“Essa é a história de um rapaz que conhece uma garota. Mas já tenho de avisar de antemão que essa não é uma história de amor” Já teve aquele filme maldito, desgraçado, triste, que te deixa na fossa mas você não consegue parar de assistir? Bem vindos ao meu caso de amor e ódio com 500 Days Of Summer(ou aqui no belo Brasil 500 Dias com Ela), mas por que este filme é tão incrível? Vamos descobrir.

Lançado em 2009, dirigido pelo jovem mancebo Marc Webber que conta a história de Tom Hansen(interpretado pelo Joseph M. Gordon) está feliz(dentro do possível) com seu emprego como escritor de cartões de felicitações até que conhece a desgraçada digo… graciosa Summer(interpretada por Zoey Deschanel) e daí segue pra 500 dias de altos e baixos em seu relacionamento com ela.

500-3

Aí você pensa: “Caramba hein, que enredo, o capitão óbvio poderia ter escrito isso”  apesar de um personagens os quais podemos ver como simples em situações normais e que todos os que já tiveram um amor digamos complicados já vivenciaram isso em algum momento, então uma retratação dessa na tela foi um alívio para alguns que achavam que eram os únicos, mas para aqueles que ainda não viram vamos dar uma conferir os melhores momentos para você já sair daqui querendo assistir

Uma das coisas mais interessantes da narrativa é a forma “Tarantinesca” de direção, ou seja, a história não é contada de forma linear o que nos leva a uma experiência fantástica com um maravilhoso “ALT+TAB” entre as emoções dos personagens e também nos da uma boa sensação para vermos todos os pontos da história afinal seria difícil entender todo o universo visto por Tom Hansen.

A trilha sonora deste filme é muito bem encaixada com o filme pois além de demonstrar o gosto musical dos personagens e isso se for bem analisado leva grande parte da carga dramática do filme, em algumas cenas não precisamos nem de diálogos mas só da canção muito bem encaixada.

500-2

Uma parte que vale a pena ser destacada com certeza é a sessão do antes e depois,vários críticos dizem que uma das melhores coisas apresentadas pela película, a quebra de expectativas/perspectivas de futuro demonstrados ali é fenomenal encaixa-se perfeitamente com a proposta e ideia que está sendo passada pela visão do Tom.

E além de tudo isso que já disse tem referências ótimas(e não forçadas)  a alguns filmes clássicos do cinema como “O Sétimo Selo” Como a cena do anjo jogando  xadrez com o cavaleiro na praia foi adaptado pra uma das partes em que a fossa de Hansen  está um pouco mais atacada que o normal.

Como em todos os meus posts não gosto de colocar muitos pontos da história pois gosto que vocês passem pela experiência de conferir com seus próprios olhos e principalmente participar um pouco da fossa com nosso jovem mancebo, então amigo(a) se você ainda não assistiu 500 Dias com Ela corra e assista(Fecha essa locadora do Paulo Coelho guri) e você meu caro que já assistiu deixe aí nos comentários o que você achou deste maravilhoso reflexo de um rapaz que se apaixona por uma garota porém todos devem saber que essa não era uma história de amor.

Compartilhe: