Ah o México, terra maravilhosa repleta de antigas civilizações misteriosas como os Aztecas, dos cartéis de drogas assassinos e da água impotável. A presença cultural do México na cultura pop é inegável, de esteriótipos racistas em filmes mexicanos à tequila, o elixir da garota baladeira desesperada por atenção. Coisas mexicanas já marcaram sua presença, muito além da obsessão por publicitários que confundem a expressão “personalidade” com “ter uma tatuagem de bigode no dedo indicador”, sabia que existem coisas mexicanas que na verdade… não são mexicanas*???

*baseado no best seller “Na agenda de pautas o editor colocou ‘mexicanisses’ e não soube explicar”.

Para a sua informação: México é o país que fica embaixo dos EUA e é responsável por todas aquelas novelas que pessoas assistem ironicamente.

4. Robert Rodriguez

Robert Rodriguez é o Celso Portiolli para o Silvio Santos que é o Quentin Tarantino. Ele foi responsável por Um Drink no Inferno e pela Trilogia do México, que conta a história de um mariachi assassino, por Machete o agente federal ultra violento mexicano e por… Jovens Espiões? Que todos os personagens principais são mexicanos. O que parece um diretor cheio de talento (?) repleto de patriotismo na verdade nasceu no… Texas?

Siesta

3. Siesta

Um marco de desenhos animados antigos racistas, a siesta é praticamente o ato que criou o esteriótipo do mexicano preguiçoso (nos EUA, piadas preconceituosas com mexicanas são semelhantes às piadas que sulistas fazem com nordestinos aqui no Brasil). Um gesto inofensivo que criou inúmeros problemas culturais com certeza merece pelo menos o mérito de pertencer ao país que causou tantos problemas… mas na verdade, o hábito de dormir durante o dia para recuperar as energias veio da… Espanha…

Até o próprio Imperador Carlos Magno cochilava durante o expediente, você vai querer discutir com um ancestral do Christopher Lee?

Nachos

2. Nachos

Nachos em formato Doritos são o combustível principal para pessoas que discutem no YouTube ou que desesperadamente precisam comer algo bêbadas. Esta simpática colher de feijão e queijo comestível na verdade foi inventada por um Mexicano chamado Ignacio Anaya para americanos e as primeiras pessoas a experimentarem o quitute foram esposas de oficiais americanos na Segunda Guerra Mundial (aquela com o Hitler).

Zorro

1. Zorro

Ele foi a inspiração para a criação do Batman e fez muito sucesso na infância do seu pai (a ponto de O Cavaleiro Solitário também virar o Zorro por aqui para pelo menos uma geração inteira ter diálogos extremamente confusos). As aventuras de Don Diego de La Vega se passam na Califórnia durante o domínio espanhol, antes da independência mexicana. Vale lembrar também que o personagem foi criado por Johnston McCulley, um escritor que pelo nome, é possível ver que não nasceu no México.

Nenhum ator que interpretou o personagem era mexicano. Anthony Hopkins é britânico, Antonio Banderas é espanhol, Antonio Catalano era italiano, Douglas Fairbanks e Tyrone Power eram americanos. Mas não se preocupem, Chaves ainda é mexicano. Agora, se você quiser ter uma experiência genuinamente inspirada em coisas mexicanas que vai te dar aquele gostinho de “ei! Aqui não é o México… ou é?!“, que tal comprar seu ingresso para a Festa do Mucho Macho e encher o bucho de tequila e até ver umas autênticas ring girls de lucha libre? >>> Post do parceiro Mucho Macho <<<

Compartilhe: