Dizem que todos os professores de português gostam de colocar o quadrinho desta personagem em suas provas. Eu sou formada em Letras, será que é por isso, a minha vontade de escrever sobre ela?! Bom, pessoas, brincadeiras a parte, vim escrever sobre esta que, por mais que já esteja prestes a completar 50 anos de idade, se mantém cada vez mais atual, dada às circunstâncias! Difícil saber de quem estou falando?! Bem-vindo, então, a comemorar meio século da existência de Mafalda! Está menininha irreverente, carismática e super inteligente e que, com certeza, conquista várias pessoas, com suas tiradas de um humor sarcástico e rebuscado.

Quem pensa que Mafalda é só mais um quadrinho, está completamente. Tudo bem, ela é criança, gosta do sol, não gosta de sopa e interage muito bem com o seus amiguinhos, que consiste em bater neles. Até aí, nada de anormal, não?! Mas esta cinquentona está muito além de ser de ser uma simples guria. Quem a lê com certa frequência, percebe uma crítica muito grande à política, aos costumes e até mesmo à humanidade. Regada de muito ironia, e porque não dizer, de sarcasmo, ela vai mostrando os muitos erros que existem no mundo e aponta as falhas do governo.

Mafalda

Não sei se todos sabem, mas, Mafalda começou a ser publicada nos jornais em setembro de 1964 e suas publicações foram até 1973, em Buenos Aires. Como eu já disse, o quadrinho critica a sociedade de consumo, criticava muito a televisão, também (acreditava já naquela época que ela causaria uma grande alienação), além de se criticar avidamente o capitalismo, por um de seus personagens, o Manolito e a Susanita que representa o consumismo desenfreado e até me atrevo a dizer o “American way of life”.

As sacadas de Quino, seu escritor, eram tão geniais, que ele atribuiu às suas personagens, características a elas, para ilustrar todo o contexto a ser criticado da época, às vezes, até os nomes eram propositais para ilustrar melhor o enredo. Sua mãe, que é uma dona de casa comum, é vista como medíocre pela filha, por não ter terminado os estudos. Filipe, inspirado em um amigo de Quino, vive em conflito com sua responsabilidade e seu sentimento de não gostar da escola.

Manolito, filho de um comerciante português, representa o capitalismo. É muito preocupado com os negócios do pai e implica com Mafalda por esta gostar do Beatles. Tira notas baixas em todas as matérias, menos em matemática, por conta das finanças, fazendo o papel do conservadorismo capitalista, só pensa em lucros e adora as inflações dos preços, pois pensa que assim, está lucrando. Às vezes brinca de governo com Mafalda, ou seja, não fazem nada!

Manolito, beatles e o capitalismo

Particularmente, acho Susanita muito interessante. Ela é considerada uma menina fútil, e ela realmente a é. Pensando somente em conquistar um marido rico quando crescer, na boa aparência e uma grande quantidade de filhos, é ainda, muito fofoqueira e egoísta. Mas devo admitir que me intriga muito sua amizade com Mafalda, além de observar o antagonismo que existe entre as duas, tudo aquilo que a nossa personagem central não quer ser e que representa, mais ou menos o que a mãe de Mafalda é… É do encontro das duas que saiu o meu quadrinho favorito de Mafalda!

Susanita

Guille é o irmão mais novo de Mafalda. Muito inteligente para a sua pouca idade e representa uma pessoa que começa a conhecer o mundo. Miguelito é o amigo mais novo da turma. Pensa que o mundo gira em sua volta e sempre interpreta os conselhos da amiga de maneira literal, pois não entende muito bem o que Mafalda diz. Tem um grande coração e personalidade ímpar!

Guille

Libertad, que seria liberdade em português, é uma menina muito baixinha. Pequena mesmo! acho que já deu para entender a crítica, né?! Gosta das coisas mais simples da vida e seus pais são jovens idealistas.  E uma outra personagem que dá para perceber a crítica logo no nome é a pequena tartaruga que aparece um pouco mais tarde do que as demais personagens, é a Burocracia… Nem deu para entender, né?!

libertad

Por isso, não sejam leitores superficiais que não pegam a verdade entre as entrelinhas de uma história que é muito mais complexa do que se parece. Pois Mafalda está aqui muito mais para criticar do que para entreter, comentando uma situação em que a Argentina passava na época e que, muito países passam até hoje. Então, preparem-se para comemorar o aniversário dessa cinquentona querida em setembro e analisar, se comover e rir com toda inteligência que transborda desta pequena e de seus amigos! É claro que coloquei poucos exemplos, só para ilustrar mesmo, só para deixar um gostinho de quero mais! Espero que tenham gostado.  Até mais, pessoal!

Miguelito