O streaming da Apple TV tem apresentando ótimas alternativas de séries originais. As que mais chamam atenção, até mesmo pela formação do elenco principal, são The Morning Show, See, Defending Jacob e a que falaremos aqui nesse post: Little Voice.

A série é descrita como “uma carta de amor sobre a diversidade musical em Nova York que irá explorar a jornada de encontrar sua voz aos 20 anos”.

Little Voice é estrelada por Brittany O’Grady que interpreta Bess King, uma talentosa cantora que sofre para alcançar seus sonhos enquanto navega por rejeições, amor, e complicadas relações familiares. A produção é de J.J. Abrams com músicas de Sara BareillesJessie Nelson cuidou dos roteiros.

Vem aqui que vou te dar alguns bons motivos para assistir a série agora mesmo.

1. SARA BAREILLES

Claro que eu vou começar falando dessa mulher e cantora maravilhosa que é a Sara Bareilles. Ela é cantora, compositora, pianista e agora produtora executiva da série Little Voice. É legal curtir o conteúdo da Sara no Spotify, suas música são lindas, leves e recheadas de notas românticas. ‘Little Voice’ foi o nome do primeiro grande álbum de sucesso da Sara em 2017. Ela chegou ao quinto lugar da Billboard com a música ‘Love Song’. Sara faz uma pequena participação no último episódio da série, quase como um easter egg stan lee style e compôs todas as músicas cantadas pela protagonista. É uma grande importância autoral que Sara traz para a série, um sentimento de imersão em suas emoções!

2. NOVA YORK

Eu não sei vocês, mas sou completamente apaixonada pela temática de qualquer conteúdo em NY. Amo desde comédias baratas e simples como ‘Friends’ e ‘How I Met Your Mother’, até conteúdos mais emocionalmente elaborados como ‘Modern Love’ (Prime Video) e ‘Um Dia de Chuva em NY’ (filme Woody Allen). Acho a cidade charmosa, eclética, inclusiva e ao mesmo tempo excludente. Essa, inclusive, é a narrativa que ‘Little Voice’ seguiu. A NY da série é cheia de oportunidades, mas bate a porta na cara da nossa protagonista constantemente; é charmosa com suas músicas na rua ou no metrô, mas quem faz essas músicas, geralmente são artistas que não ganham dinheiro e passam dificuldades. Ou seja, mostra a dualidade da realidade que a cidade mais imponente do mundo apresenta. É uma história honesta!

 3. REPRESENTATIVIDADE

A série bate em alguns pontos super atuais e representativos para muitas pessoas. O irmão da protagonista é um rapaz autista, apaixonado pela vida da Broadway e que encanta em todos os momentos que aparece em tela com seu jeito de ser e enxergar o mundo. O ator Kevin Valdez, que interpreta Louie, o irmão de Bess que também tem autismo na série, colocou muito de si nesse personagem. Sua interpretação é brilhante e, ao mesmo tempo, super emocionante. A história não ‘cria glamour’ com esses pontos importantes. Temos alcoolismo, vício em drogas, autismo, discussão de gênero e orientação sexual, disponibilidade de emprego e oportunidade, e muitas outras discussões super relevantes. A história é leve, mas quando você percebe, já evoluiu e cresceu assistindo ‘Little Voice’.

4. ROMANCE

Tem romance na série? Tem! Mas, diferente. Estamos acostumados a nos encantar pelo primeiro par romântico que é apresentado em qualquer história, ainda mais quando sua trajetória inclui algum tipo de ‘salvação’ do protagonista. Em ‘Little Voice’, somos levados a nos apaixonar e quebrar essa paixão em apenas 10 minutos. A realidade, a sinceridade de tudo o que é apresentado na narrativa, faz com que desejemos que Bess se sinta bem e completa sozinha. Depois, com construção e desenvolvimento, até encontramos outro par romântico para ela, mas é só porque sabemos que ela já está 100% feliz com a sua própria vida. Isso é rico demais em uma história.

5. ROTEIRO

Jessie Nelson é a responsável pelo roteiro da série e faz um trabalho fenomenal de imersão e equilíbrio de emoções. Ela já trabalhou em algumas outras comédias românticas, tem um tom de contação de história bem gostoso, num estilo que curto muito. Em ‘Little Voice’, Jessie conseguiu colocar relevância e amor em cada palavra, em cada decisão, em cada núcleo, em cada cena musical. O roteiro faz com que você queira mais desses personagens, queira acompanhá-los na farmácia, no mercado, no dia a dia. Queremos ver Bess treinando, compondo, tentando. Queremos ver Louie gravando seus vlogs e postando, recebendo comentários no Youtube. Nos envolvemos com todos, muito porque todos eles parecem ser reais demais para estarem apenas em uma série de streaming.

A primeira temporada de Little Voice está disponível no catálogo da Apple TV Plus com nove episódios de meia hora. Quando assistir, volta aqui e conta pra nós o que você achou!