, quando o Rei Aerys II “O Rei Louco”, pai de Dany, estava planejando incinerar a cidade de“Porto Real”com “Fogo Vivo” com Jaime Lannister como testemunha aos pés de seu trono.

Entorpecida pela cena de loucura do pai, Dany se afasta mais uma vez e segue seu caminho.

*nas historietas que seu irmão Viseryscontava, seu pai sempre fora descrito como um herói injustiçado, porem ali, ela viu ele horrorosamente tenebroso e totalmente fora de si.

Ela segue para a próxima porta e lá ela vislumbra um homem que lhe chama muito a atenção:

“Seu primeiro pensamento, na vez seguinte que parou, foi em Viserys, mas um segundo olhar fez Dany mudar de idéia. O homem tinha os cabelos do irmão, mas era mais alto, e seus olhos eram de um tom escuro de índigo, e não lilases.

– Aegon_ele disse para uma mulher que amamentava um recém-nascido numa grande cama de madeira. – Que nome seria melhor para um rei?

– Fará uma canção para ele? _ a mulher perguntou.

– Ele já tem uma canção. É o príncipe que foi prometido, e é sua a canção de gelo e fogo. _ ergueu o olhar quando disse aquilo, e seus olhos encontraram os de Danny, e pareceu que a via ali em pé através da porta. – Terá de haver mais um. _ ele disse, embora Dany não soubesse dizer se falava para ela ou para a mulher na cama. – O dragão tem três cabeças._dirigiu-se ao banco da janela, pegou uma harpa e seus dedos correram com leveza sobre as cordas prateadas. Uma doce tristeza encheu o quarto enquanto homem, esposa e bebe se desvaneciam como neblina da manha, deixando para trás apenas a musica (…).”

GEORGE R. R. MARTIN.

Livro 2: a fúria dos reis. , Pg. 452. Cap. Daenerys.

Danny sabia que se tratava de seu irmão mais velho Rhaegar que ela nunca chegou a conhecer; desejou vê-lo mais um pouco, guardar seus traços tão mais suaves e gentis do que o irmão Viserys, no entanto, manteve o foco e seguiu em frente.

*Martin foi questionado em uma entrevista se a mulher do quarto era Elia Martell e sim, é Elia logo após o parto de seu filho Aegon, fatos esses que ocorreram antes do encontro de Rhaegar com LyannaStark e todas as conseqüências posteriores que levam a marte de todos.

*Segue a baixo links referentes a esse período conturbado para a Casa Targaryen.

*O torneio de Harrenhal: http://www.coxinhanerd.com.br/got-torneio-de-harrenhal/

A rebelião de Robert: http://www.coxinhanerd.com.br/game-of-thrones-robert/

Seguindo para em frente, Dany fica diante de muitas e muitas portas e o medo aumentava gradativamente, pois os archotes que iluminavam o caminho iniciaram uma seqüência assustadora de apagões, ate se deparar com uma sala diferente:

“Mais um archote se apagou enquanto Dany ficou ali refletindo, e os sons tornaram-se levemente mais altos. (…) Drogon desenrolou-se e o dragão abriu a boca para gritar, fazendo sair vapor por entre os dentes. Ele também ouve. (…) Para alem das portas encontrava-se um grande salão. (…) um homem régio, com ricos trajes, levantou-se ao vê-la, e sorriu: – Daenerys da Casa Targaryen, seja bem vinda. Venha partilhar o alimento da eternidade. Nos somos os Imortais de Qarth. (…) – Sabíamos que viria ate nos. _ disse o rei feiticeiro.– Já sabíamos disso a mil anos, e temos estado todo esse tempo a espera. Enviamos o cometa para lhe mostrar o caminho.(…) _ Dany deu um passo a frente. Mas então Drogon saltou de cima de seu ombro. Voou para o topo da porta de ébano e represeiro, empoleirou-se ai e começou a morder a madeira esculpida. – Um animal com personalidade. _ riu um jovem bonito. – Devemos ensinar a língua secreta dos dragões a você? Venha, venha._Dany foi assaltada pela duvida. (…) Os feiticeiros chamavam-na com vozes mais doces do que canções. Danny fugiu deles, com Drogon voando de volta ao seu ombro. Atravesso-a a porta estreita e entrou num aposento inundado de trevas.e sabemos… (…).”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 453Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

Aqui é perceptivo o desejo dos feiticeiros em querer tirar Dany de seu caminho, qualquer distração faria a jovem ficar para sempre perdida ali, mas com a ajuda do dragão Drogon ela conseguiu voltar ao foco inicial. Ao sair dessa sala festiva e adentrar essa nova porta ela acaba se deparando com outra porta, só que essa nova porta tinha traços mais simples e grosseiros, velha e gasta.

Ao entra, Dany se depara com:

“Uma longa mesa de pedra enchia a sala. Por cima flutuava um coração humano, inchado e azul de podridão, mas ainda vivo. Batia, numa profunda e solene palpitação, ecada batida gerava um banho de luz na cor índigo. (…) Não havia nenhum som, a não ser o lento e profundo batimento do coração putrefato… Mãe de Dragões…. soou uma voz, em parte sussurro, em parte gemido… dragões… dragões… dragões… ecoaram outras vozes nas sombras. Alguma masculinas e outras femininas. Uma falava num timbre de criança. O coração flutuante pulsava entre as sombras e as trevas.(…) – Sou Daenerys filha da tormenta, da Casa Targaryen, Rainha dos Sete Reinos de Westeros (…) Concedam-me seus conselhos e falem-me com a sabedoria daqueles que conquistaram a morte.(…)Nos vivemos… vivemos… vivemos… disse o suspiro. Uma miríade de outras vozes sussurraram ecos… e sabemos… e sabemos… e sabemos… e sabemos… – Vim em busca do dom da verdade (…) No longo corredor, as coisas que vi… foram visões verdadeiras ou mentiras? (…) Mãe de Dragões… filha de três….Três?_Ela não compreendia… três cabeças tem o dragão... gemeu o coro fantasmagórico dentro de sua cabeça.” (…).”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 453 e 454. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

O coração azul me fez pensar imediatamente nos “Outros” também conhecidos como “White Walkers”, no entanto ao parar para analisar melhor, acredito que esse coração azul seja um artifício usado pelos magos para simplesmente horrorizar e chamar a atenção de Dany, já que o azul descrito é bem similar a bebida alucinógena que ela bebeu no inicio de sua jornada.*Minha teoria é que aqui os magos simplesmente afirmam que o numero três é predominante na vida de Daenerys, ou seja, tudo de importante na vida dela viram de três em três.

Os magos seguem com suas profecias:

“Mãe de Dragões… filha da tormenta. (…) Três fogueiras tem de acender… uma pela vida, uma pela morte e uma por amor…”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 454. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

Mãe de Dragões sabemos que é referente a Danny ter amamentado seus bebes dragões em seus primeiros dias de vida, fazendo dela a mãe dos mesmos. Filha da tormenta refere-se ao primeiro titulo de Daenerys, afinal ela nasceu em uma noite tempestuosa. *noite essa em que ao mesmo tempo ocorria as ultimas investidas dos rebeldes contra Porto Real, o que faz uma alusão direta a tormenta que a Casa Targaryen vinha passando ao longo do ultimo ano antes de seu nascimento.

A fogueira pela vida, a meu ver, Dany já acendeu, pois sua fogueira para do ultimo episodio da primeira temporada, assim como também ocorreu nos livros, acabou por trazer a vida de seus dragões.*alguns fãs acreditam que essa única fogueira já tenha eliminado a profecia em si, pois a bruxa teria queimado viva é simbolizaria a fogueira da morte e o amor de Dany, Drogo, havia tido o corpo queimado ali, o que também teria eliminado a fogueira do amor; porem penso diferente:

Para mim àfogueira pela morte seria a queima da tenda Dothrakique ocorreu na sexta temporada, onde Dany mata todos os Khal’s aos pés da “Mãe das Montanhas”, tomando para si, todos os seus guerreiros e escravos.

Já a fogueira pelo amor, ao meu ver, ainda não ocorreu, e infelizmente acredito que seja a fogueira onde ela queimara o corpo de seu novo amor Jon Snow que “possivelmente” viria a morrer lutando contra o Rei da Noite.*por favor, não me odeiem por achar que Jon ira morrer takkk. *lógico que série e livros têm suas diferenças, mas como Martin esta envolvido nas aprovações dos roteiros, acredito que pouca coisa se altere de uma fonte para outra, nesses momentos finais.

“Três montarias tem de montar…. uma para o sexo, uma para o terror e uma para o amor…”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 454. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

A profecia da montaria pelo sexo,também temos três opções:a primeira seria a égua prateada que a levou para sua noite de núpcias com Khal Drogo; a segunda opção seria seu relacionamento com o próprio Khal Drogo, já que ela o dominou através das artes do sexoe a terceira opção, venha a ser seu envolvimento com Daario Naharis.

A montaria do terror sem duvida se refere ao dragão Drogon, já que ele se tornou assustadoramente grande e tem uma ligação muito genuína com Daenerys, sendo um dos principais responsáveis pelas conquistas “a força” de Dany.

 A montaria por amor é um tanto quanto vaga, já que todos os relacionamentos de Dany nos livros foram bem intensos, porem a série nos levou a seu relacionamento com Jon Snow, o que poderia simbolizar sua ultima e mais importante “montaria”, ou seja, um relacionamento realmente baseado no amor e não no medo ou no prazer.

“Três traições conhecera… uma vez por sangue… uma vez por ouro e uma vez por amor…”

GEORGE R. R. MARTIN.

Pg. 454. Cap. Daenerys., Livro 2: a fúria dos reis.

A traição por sangue pode ser referente a seu irmão Viserys, que a vendeu aos dothraki em troca de um exército.*alguns fãs preferem pensar que a traição por sangue foi através da bruxa Mirri Maz Duur por ela ter traído a confiança de Daenerys e levado seu filho a uma morte prematura através de magia negra. Nesse caso ainda permaneço com a ideia de que seja Viserys.

*** Você o que pensa? Deixe ai nos comentários!!! ***

A traição por ouro, por muito tempo, foi destinadaa Jorah Mormont, pois o mesmo desejava retornar a sua terra natal em Westeros, assim como receber seu titulo e posses financeiras novamente, no entanto, alguns fãs acham que seja Xoro Xhoar Daxos da cidade livre de Qarth junto a serva Doreah que ajudava Dany com seus dragões bebês, pois ambos se juntaram para enganar Dany e dessa forma ter riquezas posteriormente a essa traição; porem, ao ler os livros novamente com mais atenção, só consigo pensar em Daario Naharis, afinal ele é um mercenário com fama de trair pelo pagamento mais alto, ele seria a pessoa certa para essa traiçãoem minha opinião. *não se esqueça que Dany o deixou para trás no enredo da sexta temporada da série, o que poderia incentivar Daarioa unir forças com CerseiLannister para a queda de Daenerys.*claro, isso se os livros seguirem a linha dos roteiros da série.

Já a traição por amor poderia vir de Tyrion Lannister, que sabemos que tem um grande amor por sua família, mesmo ela não sendo lá grande coisa, não é mesmo?

*lembro-lhes que profecias são subjetivas, ou seja, uma traição de amor, não significa que seja “diretamente por amor a Daenerys” e sim uma traição vinda do amor por um “outro alguém” que acabe gerarando conseqüências negativas para Dany.o/ admito que pensei nessa hipótese após os eventos da sétima temporada, afinal, a conversa de Cersei e Tyrion não nos foi totalmente revelada, me levando a crer que alguma coisa ali foi combinada entre ambos.

Nessa altura, Daenerys já está confusa e assustada, pede por explicações, mas a única coisa que recebe são visões do passado vivido, do futuro que poderia ter sido, do presente e talvez de seu futuro.

Abordaremos tudo isso no próximo post combinado!

Misteriosas são as visões de Daenerys e importantes são suas conseqüências sobre seu futuro… Nos vemos em breve na parte 2… bjos o/ fui!

APROVEITE PARA CONHECER NOSSO CANAL DO YOUTUBE:

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ:

Compartilhe:

Quem escreveu?

Marcela Simões

Devoradora de livros, Hq’s, mangás, filmes, séries, animes - enfim, tudo que envolva fantasia me atrai, mas não me limito a esse tipo de enredo; bem eclética, amo quando mergulho em algum tema e só o abandono depois de ter conseguido toda e qualquer informação possível. Puxar assunto? Fale de Game of Thrones ou Harry Potter que o papo vai longe!

Receba todas as notícias do mundo nerd em primeira mão!

Receba todas as notícias do mundo nerd em primeira mão!

Inscreva-se na newsletter do Coxinha!

Por favor, cheque seu email para confirmar a inscrição!