Encontramos esse artigo super interessante no site Hyperscience  e resolvemos compartilhar com vocês que curtem essa vibe de ciência aqui na Coxinha! Uma curiosidade super legal, vejam só: Satélites podem ser até parecidos com planetas em relação ao tamanho, mas quando se trata de “personalidade”, eles com certeza são mais excêntricos. Há mais de 20 luas para cada planeta no Sistema Solar e elas são extremamente diferentes uma das outras. Há luas tão complexas como a Terra, como a famosa Titã. Há também possíveis ninhos para a vida, como a gelada Europa. Conheça as luas mais bizarras do Sistema Solar:

O INFERNO GELADO

o inferno gelado

Banhada de radiação e cheia de vulcões em erupção constante, a lua Io é considerada o inferno do Sistema Solar. Ela é uma lua de Júpiter e é o astro com mais vulcões conhecido pelo homem (ela expele 100 vezes mais lava do que todo o material que os vulcões da Terra conseguiriam expelir) – apesar de ser muito fria e estar coberta por uma camada de gelo sulfuroso. Io também tem belos lagos de pedra derretida. O mais famoso é Loki Patera, que tem mais de 200 km de largura. Atualmente parece que Io está ficando mais “fresquinha” porque sua órbita está menos elíptica. Daqui a alguns milhões de anos, sua órbita estará tão mudada que ela irá esfriar e o inferno do Sistema Solar vai parecer menos quente.

YING YANG DE SATURNO

ying yang

A bizarra Iapetus é metade branca e metade negra. Além disso, o seu formato é estranho, como um limão – ninguém sabe explicar ao certo o porquê. Uma das possibilidades é que, quando era nova, Iapetus ainda estava “macia” e o movimento rápido fez com que ela ficasse distorcida.

AS BOLAS DE NEVE

bolas de neve

Tritão, Enceladus e Europa parecem apenas bolas de gelo, mas, na verdade, possuem algumas das áreas mais ativas do Sistema Solar – podendo, até mesmo, abrigar vida. As luas de Júpiter, assim como Io, também possuem grande atividade vulcânica. Apesar de serem cobertas de gelo, seu centro é feito de rocha derretida, como na Terra. Na foto, vemos Europa.

AS PANELAS VOADORAS

panelas voadoras

Não, essas não são aquelas panelas voadoras que eram chamadas de “efeitos especiais” no cinema dos anos 50. São Pan e Atlas, luas de Saturno. Menores do que a média (Atlas possui 18 km de pólo a pólo e 40 km de largura), o seu formato também é inusitado.

O BUMERANGUE

bumerangue

Nereida ganha sua posição nessa lista por possuir a órbita mais inusitada do Sistema Solar. A maioria das luas simplesmente fica circulando seu planeta, mas Nereida se afasta mais de 9 milhões de km de Netuno e depois volta a ficar a 1,4 milhões de km de distância.

A SEGUNDA TERRA

segunda terra

Titã é estranha por ser justamente tão familiar. Ela é tão parecida com a Terra que mal podemos acreditar que ela seja apenas um satélite. Assim como nosso planeta ela tem lagos, rios, vales, planícies, desertos e todo o resto. Só que está coberta com uma grossa camada de nitrogênio.

A ORIGINAL

original

Nossa companheira a Lua. Há 400 anos atrás, Galileu descobriu as luas de Júpiter. Até aquela época o único satélite conhecido era o nosso. Nossa lua é bizarra por que não há satélites no Sistema Solar “interno” – nos planetas mais próximos ao Sol. Vênus e Mercúrio não possuem luas, enquanto as luas de Marte são pequenas perto da nossa. Nossa Lua, pelo que se sabe, é, na verdade, um pedaço da Terra, que se desprendeu quando nosso planeta ainda era muito novo.

Artigo originalmente produzido pela NewScientist

 

Compartilhe: